Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Presidente corintiano ofende o árbitro e promete recorrer a Marin

São Paulo (SP)

Como o técnico Mano Menezes preferiu controlar as suas críticas às arbitragens dos jogos do Corinthians, coube ao presidente Mário Gobbi se manifestar com mais irritação neste domingo. O dirigente não conteve as ofensas ao falar sobre a atuação do árbitro Paulo Henrique de Godoy Bezerra no empate por 1 a 1 com o Fluminense, em Itaquera.

“É um incompetente, um burro xucro”, ofendeu Gobbi, para quem Godoy Bezerra “parecia um boi solto” com o apito em mãos. “Quero os meus dois pontos. O que estou gastando para montar esse time? Tudo tem limite. Faltou capacitação técnica e preparo emocional”, continuou.

O presidente corintiano ainda prometeu conversar com José Maria Marin, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), sobre os supostos recorrentes erros contra o Corinthians. Ele citou o desempenho de Heber Roberto Lopes na derrota para o Grêmio como “brincadeira de criança” e insinua que o seu clube sofra represálias por causa do julgamento do volante Petros no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Fábio Santos foi um dos muitos jogadores do Corinthians que chiaram do árbitro no empate por 1 a 1
Curiosamente, Paulo Henrique de Godoy Bezerra não estava escalado para trabalhar no jogo entre Corinthians e Fluminense. Ele substituiu de última hora Sandro Meira Ricci, que se lesionou. “Ainda demos azar nesse ponto. Precisamos nos benzer para melhorar. Com o Sandro, seria um jogo mais corrido, com padrão Fifa, e não todo picadinho com faltas no meio-campo e só três minutos de acréscimo”, atacou Mano Menezes.

O técnico, portanto, não conseguiu honrar a promessa de não criticar mais a arbitragem. Mesmo mais contido, ele também contestou as faltas em Elias, embora tenha deixado os protestos mais incisivos para Gobbi. “O presidente é a autoridade máxima do clube. Se ele está adotando um posicionando, talvez tenha visto uma sequência de erros que mereça a sua intervenção”, afirmou.

Mas os corintianos não estavam isolados nas reclamações. Do lado do Fluminense, também sobraram críticas. Dirigentes e jogadores chiaram de um pênalti não marcado sobre o centroavante Fred e de um gol anulado do zagueiro Henrique. O técnico Cristóvão Borges, por sua vez, estranhou as frequentes queixas por parte do Corinthians.

Mano rebateu o colega: “Quando você não vive o problema na carne, é mais compreensivo. Se daqui a pouco o Fluminense enfrentar a mesma sucessão de erros, talvez o Cristóvão tenha uma postura um pouco diferente. Quando a gente fala de arbitragem, não é para justificar a atuação da equipe. Não vamos misturar as coisas”.