Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Juninho admite surpresa como titular e usa aprendizado de queda

São Paulo (SP)

O lateral esquerdo Juninho foi a principal surpresa na escalação do técnico Ricardo Gareca para a partida contra o Coritiba. Sem jogar depois da paralisação para a Copa do Mundo, o jogador foi colocado na vaga de Victor Luis e marcou o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Coritiba, na noite deste sábado, no Pacaembu.

“Antes do jogo, nós não treinamos com a equipe titular. Eu estava preparado, mas não imaginava que sairia jogando, até que hoje (sábado), na preleção, vi meu nome e fiquei feliz. Falei com o Victor que somos um pelo outro e que temos de estar juntos para sair desta situação. Eu me dediquei, e as coisas aconteceram naturalmente”, afirmou.

O gol do lateral esquerdo saiu aos 13 minutos do primeiro tempo, depois de boa jogada de Marcelo Oliveira. Na comemoração, Juninho chamou os colegas para abraçar quem estava no banco de reservas, na esperança de que, a partir de agora, o Verdão se distancie cada vez mais da área de perigo.

O jogador conhece muito bem a pressão de lutar contra a queda para a segunda divisão, pois já estava no clube em 2012, quando acabou rebaixado. Assim, neste novo momento complicado, Juninho entende que tem condições de contribuir com as lições do passado.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Juninho confirmou que pediu para não fazer sétimo jogo, quando ainda estava em dúvida se ficaria no clube
“Aquilo serviu de aprendizado e eu não queria estar nesta situação de novo, nem com qualquer outra equipe, mas aprendi a ter tranquilidade e a não ligar para críticas. Eu ouvia muito e guardava para mim, mas agora limpei as coisas negativas e sigo trabalhando, este é o segredo”, comentou.

Juninho estava sem jogar desde antes da paralisação para a Copa do Mundo, pois, depois de ter perdido espaço no time, tinha o interesse de se transferir para outra equipe. O principal candidato a ficar com o jogador era o Fluminense, mas não houve acordo.

“Como não ia renovar, pedi para a diretoria para eu procurar outro clube na parada (do campeonato). Nunca pedi para não jogar, mas falei para não completar o sétimo jogo, só isto. E, se não tivesse nada, eu continuaria no Palmeiras até o fim do contrato. Muitos entenderam errado, que eu não queria jogar mais no Palmeiras, mas sou humilde para caramba, vim de um time menor e jamais falaria que não queria jogar em uma equipe desta”, completou, citando no número de partidas que não poderia atingir pelo Verdão na Série A se quisesse se transferir para outra agremiação.

O atleta tem vínculo até o fim do ano e acabou substituído por Victor Luis no segundo tempo contra o Coritiba, em função de cãibras. No momento em que deixava o campo, o lateral esquerdo foi aplaudido, até porque seu gol tirou o Palmeiras da zona de rebaixamento, ocupando agora o 15º lugar, com 17 pontos. Para não voltar à área de risco no complemento da rodada, o time precisa torcer contra concorrentes diretos.