Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Zé Roberto condena atos racistas de torcedores do Grêmio

Porto Alegre (RS)

Principal jogador negro do atual elenco do Grêmio e participante de campanhas contra o racismo promovidas pelo clube, o lateral esquerdo Zé Roberto defendeu punição aos torcedores que ofenderam o goleiro Aranha na derrota do Tricolor para o Santos, nesta quinta, na Arena. O veterano de 40 anos classificou a atitude de “lamentável” e se disse indignado com a situação, pela qual, segundo ele, nunca passou.

“Nunca passei por isso e espero nem passar. Nem quero falar muito, pois estou indignado. É lamentável, estamos no século 21. Aconteceu com um torcedor da nossa equipe. Se foi claro, e há imagem, tem que haver punição. O Brasil é um país que infelizmente tem muito disso. Às vezes, nestas situações, o clube é punido, e não tem nada a ver. Quem tem que ser punido é quem comete o ato de racismo”, defendeu o jogador.

A punição ao Grêmio pode ser severa. Além de excluído da Copa do Brasil, o Tricolor pode jogar por até dois anos sem a presença de sua torcida. O STJD já solicitou as imagens e deve enquadrar o clube no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que fala em “praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante relacionado a preconceito”.

Além da nota oficial publicada pelo clube gaúcho na madrugada desta sexta-feira, o vice de futebol Marcos Chitolina condenou as manifestações dos torcedores contra o goleiro Aranha. “O Grêmio não é uma instituição racista, foi uma atitude individual. A Arena tem todas as condições de identificar esses torcedores, e vamos tomar todas as medidas cabíveis previstas em lei”, disse o dirigente.

Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Reprovando atitude discriminatória, jogador defende que torcedor em questão precisa ser punido pela justiça