Futebol/Copa Sul-americana - ( - Atualizado )

São Paulo conta com sorte, vence Criciúma e avança às oitavas

São Paulo (SP)

Quase completo, mas se valendo principalmente de um pouco de sorte, o São Paulo voltou a vencer e, com 2 a 0 sobre o Criciúma, garantiu classificação para as oitavas de final da Copa Sul-americana depois de ter perdido o jogo de ida por 2 a 1, em Santa Catarina. O primeiro gol no Morumbi, sem autor claro após cobrança de escanteio, foi dado a Edson Silva. O segundo saiu em joelhada involuntária de Kaká, após rebote do goleiro.

O adversário na próxima fase sairá do vencedor do confronto entre o chileno Huachipato e a Universidad Católica (do Equador, não do Chile), que ainda nem se enfrentaram. As oitavas de final ocorrerão apenas em outubro.

Nesta quinta-feira, embora tivesse prometido time completo - com exceção do lateral esquerdo Álvaro Pereira, a serviço da seleção uruguaia -, Muricy Ramalho não pôde escalar Alexandre Pato, gripado. Febril, o atacante chegou a ser relacionado mesmo sem ter treinado na véspera, mas acabou sendo cortado. Sem ele, o titular foi Osvaldo.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Edson Silva, segundo a arbitragem, e Kaká anotaram os gols do São Paulo na noite desta quinta-feira, no Morumbi
Apesar da velocidade do substituto, o time começou lento e errando muitos passes. Atento para contragolpear, o Criciúma chegou com perigo logo aos oito minutos. Luis Felipe avançou pelo lado direito, tabelou e cruzou fechado, mas Lucca não conseguiu o desvio. A boa oportunidade nas costas de Michel Bastos fez a equipe catarinense insistir por ali, mas ser bem desarmada pela linha de impedimento são-paulina.

Atenta aos lançamentos longos do adversário, a defesa pecava principalmente na saída de jogo, quase sempre com Rafael Toloi. O zagueiro até salvou alguns cruzamentos para o meio da área, mas quase marcou gol contra aos 28 minutos, quando tentou afastar bola pela linha de fundo e a acertou com o joelho. Antes disso, o Criciúma já havia tido grande chance desperdiçada por Lucca. Após tentativa malsucedida de Rogério Ceni de desviar cruzamento, o atacante ficou com a sobra e chutou por cima.

Depois dos sustos, o São Paulo demonstrou alguma reação, ainda que sem muita consistência. Em um ótimo lançamento de Ganso, Osvaldo chegou à bola antes de Gallato, mas se atirou dentro da área. Fosse marcado o pênalti inexistente, Rogério Ceni poderia ter aberto o placar. Em vez disso, no lance seguinte, o goleiro precisou deixar sua própria área para meter a cabeça na bola e evitar que Silvinho entrasse livre, como no jogo de ida, em Santa Catarina, quando anotou o primeiro gol.

Aos 32 minutos, a sorte se mostrou estar ao lado do São Paulo pela primeira vez. Após cobrança de escanteio - o qual gerou reclamação do Criciúma, que pediu tiro de meta na dividida entre Lucca e Michel Bastos na linha de fundo - de Osvaldo, o zagueiro Edson Silva subiu para tentar o desvio de cabeça, a bola passou entre as pernas do zagueiro Ronaldo Alves e entrou. O gol, que pode até ter sido olímpico, foi dado para o defensor.

A vitória simples parcial já daria a classificação, porém a equipe de Muricy se animou e partiu em busca do segundo gol. Aos 37, Osvaldo tentou de letra e foi flagrado em impedimento. Três minutos mais tarde, sim, a vantagem foi ampliada. Toloi lançou do campo de defesa, Ganso surgiu por trás da defesa, invadiu a área e rolou para Kaká. O meia finalizou rasteiro, em cima de Galatto, mas teve a sorte de a bola bater em seu joelho na volta e tocar a rede pela segunda vez na partida.

Com esse gol, o Criciúma precisaria de dois para se classificar ou de um para decidir a vaga nos pênaltis. Depois de encerrar o primeiro tempo com um chute forte de Silvinho para fora, o time visitante voltou do intervalo disposto a isso. Logo no primeiro minuto, obrigou Rogério Ceni a sair novamente da área para se antecipar ao ataque. Dois minutos depois, o atacante Souza (que havia entrado no lugar de Wellington Bruno, no Criciúma) ajeitou dentro da área para Lucca finalizar em cima da marcação.

O ímpeto ofensivo do Criciúma, em contrapartida, abriu espaços para o São Paulo. Aos 22 minutos, Osvaldo fez corta-luz e deixou Alan Kardec em ótima condição. O atacante invadiu a área, encarou Galatto e chutou por cima do travessão. Na chegada seguinte, foi a vez de o próprio Osvaldo perder chance clara, desviando para fora, da pequena área, um cruzamento rasteiro de Michel Bastos. Para sorte de Muricy, que fez as primeiras substituições no terço final da segunda etapa e não treinou pênaltis, a má pontaria não foi castigada.