Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Kardec manda mensagem a Fábio e não vê Palmeiras na Série B

São Paulo (SP)

Autor do gol da vitória por 2 a 1 no clássico deste domingo, Alan Kardec se solidarizou com Fábio, seu ex-companheiro de Palmeiras. À noite, o atacante enviou uma mensagem de texto ao amigo a fim de lhe transmitir apoio diante das críticas recebidas pela atuação no Pacaembu. O goleiro de 24 anos teve participação negativa nos dois gols do São Paulo.

O primeiro, anotado por Alexandre Pato, teve origem em reposição de bola ruim. No segundo, de Kardec, Fábio espalmou mal, a bola tocou a trave e suas costas e entrou, definindo o placar. O próprio palmeirense, ao deixar o gramado, admitiu as falhas, mas prometeu trabalhar para se recuperar no Campeonato Brasileiro.

"Ele foi muito crucificado", disse Kardec, nesta segunda-feira. "Falei para ele olhar um pouco para trás, as defesas que fez contra o Atlético-MG. É um goleiro com potencial enorme, de muitas qualidades, muito novo ainda. Tenho certeza de que vai adquirir mais experiência com o (Fernando) Prass. Futebol é muito rápido. Na quarta-feira, ele faz três ou quatro defesas, e a equipe dele vence. Torço para isso, porque ele é uma pessoa de caráter, que tem muito potencial, acima de tudo".

"No segundo gol também", continuou o atacante, "as pessoas podem não ter visto, mas ele fez a defesa. Se ele não faz a defesa, a bola entra direto. Ele foi muito rápido, é que minha testada (na bola) saiu forte. Acabou tendo infelicidade de a bola ainda bater nas costas e entrar. Felicidade do meu lado. Fiquei muito feliz porque precisava desse gol para dar a vitória para a nossa equipe, mas triste, porque é um amigo pessoal. Tenho certeza de que, na próxima partida, ele estará ajudando sua equipe, fazendo excelentes defesas".

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Atacante são-paulino definiu a vitória por 2 a 1 sobre o ex-clube, no domingo, com gol sobre o amigo Fábio
Além de passar confiança ao amigo, Kardec também não acredita que seu ex-time voltará a disputar a Série B na próxima temporada, ainda que a derrota de domingo o tenha colocado na zona de rebaixamento da primeira divisão.

"Eu acredito que não será rebaixado. É complicado dizer isso, porque não estou vivendo mais aquela atmosfera. Não sei como estão as coisas lá dentro, não sei quais são os métodos de trabalho. Minha opinião é de que o Palmeiras não irá cair, porque tem peças de qualidade para isso. Só nos resta esperar os resultados", opinou o ex-palmeirense, que admitiu ter se esforçado muito para se livrar das dores no tornozelo esquerdo e não ficar fora do clássico no Pacaembu. Foi seu primeiro encontro com o clube do qual saiu para jogar no São Paulo.

"Na sexta-feira passada, foi meu primeiro dia em campo. No decorrer do treinamento, comecei a sentir bastante dor, pensei que não pudesse jogar. Mas continuei firme no treinamento. A dor deu uma aliviada no sábado, no domingo pude jogar. Eu queria jogar, porque hoje represento o São Paulo. Jogar clássicos é sempre bom, pode marcar a vida de um atleta. Tratava-se de um clássico", explicou o centroavante, sem resgatar a polêmica passada de sua troca de clube.