São Paulo na torcida pelo Corinthians??

Foi sofrido, foi difícil mas o São Paulo conseguiu vencer o Danúbio, de virada, 2 a 1, lá em Montevidéu e continua vivo na Libertadores, dependendo só de si para conseguir a classificação.

O futebol que o Tricolor jogou foi condizente com o gramado ruim e pequeno do estádio Luiz Franzini, que pertence ao Defensor SC. O vento forte também contribuiu para dificultar ainda mais os limitados jogadores das duas equipes. Fisicamente a equipe da casa morreu nos minutos finais.

No primeiro tempo o São Paulo conseguiu ser dominado pelos uruguaios que ainda não venceram na competição. Melhorou no segundo tempo mas, mesmo assim, saiu perdendo com um gol de Sosa que acertou um foguete da intermediária e o goleirão Rogério Ceni aceitou.

Pato, de cabeça, empatou e Centurion fez o gol da vitória, também de cabeça, aos 45 minutos. O Assistente peruano Luis Murillo foi corajoso em não erguer a bandeira já que a posição do atacante são-paulino era legal, porém, duvidosa.

A classificação do grupo 2 tem o Corinthians liderando com 12 pontos, São Paulo está com 9, San Lorenzo soma 6 e o Danúbio continua com zero. O jogo desta quinta-feira entre Corinthians e San Lorenzo, na Arena Corinthians, além de importantes para os envolvidos diretamente também interessa ao Tricolor. Se o Timão vencer o São Paulo joga por um empate na rodada final contra o rival alvinegro.

A vitória são-paulina complicou os planos do técnico Tite. Será que ele vai usar um time misto, titular ou reserva contra os necessitados argentinos logo mais. Não podemos esquecer que domingo teremos a rodada semi-final do Paulistão quando o Corinthians enfrentará o Palmeiras e o São Paulo vai para o litoral encarar o Santos. Que sinuca, heim?

O tempo de descanso para os corintianos será menor, enquanto o Palmeiras só treina. O Santos também jogou na quarta pela Copa do Brasil e poupou seus principais jogadores. Mesmo assim, eliminou o Londrina ao vencer por 1 a 0, gol de Elano.

Vamos aguardar para ver quem será mais criativo nas desculpas aos ser eliminado do Paulistão.

Erro grotesco em Corinthians x Ponte

A nossa arbitragem voltou a ocupar posição de destaque no noticiário esportivo após a rodada eliminatória do final de semana. Infelizmente, um erro grotesco foi cometido pelo assistente Vicente Romano Neto no jogo em que o Corinthians venceu a Ponte Preta por 1 a 0, encerrando a participação dos campineiros no Paulistão.

Equivocadamente foi marcado impedimento de Renato Cajá quando ele aproveitou um rebote do goleiro Cássio e fez 1 a 0 para a Macaca. Cajá estava atrás da linha da bola no momento do chute, portanto, sua condição era legal.

A vitória por 1 a 0, gol de Renato Augusto depois de uma bela triangulação com as participações de Jadson e Vagner Love, mostra bem como foi difícil a melhor equipe do campeonato superar seu tradicional adversário.

Tá certo que o Corinthians não vem jogando tão bem, apresentando uma queda de produtividade preocupante. A equipe não pôde contar com o artilheiro Guerrero, internado com suspeita de dengue. Antes da semi-final com o Palmeiras o Timão joga quinta-feira pela Libertadores contra o San Lorenzo.

Completando a rodada que abriu as quartas-final no sábado, o São Paulo derrotou o Red Bull Brasil por 3 a 0 com gols de Rogério Ceni, Pato e Ganso. Sob o comando interino de Milton Cruz, jogadores que nada estavam produzindo com Muricy Ramalho resolveram se empenhar um pouco mais após a saída do técnico. Ficou bem nítido que o antigo treinador estava sendo sabotado, num total desrespeito com o clube, sob a conivência dos diretores.

Se não, vejamos. A equipe continua sendo comandada por dois integrantes que auxiliavam Muricy, MIlton Cruz e Tata. O que eles conseguiram mudar, implantar, que o antigo treinador não deixava ou não praticava? O posicionamento do Ganso, do Pato, do Michel Bastos? Estão de brincadeira, né? E ainda tem cara-pálida que diz que jogador não derruba técnico. E se tivesse então? Mas, se a equipe já está na semi-final do Paulistão contra o Santos, as coisas continuam complicadas na Libertadores. Quarta-feira o jogo será em Montevidéo contra o Danúbio.

