Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Gareca só joga ofensivamente e diz ter fé, mas Lúcio vê time exposto

São Paulo (SP)

Diante de um adversário com presença praticamente fixa entre os quatro primeiros colocados do Campeonato Brasileiro, Ricardo Gareca não realizou nenhum trabalho técnico ou tático, montou a equipe com um volante, dois meias e três atacantes e o Palmeiras perdeu do Inter por 1 a 0. Mesmo assim, o técnico se diz ofensivo e não abre mão de seu estilo, enquanto o capitão Lúcio já enxerga o time exposto.

“É complicado, o time fica exposto. Mas a decisão é do treinador. O relacionamento entre ele e os atletas é bom, está tudo tranquilo, mas não temos autonomia para se envolver nesses assuntos. Temos que obedecer as ordens táticas e tentar fazer o melhor”, comentou o zagueiro, que, antes da chegada do argentino, já tinha se posicionado contrariamente à contratação de um treinador estrangeiro.

Mas Gareca joga para frente e não vai mudar. “Jogo para ganhar e tenho um estilo para ganhar. O Palmeiras é o clube com mais títulos do Brasil, precisa ter mentalidade de time grande, sair para ganhar em qualquer cenário e ter time para isso. Em um momento difícil como esse, precisamos mentalidade ganhadora. Em meu país, sempre tive time que tratava de jogar bem, não esperar a partida. Senão, tem que contratar outro”, avisou.

Para manter a sua filosofia, apesar de ter acumulado já oito derrotas no Verdão, o argentino se baseia em suas crenças para ainda acreditar em evolução. “Tenho fé que o time pode melhorar. Por quê? Porque sou um homem de fé. Estou golpeado, com mais dor do que qualquer jogador e torcedor, mas sou um homem de fé. Só olho para frente, não para trás”, avisou, apostando no elenco.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Capitão tenta evitar crítica, mas relata falta de proteção para a zaga em meio à luta contra rebaixamento
“Qualidade não falta. Confio no plantel para sair dessa situação. Sofremos gols que se podem evitar e isso acaba com a confiança. Lamentavelmente, estamos com essa sorte modificada. Mas, em algum momento, temos que mudar. Vamos conversar e seguir trabalhando. Vamos sair juntos”, prometeu.

E é saindo junto, e obedecendo o técnico, que Lúcio deseja afastar a possibilidade de rebaixamento. “A partir de agora é procurar buscar aquele algo mais, independentemente de tática ou técnica. Temos que jogar com mais esperança e determinação. Neste momento, companheirismo é ideal. Estamos em uma situação muito ruim, somente unidos e trabalhando muito vamos sair dela”, indicou o zagueiro.