Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Abatidos, atletas do Verdão veem queda como realidade e assumem culpa

São Lourenço da Mata (PE)

“Agora é falar pouco e reverter essa situação. Sabemos que, se a vitória não vem, fica difícil... E o time começou bem... Vamos sair dessa.” As declarações de quem não consegue encontrar palavras para explicar a presença na última colocação do Brasileiro são de Marcelo Oliveira, um dos líderes do elenco. Abatidos, os jogadores do Palmeiras já admitem o rebaixamento como realidade e assumem a culpa pela situação.

“A responsabilidade é nossa, dos jogadores. Estamos fazendo o possível, mas a bola não está entrando. A sorte não está do nosso lado, infelizmente”, disse o goleiro Fábio, que nesta quarta-feira empatou o jogo na virada sofrida diante do Sport marcando um gol contra no qual garante não ter falhado.

Mas erros como desta noite colocam o time como o pior do Brasileiro e transformam a volta à segunda divisão como um fantasma ainda mais real. “Olhando os números, o rebaixamento é uma realidade. Mas ainda dá tempo de melhorar”, falou Victorino, outro que teve má atuação, em seu primeiro jogo oficial desde setembro de 2012.

Ao Verdão, só resta esperança. “Estamos no primeiro turno ainda, e só nós podemos sair dessa situação. As estatísticas não ajudam, mas temos que manter a cabeça no lugar e trabalhar, porque é difícil. O que precisamos é ganhar. Ganhando, vamos adquirindo confiança e espantando essa má fase que não sai do nosso pé”, continuou Fábio.

Divulgação
Time tenta controlar abatimento para sair logo da lanterna e evitar rebaixamento (Cesar Greco/Ag Palmeiras)
“Começamos muito bem o jogo, mas, depois de fazermos o gol, ficamos muito perdidos em campo. Isso não pode acontecer mais. Precisamos atuar do início ao fim como começamos hoje. Temos que trabalhar”, indicou Victorino, repetindo o termo “trabalho” que quem deu entrevistas após o jogo usou seguidamente.

Parece realmente complicado explicar como o Verdão está há dez rodadas sem vencer na competição. “Não dá para explicar”, limitou-se a responder Victor Luis. “Não sei, está difícil. Vamos trabalhar para melhorar”, afirmou Henrique, autor do gol e também acrescentando pouco ao se manifestar publicamente.

No discurso, ao menos, o elenco inocenta o técnico Ricardo Gareca. “O Gareca está fazendo de tudo e assimilamos muitas coisas dele. Só que futebol é resultado e, como eles não estão acontecendo, vem essa pressão e desconfiança. Mas todos confiamos no Gareca e no seu trabalho, é um treinador muito bom taticamente e uma pessoa fantástica”, defendeu Fábio.