Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Gol de pênalti de Ceni evita revés do São Paulo para Figueirense

Florianopolis (SC)

Vindos de cinco rodadas de invencibilidade (quatro vitórias e um empate), Figueirense e São Paulo igualaram forças na tarde deste domingo, no Orlando Scarpelli. A equipe catarinense saiu em vantagem no marcador, no segundo tempo, mas mais tarde sofreu o empate por 1 a 1, em cobrança de pênalti do goleiro Rogério Ceni. Nos minutos finais, Michel Bastos foi expulso, o que não comprometeu o resultado.

O empate tira o São Paulo da vice-liderança, mas o mantém dentro do G-4, na terceira colocação, com 33 pontos, por conta do confronto direto entre Corinthians e Fluminense. O Figueirense, por sua vez, segue relativamente distante da zona de rebaixamento, agora com 21 pontos ganhos, cada vez mais próximo da faixa intermediária da classificação.

Os dois times voltam a campo pelo Brasileiro no próximo domingo. Depois de compromisso pela Copa Sul-americana (na quinta-feira, contra o Criciúma, no Morumbi), o São Paulo receberá o Sport, enquanto a equipe catarinense atuará contra o Internacional, no Beira-Rio.

Rubens Chiri/www.saopaulofc.net
Giovanni Augusto abriu o placar após rebote oferecido por Rogério Ceni, que foi o autor do gol de empate
Derrotado no meio de semana pela Copa Sul-americana, o São Paulo defendia a mesma invencibilidade de cinco rodadas do adversário na competição nacional. Mas sem o lateral esquerdo Álvaro Pereira, o meia Paulo Henrique Ganso e o atacante Alexandre Pato, todos suspensos. Por outro lado, voltavam o meia Kaká e o atacante Alan Kardec, além de Rafael Toloi, que substituiu Lucão. Na esquerda, a solução encontrada por Muricy Ramalho foi Michel Bastos. O treinador também abdicou de um meia para reforçar o ataque com Osvaldo.

A nova formação tática, desenhada em 4-2-3-1, inicialmente atraiu o Figueirense, que dominou as ações nos primeiros dez minutos. O jovem atacante Clayton foi acionado duas vezes com perigo dentro da área. Na primeira, não fez bom domínio. Depois, tirou Michel Bastos da jogada com o peito e finalizou mal, da entrada da área. Atento, o goleiro Rogério Ceni ainda interceptou alguns cruzamentos com bom tempo de bola para deixar a meta.

O primeiro golpe ofensivo do São Paulo demorou um pouco mais, mas quase resultou em gol. Aos 13 minutos, Alan Kardec recebeu passe de Kaká perto da pequena área, girou e bateu rasteiro, de primeira. O goleiro Tiago Volpi, principal destaque na atual recuperação da equipe treinada por Argel Fucks, fez a defesa com o pé direito. O Figueirense respondeu nove minutos mais tarde, quando Clayton passou por Paulo Miranda e saiu cara a cara com Rogério Ceni, mas viu o goleiro chegar antes na dividida e quase se machucar para afastar.

Mais equilibrada a partida, o São Paulo chegou novamente com perigo aos 27 minutos. Kaká tabelou com Osvaldo, que aparecia bem em velocidade sempre que acionado, e recebeu com liberdade na entrada da área. Diante da saída de Tiago Volpi, entretanto, o meia não finalizou tão bem, e o goleiro pôde espalmar a bola, batida à meia altura. Além disso, o único arremate com algum perigo foi de Rafael Toloi, rente à trave esquerda, em rebote do goleiro após escanteio.

No intervalo, o Argel Fucks fez sua primeira substituição, sacando Thiago Heleno (com dores) para colocar Nirley. Mal deu tempo para o novo zagueiro tocar na bola, e a equipe abriu o placar do Orlando Scarpelli. Aos dois minutos, após bola perdida por Paulo Miranda no campo de ataque, o Figueirense avançou pela esquerda com Clayton, que fez ótima invertida a Giovanni Augusto. Ele invadiu a área e tentou encobrir Rogério Ceni, que ainda deu um tapa na bola. No rebote, o meia não desperdiçou e concluiu para a rede.

O São Paulo poderia ter empatado em cabeceio de Alan Kardec, mas Tiago Volpi espalmou para escanteio. A defesa do Figueirense só viria a chamar atenção de forma negativa. Após boa jogada ofensiva do São Paulo pelo lado direito, Paulo Roberto derrubou Osvaldo na área e cometeu pênalti. Rogério Ceni bateu com categoria, no canto direito, oposto ao escolhido por Tiago Volpi, e empatou. Com o marcador igualado, os dois times se dividiram entre buscar a vitória ou evitar a derrota. Aos 42 minutos, Michel Bastos dividiu com Leandro Silva e foi expulso por, caído, ter acertado a chuteira no rosto do adversário. Mesmo assim, o placar não foi mais alterado.