Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Corinthians se manda ao ataque, vira jogo e goleia o Goiás em Itaquera

São Paulo (SP)

Nenhum torcedor pode se queixar de um comportamento defensivo do Corinthians contra o Goiás. A formação alvinegra se lançou ao ataque o jogo inteiro, expondo a defesa, sofrendo com isso, ficando duas vezes atrás no placar e, enfim, conseguindo uma vitória por 5 a 2 em Itaquera.

O resultado na zona leste de São Paulo colocou os comandados de Mano Menezes na terceira colocação do Campeonato Brasileiro, com os mesmos 31 pontos do vice-líder Internacional. A equipe de Ricardo Drubscky, estacionada nos 20 e derrotada pela quarta vez seguida, está em 11º lugar.

O placar não mostra quão difícil foi a partida, mas o Corinthians cumpriu a promessa de Mano, atacando com muito mais gente e menos precaução. Saiu atrás em falha defensiva aproveitada por Thiago Mendes, empatou de cabeça com Guerrero e voltou do intervalo com um comportamento ainda mais kamikaze.

A equipe levou mais um gol em cobrança de falta – Jackson cabeceou em posição legal, apesar da reclamação e da subsequente expulsão de Mano – e empatou com Elias, em posição duvidosa. Já na parte final do jogo, Luciano, que entrara no intervalo e havia cometido erros, fez os três gols que definiram o placar.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Luciano não foi bem em seus primeiros lances, mas se recuperou com três gols
Corinthians ofensivo
Com o comportamento ofensivo prometido por Mano, o Corinthians começou a partida de maneira agressiva, frequentando perigosamente a área do Goiás. No entanto, logo aos dez minutos, Gil saiu para um bote em Bruno Mineiro, que fez o pivô no círculo central e permitiu que David deixasse Thiago Mendes na cara do gol.

A chance não foi desperdiçada, e a torcida alvinegra tentou empurrar seu time ao empate. A equipe respondeu mantendo-se na frente, criando problemas ao adversário com o ótimo trabalho de Guerrero pela esquerda e a articulação de Elias, Jadson e Renato Augusto.

O Goiás fechava o meio com alguma dificuldade, com David e Thiago Mendes, e encontrava muitos problemas pelos lados, onde laterais e meias do Corinthians – com a chegada até de Ralf – levavam vantagem numérica. Os cruzamentos se tornaram bastante frequentes e uma pressão foi estabelecida.

Os donos da casa puseram várias bolas na área em sequência de escanteios até que, aos 21 minutos, a batida de Jadson pela direita encontrasse Guerrero. A heroica cabeça do peruano botou a bola no canto direito de Renan, e o empate não diminuiu o ímpeto corintiano.

Maior ofensividade também representou maiores riscos na defesa, desprotegida em alguns momentos, e o Goiás conseguiu chegadas perigosas, aproveitando especialmente a má jornada defensiva dos laterais. Houve sustos para os anfitriões e boas oportunidades no ataque, sendo as melhores em chute da meia-lua de Elias e em cabeceio de Romero. Renan foi bem nas duas.

Luciano faz a festa
Após os tradicionais gritos de “ingresso mais barato, ô, ô, ô, ô” do intervalo, Mano trocou Romero, com quem havia demonstrado irritação, por Luciano. O atacante entrou pela direita, Jadson foi centralizado, e o time passou a arriscar ainda mais, subindo, em várias ocasiões, com todos os atletas que não se chamavam Gil, Anderson Martins e Ralf.

Foi assim que Guerrero fez ótima jogada pela esquerda, achando Luciano na área, mas a fome do reserva impediu que Jadson recebesse na cara do gol. Minutos mais tarde, o camisa 18 voltaria a mostrar individualismo, desperdiçando jogada na área. Do outro lado, exposto, Cássio teve de fazer um milagre em chute de fora de Bruno Mineiro.

O jogo tomou um ritmo frenético, com o Corinthians se mandando com muita gente ao ataque e sofrendo na defesa. Luciano saiu na cara de Renan e bateu para fora. Elias cabeceou e obrigou Renan a fazer ótima defesa. Aos 14, em uma cobrança de falta – com a zaga, portanto, postada –, Jackson apareceu livre para marcar de cabeça.

Os corintianos reclamaram muito – sem razão – de impedimento, e Mano Menezes foi expulso. Os donos da casa seguiram no ataque e conseguiram novo empate aos 19, quando Guerrero cruzou da esquerda e viu a zaga cortar parcialmente. Renato Augusto pegou o rebote e teve o chute desviado. Elias, em posição duvidosa, porém aparentemente legal, completou.

O próprio Elias quase virou do cabeça, e Mano resolveu apostar na estreia de Lodeiro. O Goiás, recusando-se a apenas defender, colocou Murilo – Erik já estava em campo. Manteve-se o ritmo alucinante, que indicava: era muito provável que haveria um vencedor.

Renan fez mais uma ótima defesa em chute de Luciano, mas não conseguiu encontrar a bola pouco depois, aos 32, quando Lodeiro bateu falta sofrida por Fagner. Luciano desviou de cabeça e fez explodir o estádio de Itaquera. O mesmo Luciano, aproveitando as investidas do Goiás, usou o pé esquerdo em jogadas rápidas, aos 39 e aos 43, para definir a goleada.

Nervosa até ali, a torcida do Corinthians fez festa com gritos de “olé”, avisou que é do time “que vai ser o campeão” e caçoou do arquirrival Palmeiras, lanterna do Campeonato Brasileiro.