O Palmeiras também teve muitas dificuldades para eliminar o Botafogo com a presença de um pouco mais de 35 mil torcedores. O placar também foi de 1 a 0 numa marra desgramada, gol de Leandro Pereira, de joelho, aos 26 minutos do segundo tempo.

Pressionado pela imbecilidade da Federação Paulista de Futebol ter aceitado vender espaços no uniforme do árbitro para dois patrocinadores do Palmeiras, o árbitro Marcelo Rogério optou em pecar pela honestidade e, na dúvida, a decisão era sempre contra o Palmeiras. Se as regras são interpretativas, os malandros que se explodam.

Mesmo assim, agiu corretamente ao marcar falta de Eli Sabiá no goleiro Fernando Prass. O jogador do Botafogo cabeceou o braço esquerdo do goleiro que soltou a bola que já estava em suas mão após a cobrança de escanteio. Na sequência, a bola bate na cabeça de Sabiá e vai para Bruno Costa, impedido, marcar o gol que daria a vantagem no placar de 1 a 0 para o Botafogo, aos 5 minutos de jogo. Então, tivemos no mesmo lance falta em Prass e impedimento de Bruno Costa.

O Botafogo não tem do que reclamar. O árbitro deveria ter marcado pênalti de Gimenes em Dudu, quando o lateral botafoguense empurrou o atacante palmeirense pelas costas após um cruzamento. Um outro possível pênalti envolvendo os dois jogadores não foi, corretamente, marcado. Dudu segura o lateral pelo braço e o defensor segura o atacante pela camisa. Os dois caíram dentro da área e o árbitro deixou o jogo seguir.

Os Assistentes do Marcelo Rogério tiveram pouco trabalho. Porém, Danilo Manis marcou impedimento equivocado do palmeirense Lucas no primeiro tempo e deixou de marcar a posição irregular do botafoguense Zé Roberto no segundo tempo.

Talvez, ele não tenha erguido a bandeira porque Zé Roberto chutou para fora, perdendo o gol. Talvez. Já o Assistente Fabrício Moura foi perfeito no lance que Dudu fez 1 a 0 e ele marcou impedimento aos 22 minutos do segundo tempo. Quando Valdívia toca na bola, desarmando o adversário e passando para o companheiro, Dudu está adiantado.

Será que a Federação precisava mesmo estampar Crefisa e FAM Faculdades das Américas nas camisas dos árbitros? Será que os árbitros, que já não recebem direito de arena, também não vão ser remunerados pela publicidade? E ainda tem quem chama os árbitros de ladrões.

O jogo mais tranquilo para a arbitragem foi a vitória do Santos de 3 a 0 contra o XV de Piracicaba, com gols de Robinho e Ricardo Oliveira, ambos de pênaltis, e Lucas Lima numa bobeada de Fabiano na saída de bola da defesa do Nhô Quim.

Aliás, a tarde não será facilmente esquecida pelo lateral do XV. Ele fez o primeiro pênalti em Lucas Lima no primeiro tempo de perdeu a bola no terceiro gol santista para o próprio Lucas Lima, melhor jogador em campo. Com dores na coxa esquerda, Robinho foi substituído no início do segundo tempo.

Guilherme Ceretta de Lima foi o árbitro e ficou bem a vontade para apitar o jogo. As duas equipes ficar descontentes com a escalação dele. Quando isso acontece é melhor do que um clube criticar e o outro elogiar. Os Assistentes não tiveram trabalho nenhum. Apenas um impedimento no primeiro tempo de jogo. Que moleza!

Grande x pequenos no Paulistão

A última rodada de classificação do Paulistão se contrastou entre alegria e tristeza. Enquanto jogadores do XV de Piracicaba e Linense vibravam e festejavam pelos objetivos  alcançados, integrantes da Portuguesa e do Penapolense deixavam os gramados cabisbaixos, levando para os vestiários o peso do rebaixamento em suas carreiras.

Gosto  amargo que técnico vencedor e campeão como PC Gusmão está experimentando com o time de Penápolis. A classificação final reflete bem os equívocos administrativos destes dois mais Bragantino e Marília, equipe com a pior campanha de todos os campeonatos reunindo a elite paulista.

