Futebol - ( )

Mano admite possibilidade de dar prioridade à Copa do Brasil

São Paulo (SP)

Mano Menezes comemorou a demonstração de força do elenco do Corinthians na classificação às quartas de final da Copa do Brasil sem cinco jogadores – Gil, Elias, Lodeiro e Guerrero, em suas seleções, e Ferrugem, suspenso. O treinador admitiu, no entanto, a necessidade de fazer escolhas entre a competição de mata-mata e o Campeonato Brasileiro na sequência da temporada.

Ele já começou a fazer isso. Sua ideia era escalar no último final de semana, contra o Fluminense, um time mais parecido com o que bateria o Bragantino por 3 a 1 na quarta-feira. Como o segundo embate era eliminatório e sua equipe estava em desvantagem, preservou Fagner, Renato Augusto e Luciano do primeiro.

“Saímos com o Ferrugem contra o Fluminense para não correr o risco de ficar sem dois laterais. Poderia perder o Fagner por lesão, e eu precisaria de um lateral de apoio. Cuidei do Renato, porque sabia que uma sucessão tão grande geraria desgaste”, disse Mano, antes de explicar também as precauções com Luciano e Romero.

“A gente vai fazendo isso. É lógico que, quando você tem que fazer com muitos jogadores ao mesmo tempo, a equipe perde. É uma questão lógica do futebol”, acrescentou o treinador, agora entre os oito melhores da Copa do Brasil. No Brasileiro, o Corinthians está em quarto lugar, dez pontos atrás do líder Cruzeiro.

Divulgação/Agência Corinthians
Reservas como Bruno Henrique poderão dar descanso a alguns titulares (foto: Daniel Augusto Jr.)
As duas competições só voltarão a se encavalar no final do mês, o que permitirá ao time do Parque São Jorge tentar se aproximar da primeira colocação na disputa por pontos corridos. A depender da situação, os mata-matas serão novamente priorizados, na esperança de que os reservas deem conta quando forem acionados.

“Tivemos um exemplo, contra o Bragantino, de que temos um bom elenco. Era um jogo decisivo, sem cinco jogadores do grupo. E, dos cinco, não estamos falando de cinco que só completam. Estamos falando de jogadores de suas respectivas seleções. Mas isso também tem limitação. Vai chegar o momento em que podemos ter de pensar em direcionar. Já fiz isso contra o Fluminense”, explicou Mano.