Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Para Oswaldo, falta de atenção e sensação de alívio derrubaram o Santos

Santos (SP)

O gol de Gabriel aos 40 minutos do segundo tempo deu aos santistas uma sensação de dever cumprido. Era o empate no clássico, arrancado no fim do jogo e na casa do adversário. Porém, essa falsa impressão de ‘jogo resolvido’ é o que atrapalhou o time, na opinião do técnico Oswaldo de Oliveira.

"Houve muita (desatenção), claro. Mesmo fato que aconteceu lá (no Sul) contra o Internacional (o Peixe perdeu por 1 a 0). Na hora em que o jogador do Inter foi expulso, nosso time relaxou e tomou o gol. Hoje (domingo) foi a mesma coisa. O São Paulo chegou em uma escapada ainda no primeiro tempo. Forçamos como queríamos para chegar ao gol, forçamos pelo lado. Aí, com aquela sensação de alívio (pelo empate), acabamos desperdiçando o ponto que seria muito importante para nós", analisou o treinador do alvinegro praiano, bastante irritado com ingenuidade do time no lance crucial, como no primeiro gol, que surgiu de uma cobrança de lateral.

Ricardo Saibun/Santos FC
Para Oswaldo, o Santos poderia ter saído com a vitória se não fosse o comodismo com o empate
Ainda muito incomodado com a questão do apertado calendário brasileiro, Oswaldo ressaltou mais uma vez a falta de tempo para trabalhar com a equipe, o que na visão do treinador, é fundamental para um elenco tão jovem como é do Peixe.

"É claro que quando não preparamos a equipe durante a semana, vai ganhar o time mais pesado, que “agride” o árbitro, como fez o Corinthians, em Santos, que faz expulsar o Alison e não o Petros. Se tivéssemos tempo de trabalhar, eu iria para os jogos mais tranquilo", admitiu.