Para clubes considerados pequenos, é bem mais lucrativo participar de uma divisão inferior disputando o título do que ficar numa divisão superior com o objetivo apenas de não cair. A cidade se mobiliza mais e a presença de torcedores é bem maior.

Há motivação e o público pagante é bem superior. A Federação Paulista também precisa parar com a exigência da construção ou ampliação dos estádios considerados “acanhados”. Hoje temos enormes estádios com públicos diminutos. Verdadeiros elefantes brancos pelo interior paulista.

Quem teve a coragem de comparecer ao Morumbi, pouco mais de cinco mil torcedores, viu um São Paulo com mais determinação em campo, mostrando que a saída do técnico Muricy Ramalho motivou alguns jogadores tipo “sutiã com bojo”, aqueles que enganam pra caramba a correrem mais. Vale lembrar que estrelas como Ceni, Toloi, Michel Bastos, Souza, PH Ganso, Kardec e Denilson não estavam em campo.

O placar de 3 a 0 mostrou bem a superioridade do Tricolor contra a Lusa. Se em toda a rodada a arbitragem foi boa, não havendo erros que interferissem no resultado e na classificação final, o árbitro Alessandro Darcie cometeu um equívoco no terceiro gol são-paulino marcado por Hudson. O pênalti que ele marcou em Cafú, para mim não aconteceu.

Porém, na cobrança pelo próprio Cafú e defendida pelo goleiro Rafael Santos, tivemos invasão da área por jogadores das duas equipes o que a regra manda que o pênalti seja cobrado novamente independentemente da definição.

O terceiro erro da arbitragem foi confirmar o gol de Hudson que cabeceou o rebote do goleiro por ser um dos invasores. Se o árbitro não voltou a cobrança deveria ter marcado tiro-livre-indireto contra o jogador do São Paulo.

A vitória combinada com o empate do Palmeiras contra o Ituano em 2 a 2, deixou o Tricolor com a terceira melhor campanha geral somando 32 pontos e o rival em quarto com 31.

O Linense se livrou do rebaixamento ao ganhar do Red Bull Brasil, em Campinas, por 1 a 0, gol marcado no finalzinho do jogo. A vitória do “Elefante”rebaixou o Penapolense que perdeu para o São Bento por 1 a 0. Como são cidades e clubes vizinhos, a região noroeste perde um representante que foi muito bem no ano passado. Vitória pessoal do técnico Narciso, demitido pelo Penapolense e um dos salvadores do Linense. É a vida.

Também tivemos festa em Piracicaba. O XV empatou em 2 a 2 com o Corinthians e confirmou sua classificação para a fase quartas-de-final que terá os seguintes confrontos: São Paulo x Red Bull Brasil, Corinthians x Ponte Preta, Palmeiras x Botafogo e Santos x XV de Piracicaba. Os confrontos serão Sábado e Domingo com vantagem de campo para os “grandes” Havendo empate no tempo normal teremos prorrogação e, continuando empatado, os grandes passam por terem melhor campanha. Será que teremos zebra como no ano passado?

Reta decisiva no Paulistão

A última rodada de classificação do Paulistão terá jogos envolvendo adversários dos grupos 1 contra 3 e 4 enfrentando 2. De um total de 10 jogos, oito são de muita importância para os dois ou um dos adversários. Será um bom teste para os árbitros da Federação Paulista.

No jogo São Paulo x Portuguesa, o Tricolor será comandado interinamente pelo Milton Cruz já que Muricy Ramalho deixou o comando da equipe. O São Paulo, 29, precisa dos pontos para ficar numa condição melhor que Palmeiras e Santos na classificação geral. A Portuguesa, 13 pontos, necessita da vitória e da combinação de resultados para não ser rebaixada para a série A-2 paulista. Jogo que deverá exigir muito da arbitragem pela situação dramática da Lusa e o momento atual que vive o Tricolor.

