Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Zagueiro corintiano evita projetar disputa com o amigo Dedé

São Paulo (SP)

Anderson Martins conhece bem um dos principais jogadores do Cruzeiro, hoje o maior concorrente do Corinthians na disputa pelo título do Campeonato Brasileiro. O novo titular da zaga de Mano Menezes foi campeão da Copa do Brasil de 2011 ao lado de Dedé, pelo Vasco.

Apesar de valorizar a amizade que fez no Rio de Janeiro, Anderson Martins não tem conversado com Dedé em tempos de luta pelo título nacional. Ele ainda evita fazer projeções para a competição que está no final do primeiro turno e tem o Cruzeiro como líder com 36 pontos, cinco de vantagem para Internacional e Corinthians.

“Perdi um pouco de contato com o Dedé. Sei do bom trabalho que ele vem fazendo no Cruzeiro, que está bem no campeonato. Mas muita coisa ainda falta acontecer, com grandes equipes brigando pelo título. Espero que o Corinthians consiga alcançar uma maturidade melhor jogo a jogo, entrosamento e uma sequência de vitórias”, comentou Anderson.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Ao lado de Gil, Anderson Martins espera alcançar o mesmo sucesso que teve com Dedé
Foi justamente o bom rendimento ao lado de Dedé que credenciou o zagueiro a ganhar a oportunidade de defender o Corinthians, pois ele andava esquecido no El Jaish, do Catar. Agora, virou titular ao lado de Gil porque Cleber se transferiu para o alemão Hamburgo.

Ao falar sobre a antiga parceria com Dedé, Anderson Martins torceu o nariz quando escutou que foi o responsável por consagrar o amigo. “Não vejo dessa forma. As pessoas colocam algumas coisas no futebol, mas o que deve ser enfatizado é o grande trabalho que fizemos juntos. Sem ele, eu não conseguira nada. E, sem mim, ele não conseguira nada”, discursou.

O novo companheiro de Anderson Martins também é um zagueiro que está em alta, Gil, com passagem pelo Cruzeiro de Dedé e convocado por Dunga para defender a Seleção Brasileira. Mas ele não quer comparações.

“Não, não. Cada dupla de zaga tem uma característica peculiar. Dentro de uma equipe, o técnico procura formar um grupo que lhe dê boas condições de trabalhar. Aqui, sei das qualidades do Gil, um grande zagueiro, de Seleção. Espero fazer bem o meu trabalho ao lado dele”, sorriu o ex-companheiro de Dedé.