Punição já para os racistas!!!

Quanto mais o ser humano evolui mais ele regride. O que estamos vendo no dia a dia só comprova que está frase está cada vez mais real. Principalmente, quando o evento reúne pessoas em torno do futebol.

Temos os conflitos com mortes no local ou a caminho e, se não bastasse o conflito físico, está aumentando também a discriminação racial e homofóbica pelo mundo. A diferença do que acontece no Brasil com o resto do mundo é a falta de atitude no cumprimento da legislação.

Ou seja. Punição. A segregação religiosa já existe e matam em nome de Deus. Ou não?

A bela vitória que o Santos conquistou contra o Grêmio em plena Arena Tricolor por 2 a 0 ficou ofuscada pela atitude de alguns torcedores gremistas que direcionaram suas frustrações para o goleiro santista Aranha, ofendendo-o e provocando-o com palavras e gestos discriminatórios, injuriosos e racistas.

A imagem de alguns já está nas redes sociais e, certamente, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva vai se manifestar e o Grêmio deverá ser punido. Mas e o cidadão ou cidadã que naquele momento estavam ali como torcedor, se identificado, o que acontecerá com ele? Só o clube se ferra? Pau neles também autoridades, no rigor da Lei.

Em campo o resultado não reflete o que as duas equipes fizeram, não. O Grêmio sufocou o Santos mas foi incompetente para marcar gols e vacilou muito nos dois que o Santos marcou.

No primeiro o zagueiro David Braz saltou sozinho para fazer 1 a 0. No segundo, Robinho chutou em Werley, a bola voltou na sua canela e entrou sem querer. Antes do cruzamento para Robinho, Lucas Lima ajeitou a bola com o braço. Nem o Auxiliar Berckenbrok nem o péssimo árbitro Wilton Sampaio viram.

Por causa deste lance, o técnico Felipão, que não ganha pra reclamar mas, inconformado, resolveu protestar e foi expulso corretamente. Pelo menos em uma atitude o árbitro acertou. Já passou da hora do árbitro ser respeitado se não pela competência, que seja pela função.

Força Lusa!!!

Aleluia, aleluia também deve ser louvado pela vitória que a querida Lusa conseguiu na última rodada do Brasileiro B, quebrando um longo jejum de 8 jogos sem comemorar a conquista dos três pontos, dando um novo alento para o returno da competição.

Os pessimistas vão dizer que foi em cima do pior time da primeira metade do certame, o Vila Nova. Mas, acontece que o time goiano vinha de três vitórias consecutivas, tendo vencido inclusive o Vasco, que tem um time de primeira divisão, e o jogo foi no Serra Dourada. É mole? Outra coisa, foi 2 a 1 e a Lusa saiu na frente.

Embora o time Luso esteja montado de acordo com as difíceis condições financeiras que o clube atravessa, o técnico Silas trouxe jogadores desconhecidos do exterior sul-americano, não muito melhores do que temos por aqui só que determinados a vencer, sem as máscaras e vícios de brasileiros limitados mas que pensam que são craques e usam determinados clubes apenas como escada para uma proposta de trabalho melhor.

Voltando ao jogo, Gabriel Xavier, o “craque” do time tecnicamente por ser muito habilidoso e canhoto, fez 1 a 0 logo no começo do jogo. O Vila Nova foi pra cima empurrado por uma torcida animada e disposta a ajudar seu time a emplacar mais uma vitória. No segundo tempo o zagueiro Gustavo, subiu sozinho na cobrança de uma falta desnecessária cometida pela zaga Lusa e empatou.

Quando as coisas estão a favor é só tentar. A arbitragem marcou um impedimento existente de Jheymi que não havia necessidade de paralisar o jogo já que a defesa rebateu e levou vantagem.

Só que a bola havia caído na intermediária. Na cobrança do impedimento a bola foi chutada para o ataque Luso e o zagueiro Jeferson do Vila Nova entregou a rapadura ao cabecear mal para o goleiro.

Esperto e acreditando no lance até o fim, Gabriel Xavier, que já estava mortinho e com início de câimbras nas duas pernas, tocou com muita tranquilidade para o gol e foi para o abraço dos companheiros. Vitória de 2 a 1, deixando a lanterna da competição nas mãos do time goiano. Viva a Lusa, agora, no segundo turno ninguém segura.

O “mata burro” no futebol

Essa geração conectada e plugada de hoje talvez não saiba o que seja um mata-burro. Mas é só entrar nestes sites da internet  que saberão do que se trata. Se tivéssemos um mata-burro em cada saída de vestiário, muitos pseudos craques não entrariam em campo. Isso mesmo, o que temos de jogador burro é brincadeira.

No clássico San-São, vencido pelo São Paulo por 2 a 1 com gols de PH Ganso e Pato para o Tricolor e Gabriel, de pênalti, para o Peixe, tivemos um festival de jogadas e atitudes em que o Q.I. passou longe.

O São Paulo abriu o placar, ainda no primeiro tempo, com PH Ganso depois de um arremesso lateral em que a bola ficou quicando na área até que o ex-santista acerta uma bela puxeta. No gol de empate do Peixe aos 40 minutos, Álvaro Pereira fez um pênalti em Rildo quando o atacante santista sairia com bola e tudo pela linha de fundo.

