Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Vestiário francês é tomado por sentimentos de decepção e orgulho

Tossiro Neto, enviado especial Rio de Janeiro (SP)

Chegar às quartas de final da Copa do Mundo, quatro anos depois de não ter passado nem sequer da fase de grupos, é o que diminui a sensação de tristeza da seleção francesa depois da derrota desta sexta-feira para a Alemanha, no Maracanã. Ao voltar para o vestiário, o técnico Didier Deschamps encontrou seus jogadores obviamente decepcionados, mas se disse orgulhoso pela campanha que fizeram.

"Tenho muito orgulho do que meus jogadores fizeram tanto em campo quanto fora. Ainda há muito potencial a ser explorado. Devemos continuar elevando a qualidade. Apesar da dificuldade em aceitar uma eliminação, tenho orgulho de tudo o que fizemos desde que pusemos os pés aqui no Brasil", disse, aproximadamente trinta minutos depois do revés por 1 a 0.

Um revés que poderia ter sido evitado se sua equipe não tivesse desperdiçado as chances que criou, em especial no segundo tempo, depois de ter sofrido o único gol da partida foi anotado aos 11 minutos, quando zagueiro Mats Hummels desviou de cabeça uma cobrança de falta.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Jogadores franceses se lamentam após o apito final da derrota por 1 a 0 para a Alemanha, no Maracanã
“Apesar de a gente ter iniciado o jogo um pouco mais timidamente, conseguimos criar muitas oportunidades. Mesmo que, no final do jogo, tenhamos corrido mais risco, ficamos co um sentimento de frustração. A diferença não foi tão grande. Nós vamos parar por aqui, outros vão continuar, mas fizemos aqui uma partida que fizemos desde o início da Copa, do mais elevado nível”, lamentou Deschamps.

"O sentimento é de muita tristeza, frustração, decepção. Não posso tirar esse sentimento dos jogadores, porque também estou sentindo isso. Mas não podemos triar tudo de bom que fizemos até aqui também. Tínhamos intenção de continuar, queríamos chegar mais longe. Eu tenho muito orgulho da nossa comissão técnica e de ter chegado até aqui, juntamente com todos", continuou o treinador, campeão mundial em 1998, como jogador.

Essa é a terceira eliminação francesa para a Alemanha em um Mundial. Em 1982 e 1986, a derrota foi na semifinal. O único confronto em que venceu o rival europeu na história da competição foi em 1958, na decisão do terceiro lugar.