Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

Sem quarteto, misto do São Paulo perde a primeira em Criciúma

Criciúma (SC)

Com quase metade da escalação reserva, o São Paulo saiu em desvantagem na estreia da Copa Sul-americana, na noite desta quinta-feira. Sem Kaká, Ganso e Alan Kardec, poupados, a equipe paulista teve Alexandre Pato como único remanescente de seu estrelado quarteto ofensivo. O atacante até marcou um gol, mas não evitou a derrota por 2 a 1 para o Criciúma, no duelo de ida da segunda fase do torneio continental, em Santa Catarina.

Todos os gols, inclusive os do time catarinense, treinado interinamente por Wilson Vaterkemper (o Wilsão) após a saída de Wagner Lopes, foram marcados no primeiro tempo. Silvinho abriu o placar e, depois de Pato empatar, os donos da casa confirmaram a vantagem definitiva no Heriberto Hulse em arremate de Lucca.

No jogo de volta, daqui a uma semana, no Morumbi, o São Paulo precisará de uma vitória simples para se classificar às oitavas de final - gol como visitante é critério de desempate. Antes disso, os dois times se voltam novamente para o Brasileiro, campeonato pelo qual vão a campo no domingo. O São Paulo permanece em Santa Catarina para enfrentar o Figueirense, ao passo que a equipe catarinense visitará o Sport, em Pernambuco.

Rubens Chiri/www.saopaulofc.net
Alexadnre Pato até balançou a rede, mas não impediu a derrota na estreia são-paulina na Copa Sul-ameicana
Quando a Sul-americana voltar a ser o foco, na semana que vem, Muricy Ramalho talvez não poupe como na noite desta quinta-feira. Para não desgastar o elenco, dividido em duas frentes, o treinador sacou cinco titulares: o zagueiro Rafael Toloi, o volante Denilson, os meias Ganso e Kaká e o atacante Alan Kardec. Desses, apenas o último foi opção no banco de reservas.

Sem meio time, mas com a estreia de Michel Bastos como titular no meio-campo, o São Paulo até teve bom volume de jogo nos primeiros minutos. Mas já na primeira boa chegada, aos 15, o Criciúma abriu o placar. Um corta-luz de Paulo Baier enganou a marcação do jovem Lucão (substituto de Rafael Toloi na defesa), e Silvinho invadiu a área com liberdade suficiente para bater no canto direito de Rogério Ceni e marcar.

A equipe paulista reagiu bem ao golpe e buscou o empate aos 26 minutos. Michel Bastos recebeu dentro da área, pelo lado esquerdo, e atravessou cruzamento rasteiro. Pato apareceu bem na segunda trave e completou para a meta praticamente vazia, anotando seu nono gol e confirmando a boa fase recente com a camisa tricolor.

Em vez de ganhar confiança, porém, o São Paulo piorou em campo, permitindo reaproximação do Criciúma no campo de ataque. Aos 35 minutos, Paulo Baier só não marcou um golaço de letra, com Rogério Ceni caído, porque o assistente o notou em condição irregular. Mas, sete minutos mais tarde, o meia, já dentro da área, rolou para Lucca bater prensado na marcação e, apesar da finalização fraca, conseguir recolocar seu time à frente no marcador.

O Criciúma teve chance de ampliar a vantagem logo no primeiro minuto do segundo tempo. Silvinho fez boa jogada na linha de fundo, pelo lado esquerdo, e cruzou rasteiro. Bem colocado dentro da área, Paulo Baier finalizou de primeira e mandou a bola por cima do travessão. Seis minutos depois, o meia cobrou falta com categoria e viu Serginho cabecear a bola na trave direita. Uma blitz catarinense, que foi diminuindo de intensidade com o passar do tempo.

Aos poucos, o São Paulo voltou a ganhar terreno, mas sem ameaçar de fato. Muricy trocou Maicon por Boschilia e também colocou Ewandro no lugar de Ademilson. As novas caras, entretanto, não mudaram a história do jogo, que, na realidade, foi encarado com pouca importância pelos dois lados, mas que acabou dando nova confiança ao Criciúma para deixar a zona de rebaixamento do Brasileiro, campeonato em que a equipe paulista vai bem.