Futebol/Copa 2014 - ( )

Thiago Silva já pensa em futuro como treinador após ser capitão

Helder Júnior, enviado especial Belo Horizonte (MG)

Contestado por não controlar as suas emoções como capitão da Seleção Brasileira, o zagueiro Thiago Silva gostou da sensação de liderar uma equipe. Tanto que, aos 29 anos, já cogita virar treinador quando encerrar a carreira como jogador.

“Não posso parar de jogar e ficar longe do futebol. Apesar de ser tímido, o que me dificulta a falar, vou me concentrar bastante para isso. O bom é que tive grandes treinadores na minha vida e aprendi com cada um deles. Um está aqui do meu lado”, comentou Thiago Silva, referindo-se a Luiz Felipe Scolari, técnico do Brasil.

Felipão abriu um sorriso ao ouvir a declaração de Thiago Silva. E aproveitou para brincar, chamando o futuro colega de profissão de “retranqueiro”. O capitão deu motivo: “Por ser zagueiro, a minha primeira preocupação como treinador será não tomar gols”.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Suspenso, Thiago Silva será substituído por Dante contra a Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo
Nesta terça-feira, contra a Alemanha, Thiago Silva terá uma sensação parecida à de um treinador. Ele poderá liderar a equipe brasileira com o seu discurso, porém está impossibilitado de pisar no gramado do Maracanã na semifinal da Copa do Mundo por ter acumulado dois cartões amarelos.

“Vai ser difícil ficar fora, né? O Luiz Gustavo cumpriu suspensão no jogo passado, e eu disse que a missão dele na Copa não havia acabado. Tenho certeza de que isso vale para mim agora”, comentou Thiago Silva, ainda inconformado com o cartão que recebeu na vitória por 2 a 1 sobre a Colômbia. “Não tive a intenção de tirar a bola do goleiro. Não sou um jogador juvenil.”

De qualquer maneira, Thiago Silva se uniu a Felipão e a outros brasileiros que não irão a campo para confiar na classificação para a final do Mundial. Outro desfalque é o centroavante Neymar, que fraturou a terceira vértebra lombar ao sofrer uma joelhada do colombiano Zúñiga.

“O Neymar foi tirado a Copa do Mundo por causa de uma entrada covarde. Sou zagueiro e sei que aquele tipo de marcação não existe. Mas, contra a Alemanha, os nossos corações estarão dentro de campo. Esse será o diferencial do Brasil”, confiou o futuro técnico Thiago Silva.