Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Contra o Botafogo, Leandro Damião ganha mais uma chance

Santos (SP)

Leandro Damião ainda não viveu uma boa fase desde que chegou ao Santos, no início da temporada. E o centroavante não pode se queixar da falta de oportunidades. Cobrado e pressionado fortemente pela torcida santista, o camisa 9 sempre contou com o respaldo do técnico Oswaldo de Oliveira, que em determinado momento se irritou com as piadas feitas em cima de Damião.

"O Damião, sem dúvida, é fazedor de gols, só está passando um momento difícil físico e psicológico pela transação. Mas, no Brasil, fazem muita piada, gozam as pessoas que, às vezes, é de forma muito obscena. Se respeitássemos mais, as pessoas teriam mais condições de produzir", disse o técnico em outrora.

Entretanto, com a boa fase de Gabriel, artilheiro do peixe na temporada e no Campeonato Brasileiro, e com a chegada de Robinho, craque e ídolo no clube, Damião acabou indo para o banco de reservas na partida da última quinta-feira, contra o Grêmio, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, entrando apenas nos minutos finais do jogo.

Divulgação/Santos FC
Leandro Damião terá mais uma chance de mostrar serviço neste domingo (Crédito: Vinicius Vieira/Santos FC)
“Damião entrou bem”, comentou Oswaldo de Oliveira depois do jogo, citando um lance em que o jogador por pouco não marcou um golaço. Porém, neste domingo, contra o Botafogo, no Maracanã, Leandro Damião terá mais uma oportunidade de mostrar serviço, pois Gabriel está suspenso graças ao terceiro cartão amarelo recebido no clássico contra o São Paulo, no último domingo, após tirar a camisa ao comemorar seu gol.

Semana passada, contra o Atlético-PR, o atacante abriu caminho para a vitória contra o Atlético-PR, quebrou um jejum pessoal de quase cinco meses e saiu de campo aplaudido. Se sair bem contra o Fogão pode ser fundamental para o futuro do jogador no alvinegro praiano, principalmente no momento que seu nome começa a aparecer em especulações de transferência.

Vale lembrar que Damião tem cinco anos de contrato com o Santos, recebe o maior salário do elenco e foi tirado do Internacional por R$ 42 milhões, investidos pelo grupo maltês Doyen Sports. Foi a maior transferência entre clubes brasileiros na história.