Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Nobre não chega a acordo com Dorival e retoma conversas nesta quarta

São Paulo (SP)

O Palmeiras ainda não tem o substituto de Ricardo Gareca. Após uma reunião pela manhã com Dorival Júnior, na qual o vice-presidente Maurício Galiotte, o diretor executivo José Carlos Brunoro e o gerente de futebol Omar Feitosa encaminharam o acordo com o treinador, todas as partes envolvidas voltaram a se encontrar no final do dia. Desta vez com a presença de Paulo Nobre, que não bateu o martelo.

A nova reunião começou por volta das 21 horas, em São Paulo. O presidente alviverde chegou mais tarde, por volta das 23 horas, com a missão de dar o veredito final com relação à contratação. Paulo Nobre, porém, não chegou a um acordo com Dorival Júnior por causa do tempo de contrato que será estabelecido.

Desempregado desde dezembro, Dorival avisou que não aceitaria um contrato que terminasse antes de junho de 2015, e a diretoria preferia assinar somente até o final deste ano, quando acaba o mandato de Paulo Nobre. Ao que tudo indica após a reunião da noite desta terça-feira, o atual presidente não quer abrir mão desta cláusula.

Em relação a salários, apesar de Nobre costumar barganhar valores baseado em política que julga ser de austeridade, não houve problema: Dorival topou as bases que eram pagas a Gilson Kleina, com cerca de R$ 200 mil mensais fixos e a possibilidade de ganhar mais de acordo com objetivos atingidos.

A negociação começou rapidamente porque Dorival esteve entre os entrevistados pela diretoria para substituir Kleina, mas acabou preferindo Gareca. Depois de chegar muito próximo de um acerto no começo do dia, porém, a situação segue indefinida. Paulo Nobre, mais uma vez, trava o acordo, assim como foi com Ronaldinho Gaúcho e Alan Kardec.

Nelson Perez/Fluminense FC
Dorival aceitou a proposta, mas não chegou a um acordo com Paulo Nobre por causa do tempo de contrato