Futebol Internacional/Amistoso - ( - Atualizado )

Em casa, Itália coroa estreia de Conte com vitória sobre a Holanda

Bari (Itália)

Na primeira partida sob comando de Antonio Conte, a seleção italiana mostrou serviço diante da torcida e bateu a Holanda por 2 a 0, em jogo disputado na tarde desta quinta, no Estádio San Nicola, em Bari, província italiana. Inspirada, a Azurra encaminhou a vitória já nos momentos iniciais da partida, ao marcar dois gols nos primeiros dez minutos.

O triunfo pôs fim a um jejum de vitórias que já durava cerca de dois meses e meio, já que antes deste amistoso, a última vitória da Itália tinha acontecido na primeira rodada do Mundial do Brasil, em jogo contra a Inglaterra, realizado em Manaus. A partida, inclusive, foi a única em que a equipe conseguiu se sair vencedora, repetindo a campanha pífia da Copa de 2010, ao ser eliminada ainda na fase de grupos.

Além de voltar a vencer, os italianos foram responsáveis por um feito curioso: enquanto na Copa do Mundo a equipe marcou dois gols em toda campanha da fase de grupos, a Itália precisou de apenas dez minutos no amistoso para balançar a rede duas vezes e igualar tal índice.

O jogo

Na partida de estreia, tanto Antonio Conte quanto Guus Hiddink optaram por manter a formação característica das equipes: enquanto a Itália entrou em campo no clássico 3-5-2, a Holanda subiu ao gramado escalada no 4-3-3, formação teoricamente ofensiva e utilizada à exaustão por Van Gaal durante a Copa do Mundo.

Deixando jogadores como Buffon, Quagliarella e Verratti entre os reservas, Conte preferiu escalar a equipe de forma mais alternativa, apostando na renovação do elenco. Os meias Marchisio e De Rossi eram os mais experientes entre os onze iniciais que saíram jogando. Com Balotelli fora da convocação, o jovem Immobile assumiu a responsabilidade de vestir a camisa 9 e comandar o ataque italiano ao lado de Zaza. A dupla ofensiva, inclusive, atuou junta pela primeira vez nesta tarde.

Foi justamente Immobile quem abriu o placar, voltando a marcar após praticamente três meses, já que seus últimos gols pela Itália haviam sido no amistoso preparatório contra o Fluminense, ainda em junho, vencido por 5 a 3. Logo aos 3 minutos, em uma das primeiras investidas dos donos da casa ao ataque, o avante recebeu um lançamento de Bonucci do campo de defesa e, colocando-se entre a zaga, dominou com calma para driblar o goleiro e empurrar a bola para as redes, abrindo o marcador em Bari.

AFP
Em boa fase, Immobile assumiu a responsabilidade de comandar o ataque e deixou sua marca

Cinco minutos mais tarde, antes dos dez iniciais, Bonucci acertou novo lançamento ao campo de ataque. Desta vez, a bola encontrou Zaza, que dominou sem dificuldades e partiu em velocidade em direção à área até ser derrubado pelo zagueiro Martins Indi, que cometeu o pênalti e foi expulso pelo árbitro russo. Na cobrança, Daniele De Rossi mostrou tranquilidade e categoria ao deslocar Cillessen para um lado, concluindo no canto oposto e aumentando a vantagem.

A expulsão do zagueiro holandês foi responsável por ruir o esquema tático pensado por Guus Hiddink. Com um jogador a menos, e dois gols atrás no placar, o treinador optou por substituir o atacante Lens pelo zagueiro Veltman, alterando a formação ofensiva com três atacantes para um 4-4-2, com Kuyt fazendo dupla de ataque com Van Persie e Sneijder na armação das jogadas.

Em vantagem no marcador, os donos da casa passaram a conservar a posse da bola e, com o meio campo povoado, investiram na troca de passes para controlar a partida. Os holandeses criaram a primeira jogada ofensiva somente aos 20 jogados em lance de bola aérea. Bem armada defensivamente, com três homens compondo a linha de marcação, a zaga italiana conseguiu afastar o perigo e minimizar os riscos. O goleiro Sirigu tocou pela primeira vez na bola aos 30 minutos, ao defender cobrança de falta de Sneijder em dois tempos.

No tempo restante da primeira etapa, a Itália continuou comandando as principais jogadas ofensivas e esteve mais perto de aumentar a vantagem do que tê-la diminuída. Com um jogador a menos, a equipe dos Países Baixos permaneceu com muita dificuldade de criar lances ofensivos, contentando-se em manter a desvantagem em apenas dois gols.

AFP
Na partida de estreia, Conte leva a melhor sobre Guus Hiddink e inicia trajetória à frente da seleção italiana com vitória

Na volta do intervalo, os holandeses lançaram-se ao ataque para tentar diminuir o prejuízo. Aproveitando um raro momento de desatenção da defesa, Van Persie pegou a sobra da zaga e arrematou de primeira, assustando o arqueiro Sirigu, que voltou a trabalhar em chute de longa distância de Sneijder, defendido sem maiores problemas.

Prevendo a ânsia do adversário em buscar o resultado, Conte substituiu algumas peças, mas manteve o estilo de jogo do time. Retomando a forma neste início de temporada europeia, Marchisio deu lugar a Verratti, que entrou para dar maior consistência ao setor defensivo azul. Companheiro de meio campo, o experiente De Rossi saiu de campo reclamando de dores para dar lugar a Parolo.

Agindo de acordo com as orientações do treinador, os italianos mantiveram-se atentos à defesa e preferiram explorar os contra-ataques, aproveitando os deslizes do adversário. Aos 22 jogados da etapa final, por pouco Immobile não anotou o terceiro gol da Itália, tento que seria o seu segundo na partida. O atacante pressionou o goleiro Cillessen, cuja falha na saída de bola só não resultou em gol porque o árbitro acusou falta do italiano.

Aos 29 minutos, os donos da casa reclamaram de pênalti, que não foi assinalado pelo russo Sergey Karasëv. Na jogada, os italianos alegaram que o lateral Janmaat dominou a bola com a mão dentro da área, mas o juiz entendeu o lance como normal, interpretando que o jogador tinha o braço colado ao corpo, o que não caracteriza a irregularidade.

Aproveitando-se do número elevado de substituições (seis), por conta da partida amistosa, Conte substituiu todos os atletas de meio campo, à exceção de Giaccherini, no objetivo de manter um ritmo aplicado na marcação, sem querer abusar do vigor físico dos jogadores.

Com a entrada de jogadores descansados, a Itália ampliou o domínio no setor de meio campo e manteve o controle da partida até o apito final, ameaçando o gol de Cillessen por algumas vezes. Os 48 mil expectadores que compareceram ao San Nicola puderam comemorar, sem maiores sustos, a convincente vitória da Azurra – a primeira sob o comando do novo treinador Antonio Conte.

AFP
Volante De Rossi foi o atleta mais experiente a entrar em campo na partida contra os holandeses

Cheque os demais resultados dos amistosos realizados nesta sexta-feira:

Bósnia-Herzgovina 3 x 0 Liechtenstein
Iraque 0 x 2 Peru
Eslováquia 1 x 0 Malta
Suécia 2 x 0 Estônia
Croácia 2 x 0 Chipre
Bélgica 2 x 0 Austrália
França 1 x 0 Espanha