Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Kardec diz respeitar ex-clube, releva vaias e celebra fase em clássicos

São Paulo (SP)

Pivô de uma enorme polêmica entre os presidentes de Palmeiras e São Paulo, Alan Kardec foi decisivo no encontro entre as duas equipes, neste domingo. Em seu primeiro clássico com a camisa tricolor, o jogador marcou o gol da vitória por 2 a 1, mas negou ter sentido uma motivação a mais no compromisso diante de seu ex-clube.

“Tem um sabor igual, foi uma vitória. Respeito muito o Palmeiras, por ser um clube em que fui muito feliz e fiz grandes amigos. Desde que cheguei até minha saída, fui tratado da mesma maneira por todas as pessoas. Sabem que sou uma pessoa de caráter, humilde e que nunca faltou com respeito com o Palmeiras. Tem gente que considero como parte da minha família”, afirmou.

Hoje no São Paulo, Alan Kardec iniciou sua trajetória no Alviverde no meio de 2013, emprestado por uma temporada pelo Benfica. Neste ano, Paulo Nobre tinha tudo certo para adquirir do clube português os direitos do atacante, mas as negociações com o próprio atleta emperraram.

Em meio ao impasse do rival com os representantes do jogador, o São Paulo acertou a contratação, fazendo acordo com o Benfica e chegando a acordo de salário com Kardec. A negociação revoltou Nobre, que trocou ofensas públicas com o mandatário são-paulino Carlos Miguel Aidar.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Alan Kardec recordou momento que viveu no Palmeiras e disse que respeita seu ex-clube
Neste domingo, o reencontro de Kardec com o ex-clube foi cercado de expectativa, e o atacante foi vaiado pelos palmeirenses, presentes em maioria no Pacaembu, pelo mando ter sido do clube.

“O complicado é quando tem a torcida do seu time contra você. Aconteceram muitas coisas e pegaram no pé, mas eu estava preparado. Fiquei feliz por ter ajudado o São Paulo”, minimizou o atacante.

Ao balançar a rede do Palmeiras, Kardec confirma ainda ser eficiente em clássicos. No primeiro semestre, com a camisa alviverde, o jogador deixou sua marca na derrota por 2 a 1 para o Santos, no empate por 1 a 1 contra o Corinthians e no triunfo por 2 a 0 sobre o Tricolor.

“Chega a ser engraçado, mas fiz gols em todos os clássicos este ano, nos quatro grandes de São Paulo. Fico feliz, por minha vontade de jogar e colocar meu trabalho em campo. Tenho pessoas aqui que me respeitam, confiaram em mim e me valorizaram”, completou.