CORINTHIANS DE GALA

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Antes da expulsão de Carlinhos Paraíba, o Corinthians já tinha chutado dez bolas no gol de Rogério Ceni

Foi uma grande atuação do Corinthians. O São Paulo reclama da expulsão do Paraíba, que aliás foi justa, mas quando isso ocorreu o Corinthians tinha chutado 10 bolas ao gol do Rogério, só tendo sido atacado uma vez. Reconheço os desfalques do São Paulo,especialmente do Lucas. Porém, não vi o São Paulo jogando de forma competitiva em nenhum momento. Sempre o adversário foi melhor. E aí surgiram belas individualidades como Danilo, Liedson, Paulinho e mesmo Ralf, jogando muito. Em contra partida a zaga do São Paulo foi bastante estabanada. É só olhar os dribles nos momentos decisivos, que tomaram Xandão e o menino Bruno Uvini. E aí entra a tal história de ir colocando a molecada para jogar. Não é fácil dar certo. O Muricy sempre teve esse cuidado, mesclando o elenco. Agora o São Paulo resolveu usar muita gente da base de uma vez. Acho arriscado. De qualquer forma foi uma tarde perfeita para o Corinthians. Jogou muito, impediu o gol do Rogério Ceni e goleou o principal rival. Só não dá para dizer que foi um chocolate, porque sãopaulino é chique. Digamos que foi um chá da tarde completo.Com direito a talheres de prata. Quanto as reclamações do tricolor, melhor deixar para lá. Afinal, o choro é livre. E o São Paulo sequer perdeu a liderança.

FELIZ, MAS SEM GRANA

Assustador. O Santos ganhou um título maravilhoso, a Copa Libertadores, porém tomou prejuízo financeiro. Os fretes de aviões para jogos em locais distantes, como o México, pesaram demais e com as cotas ridículas pagas pelo espertalhão Nicolas Leoz, deixaram a conta do campeão no vermelho. Alguém pode argumentar que o Santos abriu mão de dinheiro optando pela final no Pacaembú e não no Morumbi. Isso não significa muito. A renda da final passou de quatro milhões de reais, uma das maiores da história e não sei quais seriam os custos no Morumbi. Digamos que ganhassem mais um milhão. Ainda assim, o prejuízo seria mantido. Há necessidade de se melhorarem as cotas e de deixar-se de pagar 10% de todas as arrecadações para Leoz e seus amiguinhos. Se for necessário diminuir-se o número de jogos, que se faça também. Atualmente há muita quantidade e pouca qualidade o que gera estádios vazios. As tvs que bancam o evento são praticamente as do Brasil e México. A Fox, dona dos direitos, não consegue repassar para praças menores. Os patrocínios, pelo menos os que chegam aos cofres dos clubes, não são compatíveis com a importancia do evento.Enfim, uma vergonha. Coisa de submundo. Mas, isso não justifica a declaração do Andrés Sanchez dizendo que não aceitaria disputar a Libertadores de 2012, para evitar prejuízos. Aí já cheira mais como dor de cotovelo. Ou será que a derrota para o Tolima foi planejada, para evitar o aumento nos deficits financeiros do Corinthians?

MURITRI

Foto: Sérgio Barzaghi/Gazeta Press

Foto: Sérgio Barzaghi/Gazeta Press


Foi a terceira conquista de Libertadores pelo Santos. Houve momentos em que parecia que não ia dar. Mas deu sim. E essa molecada sobe de patamar. Neymar, com apenas 19 anos, vai acumulando títulos. Ganso jogou um futebol lindo, para quem estava parado há tanto tempo. Arouca foi o melhor do jogo e a diretoria do Santos, com sua forma revolucionária de administrar, merece todos os aplausos.

Mas a minha homenagem vai para Muricy Ramalho. Nunca se entendeu direito a saída dele do São Paulo há três anos. O clube não conseguiu repor o técnico à altura e o presidente Juvenal Juvêncio ainda disse que o sucesso de Muricy devia-se à estrutura do São Paulo. E cada um seguiu a sua vida…

O São Paulo não ganhou mais nada, chegando a ficar fora da Libertadores depois de sete anos consecutivos. Enquanto isso, Muricy foi acumulando conquistas. Primeiro, um Brasileiro com estrutura zero, ou seja, com o Fluminense.

