Futebol/Copa Sul-Americana - ( - Atualizado )

Time equatoriano volta atrás, supera agressões e rechaça W. O. no Peru

Lima (Peru)

As agressões verbais e físicas sofridas pela delegação do Barcelona de Guayaquil fizeram a equipe equatoriana pensar em não jogar contra o Alianza Lima, nesta quarta-feira. Mas o clube voltou atrás e garante entrar em campo para disputar jogo válido pela Copa Sul-Americana.

“Enviamos um comunicado à Federação Equatoriana de Futebol e eles, por sua vez, reclamaram com a Conmebol”, revela o presidente do Barcelona de Guayaquil, Antonio Noboa. “As autoridade nos estão dando todas as garantias para que possamos nos apresentar e jogar”, completa.

O time equatoriano foi recebido com violência ao desembarcar no Aeroporto Internacional Jorge Chávez, em Lima. Segundo afirma o clube, as agressões sofridas partiram de torcedores do Alianza Lima, adversário desta quarta-feira. Por isso, o Barcelona acenou com a possibilidade de não entrar em campo por temer pela segurança de sua delegação. “O que aconteceu segunda-feira foi uma agressão covarde. Peço à nossa torcida que venha ao Peru e não caia em provocações”, finaliza Antonio Noboa.

Resolvida a pendência, as equipes sobem ao gramado do Estádio Alejandro Villanueva às 23 horas (de Brasília) desta quarta-feira, na partida de volta da primeira fase da Copa Sul-Americana. Os equatorianos têm vantagem de 3 a 0 conquistada no primeiro confronto.