Gazeta Esportiva

A popularidade da corrida tem aumentado significadamente ao longo das últimas décadas devido aos benefícios que traz à saúde. Em contrapartida, houve um aumento da taxa de lesões musculoesqueléticas por sobrecarga do tornozelo e dos pés dos corredores. Sabe-se que a qualidade do movimento da pisada, ou seja, a maneira como o pé se apoia no chão e sua posição em relação ao tornozelo durante a corrida, é um dos fatores que influenciam a incidência dessas lesões. As pisadas podem ser classificadas, com base no ângulo formado entre o calcanhar e o tornozelo, como neutras, supinadas (as laterais do pé exercem maior pressão no chão), e pronadas (a parte de dentro do pé exerce mais pressão com colapso do arco).  A pisada pronada, além de ser a mais comum, já foi também relacionada na literatura com um número maior de lesões. Desta forma, há grande interesse da comunidade científica e médica, assim como das empresas responsáveis pela produção de tênis de corrida,  tanto em métodos eficientes para classificação das pisadas quanto nos mecanismos de lesão.

            Para identificar o método mais apropriado para diagnóstico da pisada uma equipe multidisciplinar de fisioterapeutas, preparadores físicos, ortopedistas e físicos do Instituto Vita e Vita Care avaliará três tipos de testes aplicados atualmente. Dentre eles destaca-se o baropodômetro, ou tapete de pressão, um dispositivo que produz uma imagem colorida (ILUSTRAÇÃO) dos pés do indivíduo avaliado com base na pressão exercida por diferentes áreas da planta do pé. Esse tapete é amplamente utilizado devido à sua portabilidade e facilidade de uso, porém gera uma análise estática do pé e não é capaz de avaliar a funcionalidade dinâmica. Nossa equipe multidisciplinar pretende avaliar a confiabilidade do baropodômetro para implementar melhorias do método.  Paralelamente, analisaremos também a influência do tênis SUPERNOVA SEQUENCE da marca ADIDAS para pronadores na pisada de corredores.

            Participarão destes dois projetos 34 corredores amadores de ambos os sexos, idade entre 20 e 40 anos. Um sistema de análise do movimento composto por 6 câmeras de vídeo que operam no infravermelho será utilizado para registrar marcadores posicionados em pontos anatômicos dos pés e pernas dos corredores durante a marcha e a corrida em uma esteira ergométrica. A partir dessas imagens será construído um modelo tridimensional do esqueleto do corredor em movimento que será usado para a classificação da pisada com e sem o tênis especializado. Os resultados desta avaliação cinemática tridimensional serão comparados com os obtidos através do baropodômetro e da avaliação subjetiva visual.  Desta forma, poderemos determinar o melhor método para classificar a pisada, além de avaliar o benefício produzido por tênis especializados em corrigir a pisada dos corredores. Estes conhecimentos auxiliarão no entendimento dos mecanismos de gênese de lesões por sobrecarga sofridas comumente por corredores, e permitirão a prescrição de tratamento adequado.  

Pesquisadora Responsável: Andreia Miana – Vita Care





RSS feed | Trackback URI

Comentários »

Nenhum comentário ainda.

Nome (obrigatório)
Email (required - never shown publicly)
URI
Seu comentário (smaller size | larger size)