Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Sucessor de Gareca avisa que se dá bem com jogadores argentinos

São Paulo (SP)

Dorival Júnior já se prontificou a acalmar os jogadores argentinos que ficaram órfãos do compatriota Ricardo Gareca no Palmeiras. O novo treinador citou o passado no Internacional para avisar que tratará bem o zagueiro Tobio, o meia Allione e os atacantes Mouche e Cristaldo, todos indicados por seu antecessor.

“Trabalhei com quatro argentinos no Inter, jogadores de potencial, que continuam dando retorno até hoje. Então, não vejo problema ou discriminação. Muito ao contrário. Os argentinos que ficaram aqui são profissionais e terão o nosso respeito”, assegurou Dorival.

O Palmeiras havia traçado o planejamento do departamento de futebol para a temporada em que festeja o seu centenário com base nos desejos de Ricardo Gareca. Com os maus resultados e a ameaça de rebaixamento no Campeonato Brasileiro, no entanto, a ideia se desfez. “Mas as indicações do Gareca foram muito positivas. Os jogadores que chegaram são da confiança dele e destacaram-se em suas equipes”, disse o substituto do argentino, sem economizar elogios à “pessoa do bem” que sucedeu.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Dorival recebeu Tobio, Allione, Mouche e Cristaldo como heranças de Gareca no Palmeiras
Dorival ganhou a missão de fazer com que Tobio, Allione, Mouche e Cristaldo não tenham destino semelhante ao de Ricardo Gareca. Para ser bem-sucedido, ele pretende usar a paciência que faltou à diretoria do Palmeiras na hora de optar pela troca no comando do time. “Não é possível que esses jogadores tenham desaprendido a jogar. Sei que será necessária uma adaptação para que rendam como o Palmeiras precisa”, comentou.

Nesse processo de adaptação, Dorival Júnior não diferencia brasileiros de estrangeiros. “Não seria correto dividir os jogadores do Brasil daqueles que vieram da Argentina, até porque também temos paraguaios e chilenos”, argumentou, referindo-se ao paraguaio Mendieta e ao chileno Valdivia e esquecendo-se de mencionar os uruguaios, representados por Victorino e Eguren.

O novo técnico brasileiro do Palmeiras assinou um contrato válido até a metade de 2015. Junto com ele, passarão a trabalhar com o quarteto argentino do clube o auxiliar Lucas Silvestre, seu filho, e o preparador físico Celso Rezende.