Futebol - ( - Atualizado )

Corinthians tenta equilibrar força na criação com segurança na defesa

São Paulo (SP)

O Corinthians adotou um comportamento bem mais ofensivo nas duas últimas partidas, construindo oportunidades de gol em volume consideravelmente maior. Também perdeu consistência defensiva, sendo vazado quatro vezes nos confrontos com Goiás e Grêmio.

Antes da vitória por 5 a 2 sobre o time esmeraldino e da derrota por 2 a 1 para a formação tricolor, os comandados de Mano Menezes não haviam levado dois gols em um jogo em nenhuma oportunidade no Campeonato Brasileiro. Essas duas partidas foram as primeiras de Anderson Martins, substituto do negociado Cleber.

“A zaga com o Cleber e o Gil estava entrosada, os dois sabiam bem o posicionamento. Com o Anderson, tem que ter um pouco de calma, porque é um belo zagueiro, de muita técnica, joga firme. Com o tempo, ele vai se entrosar, e a zaga vai ficar como estava nos outros jogos”, afirmou o meia Jadson.

Divulgação/Agência Corinthians
Comandada por Gil, a defesa do Corinthians ainda é a menos vazada do Brasileiro (foto: Daniel Augusto Jr.)
A mudança no miolo de zaga não foi a única, já que o meio-campista marcador Petros foi trocado por um jogador mais criativo – Renato Augusto contra o Grêmio, Lodeiro contra o Goiás. Mano ainda deu liberdade para os laterais avançarem simultaneamente, tendo como preço uma exposição maior da defesa.

“Com outro meia de criação, a gente conseguiu chegar mais vezes ao ataque, mas isso é muito da visão do treinador. Eu e o Renato ou eu o Lodeiro, a gente vai conversando para ajudar a marcação. Não é a mesma coisa do que ter um volante, mas a gente procura fechar os espaços”, disse Jadson.

Para o camisa 10, a experiência deu bom resultado, apesar da derrota no Rio Grande do Sul. É provável que ele volte a ter companhia na armação na próxima quarta-feira, contra o Bragantino, em Cuiabá, pela Copa do Brasil. “O Mano sabe o que fazer nos próximos jogos”, concluiu.