Embora esteja numa condição melhor na tabela, 15 pontos, o São Bernardo não pode dar mole contra o invicto e rebaixado Marília (nenhuma vitória) para não ser surpreendido na combinação de resultados. O tranquilo Red Bull Brasil, 24, já garantido para enfrentar o São Paulo nas quartas-de-final, recebe o desesperado Linense que, com 13 pontos luta contra o rebaixamentoN

Numa situação mais cômoda o Rio Claro, 16 pontos, precisa de pelo menos mais um para não depender de ninguém. O adversário é o Santos lá na Vila Belmiro que, com 31 pontos pode ser alcançado por Palmeiras com 30 e São Paulo com 29 na classificação geral. O Palmeiras vai até Itu enfrentar um adversário tranquilo para o último jogo. Não se classifica nem está ameaçado. Alguém vai querer vencer, ou não?

Olha só que interessante o confronto entre o Penapolense com 15 pontos e quatro vitórias contra o tranquilo São Bento que está com 18. O jogo será na cidade de Penápolis e a equipe da casa precisa vencer para tentar a classificação e ao mesmo tempo não correr o risco de ser rebaixada.

É um olho na parte de cima e outro no rabo. Ah, para se classificar, mesmo vencendo, ele torce contra o XV de Piracicaba que enfrenta o invicto Corinthians lá no Barão da Serra Negra. O Nhô Quim está com 17 pontos e cinco vitórias. O Timão vai perder a invencibilidade?

Para completar a relação de confrontos decisivos o Capivariano faz um clássico regional recebendo a Ponte Preta. Com 13 pontos a equipe da casa luta contra o rebaixamento e a Macaca, que já está classificada com 27, vencendo, vai a 30 e torce contra o São Paulo para ficar com a quarta melhor campanha geral. Legal né?

Nos outros dois jogos que completam a rodada não existe briga direta pela classificação nem pelo rebaixamento mas estará em jogo uma possível classificação para uma das divisões do Brasileirão.

O Mogi Mirim com 20 pontos recebe o Botafogo que tem 19 e o rebaixado Bragantino recebe o Osasco Audax, que está com 19 pontos e vai tentar conseguir uma vaga mesmo que seja por indicação da FPF.

Além da tristeza que as torcidas dos clubes rebaixados estarão sentindo, também teremos, ao término da rodada, muitos profissionais desempregados. A vida útil para alguns clubes considerados pequenos do futebol brasileiro, e não só de São Paulo, dura apenas três meses. É a vida. É bonita mas é sofrida, ou não?

Timão com vantagem no Paulistão

No confronto entre os dois melhores times do futebol paulista deu empate, 1 a 1. Para o Santos ficou o gostinho de ter quebrado os 100%  de aproveitamento do Corinthians na competição e não perder no estádio do Timão.

O primeiro tempo foi dominado pelo Corinthians que poderia ter ido para o intervalo com um placar elevado se não fosse a incompetência dos seus finalizadores e a excelente atuação do goleiro Vladimir fazendo defesas consideradas milagrosas se redimindo da péssima atuação que teve contra o São Bento, falhando nos dois gols que sofreu. Só não conseguiu evitar o gol de cabeça de Felipe.

O Santos mudou seu comportamento no segundo tempo e comandou as ações pressionando a saída de bola corintiana e com trocas de passes rápidas chegou ao gol de empate com Ricardo Oliveira aproveitando um cruzamento de Chiquinho e cabeceando sem possibilidades de defesa para Cássio.

Talvez, por terem forçado muito o ritmo de jogo na etapa inicial os jogadores do Corinthians demonstraram um desgaste físico maior, tanto é que o técnico Tite fez alterações após ouvir o preparador físico. Enquanto o Santos descansou na semana, o Timão jogou pela Libertadores.

Disciplinarmente os jogadores tiveram comportamento distintos. No primeiro tempo a arbitragem de Vinicius Araújo foi tranquila mas, quando foi exigido no segundo tempo, deixou de se impor e se fazer respeitar.

Apelou para o uso do cartão amarelo e mesmo assim foi omisso quando deveria ter expulsado Emerson por ter pisado com maldade na perna de Renato. Até o assistente de Copa do Mundo, Marcelo Van Gasse, marcou tiro de meta para o Santos em uma jogada de Fagner que a bola não saiu do campo de jogo.

O resultado garantiu ao Corinthians o primeiro lugar geral na classificação, não podendo ser alcançado restando ainda uma rodada, garantindo para o seu novo estádio todas as decisões.

