Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Furacão bate América-RN, mas é eliminado no reencontro com torcida

Curitiba (PR)

Alegria e decepção. Os dois sentimentos se misturaram na Arena da Baixada, no reencontro da torcida do Atlético Paranaense com seu time jogando em casa. Porém, a vitória por 2 a 0 sobre o América-RN, que em Natal bateu o Furacão por 3 a 0, não foi suficiente para a equipe seguir na Copa do Brasil. O retorno ao Estádio Joaquim Américo ficou marcado pela desorganização na entrada dos torcedores, a proibição do acesso de parte da imprensa e, principalmente, pela eliminação na competição.

Exatamente como foi planejado, o gol rubro-negro saiu cedo, aos sete minutos, com Deivid, que arriscou de fora da área e contou com desvio na defesa para marcar. Porém, o que parecia ser o prenúncio de uma goleada, se tornou um jogo duro, com o adversário se segurando bem. Aos 43 minutos, Marcelo fez o segundo, mas já era tarde.

Nas quartas-de-final, o América-RN vai encarar o vencedor do confronto entre Coritiba e Flamengo. Enquanto isso, volta as atenções para a Série B do Campeonato Brasileiro. Já o Atlético Paranaense agora pensa apenas na Série A, onde espera se recuperar sob comando do técnico Claudinei Oliveira, anunciado nesta quarta-feira.

O jogo – Embalado pelo torcedor que voltava às arquibancadas da Arena para uma partida oficial após 1002 dias, o Furacão começou pressionando, apostando nos lançamentos para bater a defesa potiguar na velocidade. O primeiro gol era questão de tempo e ele veio aos sete minutos, com Deivid, que aproveitou rebote e chutou de longe para o fundo das redes, contando ainda com desvio na zaga, levando a torcida à loucura.

Divulgação/Atlético-PR
Apesar da boa atuação diante do torcedor, o Atlético-PR não conseguiu reverter (Crédito: Maurício Mano)
Fora de campo, os torcedores ainda encontravam dificuldades para entrar no estádio e muitos perderam o gol de Deivid. Aos 16 minutos, João Paulo arriscou o chute de longe, pela linha de fundo. Com dores na coxa esquerda, Cléo deixou o jogo para a entrada de Mosquito, aos 19 minutos. O América conseguir segurar o ímpeto atleticano e a pressão diminuiu. Aos 29 minutos, Nathan invadiu a área, mas se atrapalhou com a bola.

O Mecão chegou pela primeira vez ao ataque com perigo aos 32 minutos, com Max, que parou em ótima saída de Weverton. Na sobra, Val também parou no goleiro rubro-negro. Aos 37 minutos, João Paulo fez o levantamento e Val apareceu para afastar o perigo. O Atlético insistia nos cruzamentos, mesmo após a saída de Cléo, e tinha dificuldades para criar oportunidades de gol.

Divulgação/Atlético-PR
A partida desta quarta-feira também marocu o retorno da torcida atleticana à Arena (Crédito: Maurício Mano)
Para a segunda etapa, o América-RN voltou com Andrezinho no lugar de Morais. Assim como no inicio da partida, a torcida empurrava e o time atleticano partiu para a pressão. Logo no primeiro minuto, Cleberson aproveitou cruzamento para desviar e carimbou a zaga. Aos sete minutos, Marcelo testou, Andrey salvou e, na sobra, Arthur Henrique quase empurrou contra o patrimônio, acertando a trave.

A pressão era toda rubro-negra, mas nada de gol. Aos 15 minutos, Mário Sérgio soltou a bomba, pela linha de fundo. Leandro Ávila apostou então na entrada do atacante Dellatorre no lugar do meia Nathan. Aos 25 minutos, com liberdade, Marcos Guilherme cabeceou no meio da área, mas apenas recuou. Perigo mesmo levou Dellatorre, com um petardo, um minuto depois, parando em Andrey.

O relógio era o principal adversário do Furacão, que precisava de mais dois gols para levar a partida para as penalidades. Aos 29 minutos, Marcelo ajeitou e Mosquito dividiu com o goleiro Andrey, sem sucesso. O Mecão ainda aproveitava alguns espaços e assustava. Aos 38 minutos, Primão entrou na área e acertou a rede, pelo lado de fora. Até que, aos 43 minutos, Paulinho Dias fez grande jogada pela direita e cruzou para Marcelo bater e estufar as redes. Aos 48 minutos, Andrey ainda operou um milagre para garantir a vaga potiguar.