Futebol - ( - Atualizado )

Mano espera defesa segura com Martins, mas quer outro zagueiro

São Paulo (SP)

Mano Menezes gosta do futebol de Anderson Martins e não espera uma queda da defesa do Corinthians com sua entrada na vaga de Cleber, negociado com o futebol alemão. O que preocupa o treinador são as opções de banco, necessário quando Gil estiver na Seleção Brasileira e nos momentos em que houver lesão ou suspensão.

“Daqui a uns dias, vamos perder o Gil, né? Penso que você precisa sempre antever as coisas para fazer um bom planejamento. Mas, quando perde muitos ao mesmo tempo em um setor, ninguém está suficientemente preparado. A gente pode perder outro jogador por lesão e realmente ficar com insuficiência de jogadores”, afirmou o gaúcho.

Hoje, o primeiro reserva para a defesa é Felipe, que chegou a ser utilizado quando Paulo André saiu e teve um desempenho muito criticado. A outra alternativa é o garoto Pedro Henrique, promovido no início do ano após uma atuação satisfatória na Copa São Paulo de juniores.

É pouco para Mano, que preferiu não comentar a possibilidade de acerto com o ex-palmeirense Vilson, recuperado de cirurgia com médicos do Corinthians. O técnico só se permitiu fazer elogios a Anderson Martins e confirmar sua estreia na partida de quinta, contra o Goiás.

Divulgação/Agência Corinthians
A entrada de Anderson Martins deve dar maior qualidade à saída de bola (foto: Daniel Augusto Jr.)
“Ele está treinando muito bem, está bem preparado em todos os aspectos. É um jogador que reúne as condições para estar ao lado do Gil e manter a performance da defesa, que é a melhor do campeonato”, afirmou o comandante. “O mais importante é a defesa continuar a produção que está tendo. Já estarei muito satisfeito.”

Em ao menos um aspecto, o treinador aposta até em uma melhora. A segura dupla formada por Cleber e Gil tinha uma clara deficiência na saída de bola, boa qualidade do reforço. Ele entrará pela esquerda, na quarta zaga, passando Gil para a função de beque central.

“Pela característica do Anderson Martins, ele equilibra a saída de bola pelo lado esquerdo. Em função da entrada do Cleber, tivemos que recolocar o Gil pelo lado esquerdo, quando sabemos que é destro e a saída fica mais qualificada quando ele está pela direita. Com o Martins, não precisamos fazer isso”, explicou Mano.