Com uma arbitragem desastrosa de Luiz Martinucho, o Palmeiras venceu o Mogi Mirim no sábado por 3 a 1 com dois gols de Dudu e um de Robinho. Giovane diminuiu com um belo gol.

Com a vitória garantida, jogadores palmeirenses pendurados com dois cartões amarelos forçaram mais uma advertência com faltas desnecessárias porém, uteis para as pretensões. O juizão entendeu que Vitor Hugo, ao trombar com o adversário, mereceu o segundo amarelo e o expulsou equivocadamente.

O Tricolor continua jogando muito mal estando em campo com titulares ou reservas, experientes ou novatos e, em Ribeirão Preto, perdeu para o Botafogo por 2 a 0, gols de Vitor e Gimenes.

Mais uma vez jogadores de quem se espera muito foram meros figurantes. Pato e PH Ganso não jogaram nada pelo o que ganham e potencial que têm. Uma lástima para desanimo do técnico Muricy Ramalho que deve jogar a toalha mais uma vez. Talvez, uma licença médica será a solução a ser tomada pela diretoria para substituição do treinador.

Tivemos na rodada do Cariocão o famoso Fla x Flu com vitória do Mengão por 3 a 0 e muita revolta do atacante Tricolor Fred, expulso pelo segundo cartão amarelo quando o árbitro Wagner Magalhães entendeu que o artilheiro simulou ter sofrido uma falta. Acontece que ele encenou muito na queda mas, que ele foi tocado foi pelo adversário. Ao deixar o campo deu declarações pedindo para acabarem com o campeonato carioca.

Suspenso pelo Tribunal da Federação Carioca, o técnico Vanderlei Luxemburgo não compareceu ao Maracanã. Jogadores das duas equipes entraram em campo e perfilaram com as mãos na boca lembrando o gesto que o técnico do Flamengo fez ao colocar um pedaço de esparadrapo na boca. A torcida rubro-negra também acompanhou nos gestos com apoio dos tricolores.

O campeonato ainda não definiu os quatro classificados para as semi-finais. Flamengo e Botafogo estão garantidos enquanto Vasco, Madureira e Fluminense disputam as outras duas vagas. Na última rodada que será disputada no meio de semana o Vasco enfrenta o Volta Redonda na cidade do aço e o Fluminense também joga fora contra o Madureira. Vamos aguardar como será comportamento dos integrantes das arbitragens.

Em Minas Gerais não teremos o já manjado clássico na decisão do título. A surpreendente Caldense conseguiu se manter no primeiro lugar e terá como adversário o Tombense na semi-final. Cruzeiro e Atlético fazem a outra semi-final.

Os vencedores disputam o título. Muito bom para o futebol do interior ou para aqueles que administram com seriedade clubes considerados pequenos obterem classificação para a decisão do título estadual.

Com essa bolinha que o São Paulo está jogando o Red Bull Brasil vai atropelá-lo e tem plenas condições de chegar na semi-final e final. A equipe de Jaguariúna, que manda seus jogos em Campinas no estádio da Ponte Preta, pode ser finalista do Paulistão. Ou não?

Espetáculo em preto e branco

O Corinthians continua proporcionando aos seus torcedores uma satisfação enorme pelo futebol que tem apresentado seja contra quem e onde for. Quem gosta de um futebol intenso jogado com boa técnica e aplicação tática compra seu ingresso sabendo que não vai se decepcionar ao término dos 90 minutos. Por isso, a fiel continua lotando o novo estádio sem se importar com o adversário. O técnico Tite está fazendo o seu time conquistar a admiração até dos adversários.

Foi assim contra o uruguaio Danúbio quando fez 2 a 0 no primeiro tempo e 4 a 0 no final pela Libertadores na presença de mais de 38 mil pagantes. O tempo todo ele exigiu que sua equipe atacasse. Pelo seu semblante percebia a satisfação de estar sendo entendido e obedecido pelos jogadores que, mesmo provocados e desafiados, não revidaram os pontapés recebidos. Se o adversário é difícil o Corinthians vence, se é fraco o time goleia.

Tomara que sirva de exemplo e contamine o nosso futebol. Ainda é possível manter-se empregado jogando para ganhar.

