Freud explica?

O Corinthians é o líder. No primeiro turno, foi o time que permaneceu o maior número de rodadas no topo. Tem a segunda melhor defesa, o maior número de vitórias e ainda assim está em crise.
Líderes de organizadas querem conversar, cobrar; gente que convive com o poder no clube pede a demissão do treinador. E há quem diga que Tite pode cair caso o Corinthians perca do Grêmio.

É muito difícil entender. O que poderia explicar - o que num primeiro momento soa inexplicável - é um narcisismo exacerbado, a necessidade de  auto-afirmação de quem precisa sempre ratificar força, poder. A questão não é resolver, mas mostrar que tem influência, força, poder. Uma maneira talvez de compensar frustrações que só Freud poderia explicar.

De volta

Foram 20 dias de descanso e ao voltar noto que pouca coisa mudou. As primeiras posições continuam com Corinthians, Flamengo e São Paulo. Verdade que o Timão só continua na ponta graças ao início surpreendente quando atingiu a incrível marca de 93% de aproveitamento nas dez primeiras rodadas. Já nas últimas nove, o Corinthians só conquistou duas vitórias. Muito pouco pra quem sonha com o título de campeão.  Por sorte, ainda é o líder, razão que sugere calma neste momento ruim.

Violência

Infelizmente, no quesito violência, nada mudou também. Apesar da adaptação no Estatuto do Torcedor, que prevê maior rigor contra os vândalos, muitos seguem para o estádio, preparados para uma guerra, armados com paus, pedras e, muitas vezes, com revólveres.

Em Prudente, houve confronto entre palmeirenses e a Polícia Militar e dois torcedores foram baleados. Em São Paulo, um corintiano foi atirado no rio Tietê. Triste, muito triste. Não só os episódios em si, mas também a omissão das autoridades que não fazem cumprir o que está no papel. E às vésperas da Copa de 2014, o momento não poderia ser mais apropriado.

Ricardo Gomes

Fica a torcida para que o técnico Ricardo Gomes se recupere do AVC do qual foi vítima no último domingo, o mais rápido possível e com o mínimo de seqüelas.