Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Referência e capitão, Lúcio tem bronca vista como "palavra positiva"

São Paulo (SP)

Revoltado com a presença do Palmeiras na última colocação do Campeonato Brasileiro, Lúcio reclamou na sexta-feira que faltava comprometimento a colegas logo após um rachão cheio de risadas e que apenas metade do time corria. Após a vitória sobre o Coritiba que tirou o clube da zona de rebaixamento, as palavras do capitão são apontadas como benéficas.

“O Lúcio é uma referência, é nosso capitão. As palavras dele sempre são muito respeitadas, temos que escutar um companheiro com tanta experiência. É sempre bom receber uma palavra positiva, para ajudar, como as do Lúcio. São sempre bem-vindas pelo grupo”, definiu Tobio, escolhido para dar entrevista coletiva nesta segunda-feira.

O zagueiro argentino nem quis contestar a análise do colega de defesa. “Se ele viu coisas assim, temos que revisar e cada um melhorar para conseguirmos mais vitórias. Cada um tem que estar no seu melhor nível para levar o grupo à frente. Todos nós buscamos a mesma coisa: vitórias para o Palmeiras”, afirmou.

As declarações do camisa 2 puderam até ser mais tranquilas por conta do resultado de sábado. Embora não esteja na faixa de descenso somente por ter uma vitória a mais do que o Criciúma, dono dos mesmos 17 pontos do Verdão, a primeira vitória depois de dez rodadas melhora o ambiente.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Após cobrança pública do zagueiro por caráter, time pôs fim à série de dez rodadas sem vencer
“Vínhamos de derrotas e foi importante para a confiança do grupo, que vem trabalhando para conseguir resultados. Foi uma vitória que esperávamos e precisávamos para dar confiança a corpo técnico e jogadores. A vitória nos permite trabalhar com um pouco mais de tranquilidade nesta semana”, respirou fundo.

Particularmente, Tobio vai lidando com a pressão ao mesmo tempo em que mal consegue falar português. “Vou aprendendo aos poucos. Quando falo com meus companheiros, já compreendo muito mais. Com o tempo, vou falar muito mais português”, prometeu, mais preocupado em se adaptar dentro de campo.

“Os jogos daqui são muito mais rápidos, passa-se com mais facilidade da defesa para o ataque e é necessário estar constantemente atento para defender rápido e fazer a equipe sair para atacar com tranquilidade e mais rápido. Aos poucos, vou conhecendo meus companheiros e como se joga aqui. Estou me sentindo cada vez melhor”, avisou.