Futebol/Campeonato Brasileiro Série A - ( - Atualizado )

Demitido do Vitória, Jorginho entende falta de paciência da diretoria

Salvador (BA)

Jorginho não é mais treinador do Vitória. O ex-comandante rubro-negro chegou ao terceiro jogo sem triunfar no Campeonato Brasileiro e foi comunicado da decisão após a derrota para o Coritiba, por 2 a 0, nesta quarta-feira. Ainda assim, já substituído por Ney Franco, mostrou ser bastante compreensivo com a mudança, pois o clube baiano é obrigado a conviver com a falta de paciência.

“Não dá para dizer que é só um fator (que explica a demissão), vem de tudo, vem de uma pressão natural em cima do presidente e em cima de todo mundo. Os resultados não foram bons, e eles não têm paciência, oque é natural também para uma cidade de duas equipes. A pressão é grande”, explicou Jorginho, em entrevista ao Nordeste Futebol Clube, da Rádio Gazeta AM.

De acordo com o ex-treinador, o momento exige paciência de todos os lados, não apenas dos diretores, que, segundo ele, estão fazendo de tudo para tirar o Vitória da briga contra o rebaixamento. Desta forma, para Jorginho, resta ao torcedor mostrar um apoio incondicional ao Leão da Barra na sequência da competição.

Divulgação
O treinador Jorginho se mostrou bastante compreensivo após a decisão da diretoria nesta quarta-feira
“Para voltar a vencer tem que ter paciência, e o torcedor precisa dar uma força para o clube, não adianta pressionar mais. Eles já estão muito pressionados, o presidente está fazendo o que pode, agora é momento de aplaudir, dar moral aos jogadores, para dar a volta por cima e ter confiança novamente”, acrescentou o treinador, que também falou sobre os problemas para trabalhar com o elenco.

“Treinamos durante trinta dias, e os reforços começaram a chegar praticamente na última semana de trabalho apenas. Tanto é que até domingo, eu tinha três jogadores estreando. É muito difícil fazer uma coisa muito rápida. Mas a decisão foi tomada, eu respeito, porque os dirigentes estão sempre tentando fazer o melhor”, resignou o ex-comandante do Vitória.

Ainda assim, mesmo com as dificuldades para trabalhar, o treinador saiu em defesa do elenco, dizendo que é possível obter melhores resultados de houver paciência no Barradão. “Não é um time tão ruim, é um time bom, dá para se ajeitar, mas tem que ter paciência e um pouquinho de tempo para acertar os jogadores. Tem hora que demora um pouquinho até descobrir o elenco”, completou.