Aí pegou o Santos pendurado na Libertadores e na fase decisiva do Paulista. Apesar de uma série enorme de decisões foi passando e ganhou as duas competições. Para quem dizia que ele não era bom de mata-mata foi um considerável cala bola.

Muricy ganhou três títulos com o São Paulo e sua decantada estrutura. E a estrutura ficou sem nada. O ser humano ainda é o mais importante. O carisma, o trabalho sério, a vontade de fazer tudo seriamente e com capacidade, sempre prevalecem.

São as lições da vida. Humildade, determinação e respeito, as armas do competente Muricy, falaram mais alto. Poucos torceram pelo Santos, além dos santistas, é claro. Mas, por certo, ninguém lamentou o título vencido por Muricy Ramalho. A injustiça no Morumbi só fez dele um profissional ainda maior. Meus respeitos, Muritri!

RONALDO PRECISA DE AJUDA

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Não estou falando da festa mixuruca de despedida. Ronaldo é muito maior do que isso e a sua presença, passou por cima da falta de criatividade da organização. Mas, agora falo do ser humano. Ronaldo sempre foi o primeiro, o Fenômeno. Agora a vida mudou. Sim, ele tem muito dinheiro e nesse aspecto se resolveu. Mas, e aí? Começou uma empresa envolvendo grandes nomes do futebol atual. Tentativa válida. Só que ele está acostumado com a grandeza e gerará, provavelmente, uma expectativa, de grande porte e uma cobrança interna dele mesmo, de fazer fora do campo aquilo que fez dentro. Não é fácil. O que quero dizer é que, nos centros mais avançados, astros de ponta são preparados, psicologicamente, para começar e para encerrar suas vidas profissionais. Na NBA, quando os meninos começam a se destacar, passam por um preparo muito forte, para a nova vida, que virá. E um ano antes do final, ocorre o mesmo. As sensações mudam, tanto na subida, como na descida. E sem ajuda, fica complicado. Alguns perdem o rumo. E isso significa iniciar negócios em ramos desconhecidos, gastar dinheiro em aventuras e tentativas desesperadas de se manter em evidencia. Como reagirá, sem preparo prévio, o Ronaldo, quando diminuir o assédio? O que o ego irá dizer, ao perceber, que outros estão tomando aquele o lugar, que ele ocupou por tantos anos ? E isso é inevitável. Porisso que Ronaldo precisa de ajuda. A vida mudará muito. Antes sentia dores, porém encontrava a felicidade plena, dentro de campo, como sempre disse. Agora ficarão só as dores. Tomara que vença esse desafio sozinho. Porém, não é assim que temos visto através dos anos. Que alguém, do séquito do Ronaldo, diga isso a ele, para que o sorriso, que víamos nos campos, possa continuar no rosto dele, mesmo agora que não pode mais jogar futebol.

TUDO NORMAL NO PARAGUAI

Foto: AFP

Foto: AFP

Foi tudo normal. Deu Santos com um bom empate, Muricy tomou uma pedrada e nada vai ocorrer. A Conmebol é um lixo, dirigida por um cara, que cansa de ser envolvido em denúncias de sujeiras, mas que não sai de lá e não faz nada para melhorar as coisas, desse lado do mundo. Felizmente o Cerro caiu, o Santos ficou e o melhor time está na final. A pedrada, que o Muricy levou em campo, só lembra a maneira como sempre fomos recebidos em Assunção, com urina e esterco nos brasileiros o tempo todo. A Guerra do Paraguai ainda segue muito viva na cabeça deles, pelo jeito. Pelo que li e acredito, foi uma covardia contra eles, uma união entre brasileiros, argentinos e uruguaios, contra um povo, que foi dizimado em nome da autonomia dos ingleses, donos do mundo à época. Nunca mais eles se ergueram e isso fica claro nos campos de jogo. Não sei se também é fomentado nas escolas, ou se fica restrito ao mundo da bola. De qualquer forma, é melhor que a final seja em São Paulo. Já basta Assunção hospedar a séde da Confederação de Nicolas Leoz.