Atletismo - ( - Atualizado )

Com validade no fim, Vanderlei planeja disputar maratona em 2015

São Paulo (SP)

Aos 45 anos, Vanderlei Cordeiro de Lima, aposentado desde 2008, sente falta de competir. No dia em que comemorou mais um aniversário da medalha de bronze conquistada nos Jogos de Atenas 2004, ele avisou que pretende disputar uma maratona novamente em 2015 apenas pelo prazer de correr.

Especialista na distância, o brasileiro conquistou resultados expressivos ao longo da carreira, como o bicampeonato nos Jogos Pan-americanos (Winnipeg 1999 e Santo Domingo 2003) e os triunfos em Tóquio 1996 e Hamburgo 2004, além da medalha de bronze olímpica.

“É difícil ficar fora e foi complicado tomar a decisão de encerrar a carreira, porque nada preenche aquilo que a pessoa mais gosta de fazer. Quando você sai do meio, parece que algo foi retirado. Esse pedaço me falta, mas sempre penso que dei o melhor dentro das minhas possibilidades”, afirmou, nesta quinta-feira.

Desde que se aposentou, Vanderlei Cordeiro de Lima atua como padrinho da equipe BM&FBOVESPA. Ele diminuiu a intensidade dos treinamentos, mas procura manter a forma – atualmente, em função de uma lesão muscular na panturrilha, está inativo.

Vanderlei disputou uma maratona pela última vez em Paris 2009. Ele cogitou participar de uma prova da distância novamente em 2014, mas precisou mudar de planos em função da lesão muscular. Sentado do lado de Ricardo D’Angelo, seu ex-técnico, o medalhista olímpico brincou.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Com saudades de competir, Vanderlei Cordeiro de Lima deve disputar uma maratona novamente em 2015
“Acho que meu prazo de validade já está no fim, mas a vontade de correr continua viva. Mesmo sem buscar resultado, quero disputar uma prova de 42.195 km novamente. Vou falar com meu técnico para ver se posso participar no ano que vem. Tive uma vida dedicada ao esporte e não é bom parar totalmente”, declarou.

Com a aposentadoria de Vanderlei, Marilson Gomes dos Santos, tricampeão da Corrida Internacional de São Silvestre, assumiu a condição de principal fundista brasileiro. Aos 37 anos, ele estuda a possibilidade de disputar os Jogos do Rio de Janeiro 2016.

“Não fui o melhor atleta do Brasil. Existiram e existem outros com maior potencial, mas espero que todos tenham o mesmo comprometimento, disciplina e vontade de vencer que eu tive”, declarou Vanderlei, admirador do sucessor Marilson, também integrante da BM&FBOVESPA.