Futebol/ Palmeiras - ( - Atualizado )

Dorival aceita contrato de Nobre e assina com Palmeiras até junho

São Paulo (SP)

Após demitir Ricardo Gareca, o Palmeiras já acertou com o seu terceiro técnico para a temporada do centenário. Depois de passar a terça-feira conversando com o presidente Paulo Nobre, o vice-presidente Maurício Galiotte, o diretor executivo José Carlos Brunoro e o gerente de futebol Omar Feitosa, Dorival Júnior assinou contrato com o clube até junho de 2015.

Em nota oficial, o clube anunciou o acerto, mas confirmou o auxiliar-técnico Alberto Valentin como o comandante para a partida contra o Atlético-MG, na noite de quinta-feira, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, em Belo Horizonte. O treinador traz com ele o auxiliar Ivan Izzo, que foi goleiro do Verdão entre o fim dos anos 1980 e o começo dos anos 1990, e o filho de Dorival, o preparador físico Lucas Silvestre.

O acordo ocorreu rapidamente porque o treinador foi um dos entrevistados pela diretoria para substituir Gilson Kleina, em maio. Como já tinha dito antes de os dirigentes optarem por Gareca, aceitou as bases salariais de Kleina, com cerca de R$ 200 mil mensais fixos e a possibilidade de ganhar mais de acordo com objetivos atingidos.

Gazeta Press
Dorival Júnior é o terceiro técnico do Palmeiras na atual temporada e firmou contrato até junho de 2015

Um dos poucos impasses na negociação foi o tempo de contrato, já que Nobre queria o acerto até o fim deste ano, quando acaba o seu mandato. Mas Dorival avisou Brunoro, Maurício Galiotte e Omar Feitosa, na reunião da manhã de terça-feira, que não aceita assinar por período menor do que junho, imposição aceita.

O último passo para o acerto ocorreu quando o trio de dirigentes levou o que ficou acordado com Dorival a Nobre, que os esperava na Academia de Futebol. O presidente, então, fez as suas ponderações e levou o contrato para Dorival assinar nesta noite. Desde a entrevista de maio, a diretoria gostou da disposição do técnico com o clube.

Embora tenha participado das campanhas de Vasco e Fluminense no Brasileiro do ano passado, quando ambos terminaram entre os quatro times que menos pontuaram na competição, Dorival, desempregado desde dezembro, tem a seu favor a relação com o Palmeiras. Além de ter atuado pelo Verdão nos anos 1990, é sobrinho de Dudu, um dos maiores ídolos da história do clube.

Dorival tem como missão minimizar a falta de resultados do time com Gareca. O Palmeiras só não está na zona de rebaixamento do Brasileiro por conta dos critérios de desempate e, nesta quinta-feira, diante do Atlético-MG, em Belo Horizonte, precisa reverter derrota por 1 a 0 na ida, no Pacaembu, para chegar às quartas de final da Copa do Brasil.