O nome da noite em Itaquera foi o peruano Guerrero, autor de 3 belos gols. O placar começou sendo movimentado com uma linda cobrança de falta de Jadson que colocou a bola no ângulo superior direito do goleiro uruguaio aos 26 minutos. Depois só deu Guerrero. Aos 33 ele marcou depois de uma troca de passes entre Jadson e Elias. Nem bem começou o segundo tempo e logo aos 20 segundos ele bateu de voleio um cruzamento de Emerson, o melhor em campo. O último gol foi na conclusão de uma falta cobrada por Jadson. Agora, Guerreiro fez o seu “hat trick”.

O fraco árbitro peruano Diego Haro foi muito conivente com a violência uruguaia que caçou o irreverente Emerson Sheik, expulsando apenas Santos aos 39 minutos do segundo tempo. O juizão também poderia ter marcado um pênalti de Wendell colocando o braço na bola e um outro pênalti a favor do Corinthians quando Sheik foi derrubado.

A classificação para a fase seguinte da Libertadores já está garantida, só falta definir se conseguirá fazer a melhor campanha geral, condição que disputa com o Boca e leva desvantagem no saldo de gols. O próximo adversário será o San Lorenzo em Itaquera. Casa cheia de novo e certeza de um grande jogo.

O futebol do São Paulo é minúsculo

Surpreendentemente. O São Paulo não deu vexame em Buenos Aires. No confronto entre clubes campeões da Libertadores o Tricolor foi derrotado, apenas, por 1 a 0, num belo gol de Cauteruccio, aos 25 minutos do segundo tempo.

O argentino deu um chapéu no “infantilzão” Tolói e chutou por cima do ajoelhado Rogério Ceni. A má vontade e falta de companheirismo de Reinaldo para fazer a cobertura também merecem ser observadas. O resultado, mesmo negativo, mantém o time do Morumbi em segundo lugar no grupo pelo item saldo de gols.

Mesmo tendo viajado com antecedência para a capital da Argentina o São Paulo encontrou dificuldades para se deslocar do hotel até ao estádio Nuevo Gazômetro, chegando momentos antes do começo do jogo, atrasando o início, com o consentimento dos representantes da Conmebol. Os argentinos vivem momentos sociais conturbados pela insatisfação do povo contra o governo de Cristina Kirchener.

Embora tenha até dominado o adversário em alguns momentos do jogo, o São Paulo não levou perigo nenhum para o goleiro Torrico que defendeu apenas um chute de Michel Bastos.

Ainda no primeiro tempo os técnicos precisaram mexer em suas equipes por contusão. Denilson tirou Kalinski e Alan Kardec pisou num desnível do gramado e torceu o joelho direito, preocupando o departamento médico Tricolor.

Desta vez o São Paulo não teve jogadores expulsos mas, pelo fraco desempenho e falta de comprometimento de alguns atletas, o time continua jogando incompleto. Reinaldo fez um péssima partida na marcação e no apoio, Centurion que substituiu Kardec não produziu nada em todas as vezes que pegou na bola, Pato precisa jogar de tanga ou sunga o tanto que puxa o calção para cima para mostrar as coxas, PH Ganso não dá um pique sequer, é só no trotezinho. São jogadores que mais se parecem com sutiã de bojo, aquele que engana pra caramba, entende?

Confirmando que o ambiente não está bom entre jogadores e comissão técnica, Souza fez uma falta desnecessária na lateral do campo, recebeu o cartão amarelo e foi substituído por Ewandro. Saiu pela linha de fundo sem cumprimentar o companheiro e xingando. A coisa tá feia, tá preta seu Muricy!

Qual é o Palmeiras de verdade??

O torcedor palmeirense dormiu, se é que conseguiu, e acordou pensando e se perguntando qual é o seu Palmeiras de verdade? Aquele que venceu orgulhosamente o São Paulo ou esse que foi medíocre na derrota de 2 a 0 para o Red Bull Brasil? Pior, sofrendo gol do ex-corintiano Lulinha e do ex-rebaixado palmeirense Fabiano Eller. É pra acabar, né!

Será que desta vez a palestra motivacional do Zé Roberto não adiantou nada?

O jogador brasileiro gosta muito de ser motivado momentos antes de entrar em campo. Pode ver, sempre tem rodinha de união e mensagem final nos tuneis ou no gramado, mais ou menos como sempre vimos nos esportes de quadra, principalmente no vôlei.

