Futebol/Campeonato Brasileiro Série A - ( )

Invicto à frente do Figueirense, Argel Fucks evita fazer projeções

Florianópolis (SC)

Depois de começar o Brasileiro indo de mal a pior, o Figueirense vive uma boa fase e aproveita a sequência de resultados positivos. Após assumir a equipe catarinense ainda na lanterna, o técnico Argel já soma cinco jogos de invencibilidade, com quatro vitórias e um empate, resultado que coloca o time na 12ª posição, com poucos riscos de rebaixamento até o momento.

Ciente do salto que os catarinenses deram na classificação geral, o comandante evita fazer projeções futuras, sabendo do alto nível de disputa da Série A, e aproveita para ressaltar a necessidade de trabalhar jogo a jogo atrás do resultado. “Não, não vamos colocar o carro na frente dos bois, não é esse o nosso objetivo. Se a gente perdesse aqui, estávamos lá embaixo na tabela. A faca está no pescoço, e teremos um jogo importantíssimo contra o São Paulo, na próxima rodada”, comentou.

Ao avaliar o triunfo de 1 a 0 sobre o Vitória, fora de casa, resultado que significou a primeira derrota do Leão no Barradão neste Brasileiro, Argel fez questão de elogiar a atuação da equipe como um todo, sem particularizar atuações. “O time provou novamente que sabe jogar futebol. A equipe buscou a velocidade e fez a defesa adversária trabalhar. Acho que merecemos a vitória pelo volume de jogo que tivemos e pela qualidade que mostramos”, apontou.

Divulgação/Figueirense F.C.
Principal responsável pela arrancada do time na classificação, Argel quer continuar pensando jogo a jogo

Apesar de ser ponderado em suas colocações, Argel não escapou da polêmica ao comentar o pênalti duvidoso assinalado pelo árbitro Marcelo de Lima Henrique, que foi desperdiçado por Juan. “Tivemos um pênalti duvidoso, para não dizer vergonhoso, marcado contra nós. É duro jogar contra o Vitória e contra a arbitragem. Como estávamos à frente do placar, ele quis compensar para o adversário de alguma forma. Só que tem um ditado no futebol: pênalti que não é, não entra”, comentou. “A bola não teria batido só se Leandro Silva cortasse o braço”, brincou o técnico.

Sobre o confronto da próxima rodada, diante do São Paulo, quando o Figueira volta a jogar ao lado da torcida, Argel ressaltou a importância do torcedor no processo de apoiar a equipe em busca de mais um bom resultado. “É importante o torcedor lotar o estádio para aumentar ainda mais a química entre o time e a torcida. Vamos buscar mais um resultado positivo no domingo”, considerou.