Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Lúcio treina mais em busca de nova resposta a clube que o humilhou

São Paulo (SP)

Na terça-feira, primeiro dia de trabalhos do Palmeiras na semana do Choque-Rei, Lúcio saía do campo após o treino com os colegas quando perguntou o horário. “Está muito cedo”, concluiu depois de saber a resposta, e trabalhou fisicamente até anoitecer. É o esforço de um veterano antes de seu segundo encontro contra o clube pelo qual se sentiu humilhado.

Se passou os últimos cinco meses de 2013 impedido até de treinar em dependências do São Paulo, o zagueiro de 36 anos, hoje, só não joga no Verdão por lesão ou suspensão, ambas situações raras. O titular da Seleção Brasileira campeã da Copa do Mundo de 2002 é capitão e líder do elenco. Não à toa, na sexta-feira, último dia de treino abertos, chamou Diogo para dar voltas no gramado como trabalho extra após o rachão.

Desde que rescindiu com o clube do Morumbi, em dezembro, Lúcio tem evitado mostrar qualquer ódio do ex-time, embora já tenha declarado que se sentiu humilhado. A diretoria chegou a se preocupar com o seu temperamento para o Choque-Rei no Paulista, mas o defensor foi um dos melhores em campo.

Na vitória palmeirense por 2 a 0, em 2 de fevereiro, Lúcio desarmou Luis Fabiano, deu chutões, executou lançamentos precisos, mostrou bom posicionamento, dividiu com força. Só faltou o gol, que poderia ter ocorrido caso tivesse dominado uma cobrança de escanteio exatamente no momento em que a torcida gritava seu nome. Até deu a característica arrancada ao ataque que tanto lhe gerou críticas no São Paulo.

Divulgação
Hoje capitão do Verdão, Lúcio teve excelente atuação no Choque-Rei de fevereiro (Cesar Greco/Ag Palmeiras)
Terminou o clássico exaltado como ídolo palmeirense. No apito final, correu com os braços erguidos e logo foi aos torcedores que estavam no tobogã do Pacaembu para jogar o seu uniforme. Fez questão de abraçar seus familiares ao sair dos vestiários. “Não levo para o lado pessoal porque existem profissionais e amigos do outro lado, mas meu coração hoje é verde e fico feliz por essa torcida”, comentou naquele dia.

Desde sua saída do São Paulo, Lúcio ainda não voltou ao Morumbi, mas tem, novamente no time anfitrião, a chance de provar seu valor de novo. O técnico Ricardo Gareca já adiantou que deve lhe pedir alguns detalhes sobre o ex-clube. Mesmo sem declarar sentir rancor, o zagueiro aceita qualquer ajuda para atrapalhar o time que enfrentará nesta tarde.