Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Lusa não sai de campo, perde para líder Joinville e segue na degola

São Paulo (SP)

Desta vez a Portuguesa permaneceu em campo para encarar o Joinville, mas novamente não conseguiu somar pontos. No Canindé, o time rubro-verde tentava manter o embalo após a vitória da última rodada, mas acabou derrotado. Jael abriu o placar para os catarinenses no primeiro tempo, Allan Dias chegou a empatar, mas Fabinho, já nos acréscimos, selou o triunfo por 2 a 1, fora de casa.

Com mais uma derrota na competição, a Portuguesa perde o embalo, permanece com 17 pontos e fica na penúltima colocação. Na próxima rodada, na incessante luta contra o rebaixamento, o time do Canindé viaja até Recife para encarar o Santa Cruz, na terça-feira, dia 9 de setembro.

O Joinville, por sua vez, assume a liderança provisória da Série B, com 36 pontos, e agora torce contra os seus rivais. Para se manter na briga pelo acesso à primeira divisão, o time catarinense volta à Arena na próxima rodada, contra o Paraná Clube, também na próxima terça, em dia de rodada completa da Série B.

Djalma Vassão/Gazeta Press
O atacante Jael inaugurou o marcador no primeiro tempo e abriu caminho para a vitória do Joinville

Começo cruel

A Portuguesa, embalada com a vitória fora de casa na última rodada, tinha a missão de retomar a confiança do torcedor. Sendo assim, tentou ter o controle do jogo desde o início, passando a ficar mais tempo com a bola no campo de ataque adversário. O problema do time comandado por Silas era a falta de qualidade: faltava criatividade para transformar o toque de lado em jogadas efetivas de perigo.

O Joinville ficava menos com a bola, mas usava sua superioridade técnica para assustar muito mais o adversário. Desta forma, já aos 15 minutos, inaugurou o marcador. Rogério, que passou pela Portuguesa e por isso era vaiado no Canindé, desceu pela esquerda, fez o cruzamento e encontrou Jael, que estava livre dentro da área para desviar de cabeça e se tornar o artilheiro isolado.

Era o que o time catarinense para controlar o jogo. Se já estava difícil para a Portuguesa criar no embalo do início, a pressão por causa do resultado dificultou ainda mais para o time da casa, que logo se desorganizou dentro de campo. Sem ser ameaçado, o Joinville assistiu o adversário errar passes fáceis, controlou a bola em seu ataque e apenas esperou o intervalo para manter a vitória parcial.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Depois de ter empatado, a Portuguesa foi castigada pelos visitantes aos 45 minutos do segundo tempo

Fabinho castiga

Os dois times não mudaram na volta do intervalo. Os anfitriões, portanto, precisavam mudar a postura dentro de campo para buscarem o empate, só que foi o Joinville quem assustou primeiro. Em cobrança de falta de longe, Bruno Aguiar exigiu a intervenção de Rafael Santos, que na sequência quase falhou em novo chute de Everton, quase falhou e teve que usar o peito para defender.

Silas percebeu que o cenário era desfavorável e decidiu mudar: colocou Serginho no lugar de Djalma, mas o atacante recebeu o cartão amarelo em seu primeiro lance. Tudo indicava para uma nova derrota da equipe rubro-verde, porém Jean mota apareceu pela esquerda aos 19 minutos, encontrou Allan Dias livre no meio da área, e o meio-campista completou para o fundo das redes.

Se antes era inimaginável ver a Portuguesa crescer no jogo, o gol de empate alterou o panorama. A chuva apertou no Canindé, a torcida passou a cantar mais alto, e o time embalou, chegando a acertar a trave. Aos 45, porém, o Joinville foi letal. Fabinho, que acabara de entrar em campo, dominou livre dentro da área, bateu com categoria e decretou a vitória catarinense em São Paulo.