Para alguns atletas de hoje e do passado, aquela reunião final não significa nem altera ou alterava seu comportamento. Para outros é sangue nos olhos, faca nos dentes, a energia sobrenatural que faltava. Tanto é, quem muitos já começam o jogo brigando com o adversário e com o árbitro.

E o treinamento, o trabalho técnico e tático onde ficam? A obrigação de ser grande diante do pequeno acomoda ou exige empenho maior e continuo?

Não falta respostas prontas quando o resultado positivo não é alcançado e a mais popular é aquela de que o “time jogou de salto alto”. Estão de brincadeira, ou não? Teve jogador que disse que a vitória contra o São Paulo não era obrigação, serviu apenas para a imprensa para de ficar falando que o Palmeiras não vencia clássicos. E agora, contra o time de Jaguariúna a vitória não serviria para nada?

Mesmo eufórico o torcedor palmeirense deve ficar atento, a fase quartas-de final do Paulistão será contra um adversário considerado pequeno e, ficando o alviverde na terceira posição da classificação geral o jogo corre o sério risco de ser em uma cidade do interior, fora do seu belo estádio.

Independentemente de quem entra em campo como titular o Corinthians não está tomando conta de quem seja o adversário nem se o jogo é no seu ou no estádio da vítima. Ao completar o quarto jogo em uma semana o Timão derrotou o Bragantino por 1 a 0 lá na terra da linguiça e continua líder geral absoluto. Até Vagner Love conseguiu desencantar e marcar seu primeiro gol com a camisa alvinegra.

O São Paulo não fez nada mais do que a sua obrigação ao derrotar o Linense por 3 a 0 com gols de Rogério Ceni e dois de Alan Kardec. Contra os pequenos do Paulistão Kardec deita e rola, precisa ser artilheiro contra os adversários grandes e rivais tradicionais, ou não?

O time que Muricy Ramalho colocou em campo foi aquele considerado reserva. Resta aguardar se contra o San Lorenzo voltam as estrelas que ganham muito e jogam pouco ou se os substitutos serão titulares. Se tomar um chocolate na Argentina tem jogador que não conseguirá voar de volta. Qualquer semelhança com ave que não voa é mera coincidência.

Será que o grande time do Santos se resume a presença de Robinho? O certo é que na ausência do meia o Peixe perdeu a invencibilidade do ano para a Ponte e empatou com o São Bento em 2 a 2 em plena Vila Belmiro.

Mais do que questionar a competência da nova comissão técnica ou a falta que Robinho faz, o certo é que no empate contra o time sorocabano o goleiro Vanderlei fez uma falta imensa. O substituto Vladimir conseguiu sofrer um gol de cabeça dentro da pequena área e outro gol com a bola entrando no canto que defendia. As más linguás dizem que um cone seria mais eficiente.

Para quem já teve Gilmar dos Santos Neves, Cejas, Rodolfo Rodriguez, vai ter que conviver com Vladimir por algum tempo já que a contusão do titular Vanderlei na face vai tirá-lo do Paulistão. Mas os torcedores mais antigos já viram o Peixe ser campeão com Nilton. Então, aguenta!!!

Seleção de Dunga segue imbatível

A quinta feira foi canarinho pelo planeta bola. Em Paris, a nova seleção de Dunga bateu a França com autoridade.

3 a 1 no placar com gols de Oscar, Neymar e Luiz Gustavo , enquanto o zagueiro do Real Madrid Varane descontou para os franceses.

Foi a primeira vitória dos brasileiros no Stade de France, o não tão saudoso palco da final da Copa do Mundo de 1998.

A seleção de Dunga continua invicta desde o final da Copa do Mundo. São sete vitórias, com dezessete gols pró e só dois sofridos. Numeros inquestionáveis para o novo comandante da Seleção.

Se os mais velhos conquistaram uma bela vitória , os meninos do Sub-17 não ficaram atrás.  A seleção confirmou nesta quinta-feira em Assunção a vaga no Mundial da categoria, que acontecerá no Chile em outubro, ao derrotar o anfitrião Paraguai por 3 a 2.

O rival do Brasil na última rodada do Sul-Americano será a lanterninha Colômbia, que não conseguiu ganhar sequer uma partida na fase final do torneio.

Simbora Brasil!!!

