Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Felipão descarta atraso do futebol brasileiro e prevê base em 2018

Belo Horizonte (MG)

O técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, não acha que a goleada por 7 a 1 sofrida para a Alemanha seja um sinal de que o futebol nacional está defasado. Derrotado na semifinal da Copa do Mundo, o treinador lamentou a pane sofrida por seu time a partir do primeiro gol dos adversários, em Belo Horizonte.

“O que aconteceu hoje (terça) é muito diferente daquilo que tínhamos jogado. Até o primeiro gol, o jogo era praticamente idêntico ou nós estávamos até melhores do que a Alemanha. Mas eles fizeram o primeiro gol no escanteio e, depois, quando chegaram a 5 a 0... Ainda tivemos chances, criamos alguma coisa a mais, mas não estamos atrasados. Nós perdemos um jogo para uma grande seleção, que é a Alemanha, mas nem eles sabiam como aconteceu”, afirmou.

A equipe de Joachim Low abriu o placar, aos dez minutos, quando Muller aproveitou liberdade na área em cobrança de escanteio. O gol assustou os brasileiros, e os alemães forma implacáveis, com gols aos 22 (Klose), 23 (Kroos), 25 (Kroos de novo) e 28 (Khedira) minutos do primeiro tempo. Mesmo com a humilhação, Felipão crê na presença de muitos atletas do atual elenco na próxima Copa do Mundo, que será realizada na Rússia, em 2018.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Felipão lembrou que o técnico Joachim Low e vários atletas estão na seleção alemã desde 2006
“Dessa equipe que temos, provavelmente 13 ou 14 vão estar no Mundial de 2018. Isso também é um caminho. A equipe da Alemanha jogou o Mundial de 2010, a Eurocopa e foi trabalhada. É uma derrota catastrófica, feia, a pior do mundo para a Seleção, mas é um caminho e temos que aprender com isso”, concluiu.

Felipão entende que o jogo desta terça foi anormal e planeja uma conversa com o grupo para avaliar o que aconteceu. “Nós vamos sentar com o grupo, olhar de novo, analisar tudo o que aconteceu e principalmente trabalhar, porque muitos deles estarão nas próximas convocações. Temos de ver que isso foi atípico, que a qualidade da Alemanha foi muito grande e isso não é o normal, mesmo que joguem mais dez vezes. Temos que saber como assimilar essa derrota, é a pior do Brasil, mas aconteceu.”

Agora, o que resta ao Brasil é apenas a disputa pelo terceiro lugar, que será realizada no sábado, em Brasília, contra a equipe que perder o confronto entre Holanda e Argentina, nesta quarta-feira, na capital paulista.