O braço da discórdia

Reprodução Site Inter

Ulalá, quem diria hein.

Precisou acontecer um erro grotesco, consertado por uma atitude proibida para que o tribunal da descredibilidade tomasse uma atitude que agrada sómente o autor do delito. É mole?

Como diz o Macaco Simão: “é mole mas sobe”.

Se voce contar em Portugal que um gol marcado de maneira irregular pode anular um jogo do Brasileirão-12, os patricios vão perguntar: -Quem são os burros”?

Se o árbitro Francisco Carlos não tivesse o Q.I. que tem, nada disso tinha acontecido. Há muito tempo ele estaria afastado.

Estive recentemente em Brasília e fiquei sabendo que seus padrinhos são Dionísio Roberto Domingos, hoje, secretário da Comissão de Arbitragem da CBF e o dignissímo político Renan Calheiros. A conferir.

O defensor juridico do Palmeiras, independentemente de ser moral ou não, está reunindo provas que poderão comprovar as evidências de que a informação para anulação do gol marcado com o braço foi obtida através da imprensa, tendo como base o proibido recurso eletrônico e externo.

Como não existe coerência entre os fatos, provas, defesa e julgamento dos auditores, qualquer decisão deve ser aguardada, vindo de um tribunal que não tem a menor credibilidade.

É claro que a posição de classificação das equipes envolvidas e interessadas no veredicto final vai alimentar a enxurrada de recursos.

Esse campeonato, infelizmente e dificilmente, terminará no dia 2 de dezembro. Uma pena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>