Palmeiras esmaga o São Paulo no Palestra

 

Aleluia, até que enfim o Palmeiras conseguiu vencer um clássico! Mas, até onde ganhar do São Paulo é derrotar um grande? O Tricolor completou mais um clássico sem vitória ao ser goleado pelo Palmeiras por 3 a 0 em sua primeira visita ao novo estádio alvi-verde.

O São Paulo jogou um futebol tão aquém da suas tradições e grandeza que nem as duas expulsões irresponsáveis de Toloi e Michel Bastos servem para consolar sua torcida.

Para a torcida palmeirense que mais uma vez compareceu em grande número a noite foi perfeita. Logo no início do jogo, menos de três minutos, Rogério Ceni falhou ao chutar uma bola recuada para a frente, jogando-a no peito de Robinho que dominou e da intermediária encobriu o goleirão, fazendo 1 a 0 num raro e lindo gol.

Aos sete minutos o becão Toloi recebeu uma cotovelada de Dudu na disputa da bola e, irresponsavelmente, corre atrás do adversário e o atinge com um pontapé sem bola. Quem viu tudo e dedurou para o árbitro foi o reserva Marcelo Ribeiro. Vinícius Furlan ouviu tudo e mostrou o cartão vermelho para o zagueirão justiceiro.

Perdendo de 1 a 0 e com um jogador a menos o São Paulo conseguiu dar apenas um chute no gol de Fernando Prass através de Pato, o escolhido por Muricy para deixar o jogo entrando Edson Silva para recompor a defesa.

O atacante deixou o campo mostrando todo o seu descontentamento não cumprimentando nem companheiro nem o técnico. Depois que esfriou a cabeça no vestiário voltou para o banco de reservas onde ficou trajando apenas o colete sem camisa, o que não deve ser permitido. No banco também deve ficar devidamente uniformizado.

Depois de desperdiçar várias oportunidades de gol o Palmeiras fez o segundo com Rafael Marques batendo cruzado de dentro da área, aos 23 minutos e assim terminou o primeiro tempo. No intervalo Muricy trocou o inexpressivo Ganso pelo insignificante Centurion e logo aos seis minutos a torcida palmeirense vibrou novamente com um lindo gol de Rafael Marques, novamente. Zé roberto cruzou da esquerda e o substituto de Allione e novo titular bateu de sem-pulo. A bola quase acerta Cristaldo que estava impedido e saía da jogada como uma tartaruga.

Com 3 a 0 no placar e um homem a menos, a coisa ficou pior aos 34 minutos com mais uma expulsão irresponsável. No meio do campo, Michel Bastos pulou com os dois pés nas pernas de Arouca.

Lance típico de quem quer ser expulso e deixar seus companheiros na fria. Jogada desnecessária e covarde. Cartão vermelho bem mostrado. Com toda a vantagem proporcionada pela incompetência Tricolor e méritos do Verdão, o Palmeiras só não fez mais gols por excesso de zelo e capricho dos seus atacantes na hora de concluir as oportunidades de gols criadas. Se jogasse com um pouco mais de seriedade o Palmeiras teria aplicado uma goleada histórica. Até o santo Paulo abandonaria o time.

Enquanto os palmeirenses estavam eufóricos, de todos os departamentos, o técnico Muricy Ramalho dava entrevista dizendo que “alguma coisa precisa ser feita”, só não disse o que?

O diretor do futebol Athayde Gil Guerreiro deixou o estádio sem ser entrevistado mas fazendo questão de informar que hoje tomará alguma providência para colocar a casa em ordem. Aliás, alguém está batendo fora do bumbo.

Uma equipe que termina o ano como vice-campeão brasileiro, torneio muito mais difícil que o certame estadual e, por causa da saída de Kaká e Alvaro Pereira, esquece como se joga um futebol competitivo e de alto nível, realmente está com um ambiente sem harmônia.

Vale lembrar que uma das preocupações do diretor tornada pública era se o técnico saberia administrar os egos daqueles que ficariam no banco. Parece que ele tinha razão. Com toda a experiência e conhecimento do clube, Muricy Ramalho não está conseguindo mostrar que a equipe segue suas orientações técnicas, táticas e, principalmente, disciplinares. Será que vão chacoalhar a rozeira?

Do lado palmeirense ninguém se lembrou de Valdívia. Ufa, até que enfim!