Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Cruzeiro toma susto, mas vira jogo contra a Chapecoense no Mineirão

Belo Horizonte (MG)

Líder do Campeonato Brasileiro, campeão do primeiro turno por antecipação e jogando um futebol convincente, fatores que apontavam um jogo tranquilo para o Cruzeiro contra a Chapecoense, neste sábado, no Mineirão. Mais dentro de campo, a história foi diferente, os catarinenses chegaram a abrir o placar, mas tomaram a virada, 4 a 2, revés vendido caro para os mineiros.

Zezinho quase sem querer abriu o placar desviando chute de Dedé. Na etapa final, o Cruzeiro reagiu em dois minutos e virou o jogo com gols de Léo e Marcelo Moreno, ambos de cabeça. Ainda teve tempo para Alisson fazer o terceiro, Bruno Rangel diminuir e novamente Marcelo Moreno fechar o marcador. Com a vitória, o Cruzeiro chega aos 42 pontos e fica ainda mais tranquilo na liderança do Brasileiro. Já a Chapecoense segue com 19 pontos, em zona perigosa da tabela.

Na sequência do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro terá compromisso no feriado de 7 de setembro, enfrentando o Fluminense, no Maracanã, mas antes a Raposa enfrenta o Santa Rita, em Alagoas, pela Copa do Brasil. Já a Chapecoense recebe no próximo sábado o Goiás, na Arena Condá.

Divulgação
Everton Ribeiro teve mais uma atuação digna da sua convocação (foto: Gualter Naves/Light Press)
O jogo – A Chapecoense veio ao Mineirão com o claro objetivo de segurar o Cruzeiro e tentar um empate no Gigante da Pampulha. O time catarinense não teve vergonha de recuar as linhas de marcação e tentar o ataque somente através da ligação direta da defesa para o ataque.

Com essa postura, a Chapecoense conseguiu impedir a Raposa de imprimir um ritmo acelerado ao duelo. O time de Marcelo Oliveira, porém, não se mostrou ansioso para chegar ao gol e passou a girar a bola de um lado para outro para tentar encontrar os espaços confundindo a marcação da equipe visitante.

Com a partida desenhada dessa forma, o que parecia improvável acabou acontecendo no Mineirão. Aos 11, o meia Dedé arriscou uma chute despretensioso quase do meio-campo, a bola desviou em Zezinho, que quase sem querer enganou o goleiro Fábio e abriu os trabalhos em Belo Horizonte. Com a abertura do placar, os catarinenses recuaram ainda mais.

O Cruzeiro então iniciou uma espécie de blitz contra a Chapecoense, mas apesar de jogar praticamente só no campo de ataque, os celestes não conseguiram um grande número de finalizações. Preocupado, o técnico Marcelo Oliveira procurou orientar os comandados à beira do campo, tentando acertar o posicionamento.

Divulgação
Decisivo, Marcelo Moreno anotou dois gols no Mineirão e saiu ovacionado (foto: Gualter Naves/Light Press)
Como estava complicado chegar tocando a bola, o boliviano Marcelo Moreno resolveu arriscar um tiro de longa distância que obrigou o goleiro Danilo a se esticar todo para mandar para escanteio. Mesmo empenhado na perseguição ao gol, o primeiro tempo passou em branco para o Cruzeiro, surpreendendo muita gente.

Depois de insistir muito nas bolas aéreas, o treinador celeste resolveu mexer na equipe: tirou Willian e colocou Alisson, com a clara intenção de imprimir velocidade no jogo. A estratégia surtiu efeito logo aos quatro minutos, com Alisson cruzando e Léo desviando de cabeça para empatar o jogo e levar o torcedor cruzeirense à loucura no Mineirão.

Arte GE.Net
A virada veio dois minutos depois, com o avante Marcelo Moreno, que aproveitou cruzamento perfeito de Mayke para testar para as redes de Danilo, fazendo o Gigante da Pampulha entrar em êxtase total. A Raposa seguiu agredindo, e aos 12 Alisson foi esperto para mostrar oportunismo e marcar o terceiro após um cruzamento da direita.

No primeiro ataque da Chapecoense no segundo tempo, o artilheiro Bruno Rangel voltou a marcar após dez jogos. Tiago Luís fez boa jogada pela esquerda e o atacante empurrou para as redes. Aos 25, um minuto depois do gol dos catarinenses, Marcelo Moreno voltou a entrar em ação e fez o quarto tento dos celestes, assumindo a artilharia do Brasileiro, com nove gols, e fechando o marcador.