Ao comemorar o gol, Gabriel tirou a camisa e recebeu o seu terceiro cartão amarelo e desfalcará a equipe para o próximo jogo, além de mandar a torcida adversária ficar em silêncio. O técnico Oswaldo de Oliveira chamou a atenção do garoto na hora e a diretoria, vai punir a irresponsabilidade do rapaz?

O Santos nem teve tempo de comemorar e, aos 43 minutos, o zagueiro David Braz demorou para dar um passo a mais e deu condições de jogo para Pato receber de Denilson, sair na cara de Aranha, que defendeu o primeiro chute mas não teve condições de evitar o gol na segunda finalização.

Enquanto tudo isso acontecia, desde o passe de Denílson para Pato, o lateral Cicinho ficou parado com o braço erguido pedindo impedimento. Se, tivesse corrido para o lance talvez teria atrapalhado Pato.

O auxiliar paulista Vicente Romano acertou por centímetros, Pato não estava impedido. O árbitro paulista Vinicius Furlan mostrou que em São Paulo existe árbitros em condições de apitar clássicos com boas arbitragens, é só ter coragem de escalar. Não é porque o Rafael Claus foi agredido que os demais devem ser vetados pelos incompetentes que comandam a arbitragem paulista e brasileira.

Não é só jogador que ficaria preso em mata-burro não, tem árbitro que seria substituído no vestiário. Em Porto Alegre, clássico entre paulistas e gaúchos mas, com técnicos gaúchos, até que o Corinthians conseguiu um 0 a 0 no primeiro tempo.

Parece que o intervalo foi um pouco mais estendido para os atletas do Timão. No reinício do segundo tempo Barcos fez 1 a 0. Enquanto a torcida do Grêmio comemorava, Barcos fez 2 a 0.

Guerrero descontou e depois foi expulso por ter, no entendimento do árbitro, agredido com uma cabeçada o adversário Alan Ruiz, quando o jogo já estava paralisado por falta de Elias no goleiro Marcelo Groe.

Os dois não tinham nada com isso com a jogada mas, justiceiros que são, resolveram se encarar e o gremista foi mais esperto simulando ter sido agredido e o árbitro acreditou.

O que não faltou foi lance polêmico para ser discutido e apitado pela tv. Romarinho chuta e a bola bate no braço aberto do zagueiro Werlei e o paranaense que apita por Santa Catarina Heber Roberto Lopes não marcou o pênalti. Aliás, diante de tanta interpretação diferente no mesmo campeonato, já não sei mais o que é pênalti ou não. Matias Fernandes empurrrou Ralf dentro da área e o juizão preferiu não ver nada.

E assim caminha a humanidade, com mata-burro ou sem.

Palmas para as meninas do Vôlei

AFP

O vôlei feminino do Brasil continua enchendo de orgulho o país do voleibol. Do vôlei sim, porque do futebol já deixou de ser faz tempo.

Nossas meninas conquistaram o Grand Prix pela décima vez e com uma campanha incrível.

Só uma derrota diante da Turquia e a coroação com chave de ouro com os 3 sets a zero sobre as japoneses donas da casa.

É “chover no molhado” elogiar o ´tecnico José Roberto Guimarães.

Um cara trabalhador, sério, dedicado e vitorioso. Além das conquistas olimpicas, mega campeão no Brasil e no exterior. Agora só falta o mundial com as meninas nesse ano.

No Basquete, a seleção masculina terminou a participação no torneio da Eslovênia com saldo positivo. Vitórias sobre Eslovênia e Irã e reves contra a Lituânia. Agora é cabeça na Copa do Mundo da Espanha que começa no dia 30.

Estreia contra a França , para retomar a força do basquete brasileiro que está perdida faz muito tempo.  Já as meninas acabaram caindo dianre da Austrália no torneio da Turquia. Precisam melhorar, para a disputa do mundial

Na Natação, Bruno Fratus brilhou e conquistou o ouro nos 50m livre na disputa dos jogos Pan Pacificos. Fim de semana muito bom para os esportes olímpicos do Brasil.

Futebol é generoso para alguns!!

Alexandre Lops/SCI

Como o futebol é generoso com alguns craques do futebol brasileiro! Treinam a semana inteira, tocam na bola por alguns segundos durante uma partida, ganham muito bem e na hora que precisam só empurrar a bola pra dentro do gol conseguem o IMPOSSÍVEL, chutar na trave ele a bola e o gol a um metro de distância e, para completar, sua equipe perde por 1 a 0.

Bá tchê! Dizem que o Rafael Moura, atacante do Internacional está vivendo uma má fase mas, o que ele fez na derrota do Inter para o Atlético Mineiro no Horto por 1 a 0, não é má fase não. É grossura, ruindade mesmo.

Pelo lado do Galo, o agora selecionável Tardelli também chegou na cara de Dida e chutou para fora em uma oportunidade. Na segunda chance, não desperdiçou e foi o autor do gol da vitória atleticana, graças ao bom desempenho de Luan que está se transformando no talismã do técnico Levir Culpi. Não é titular mas, toda vez que entra resolve.

É isso que se espera de quem está no banco e chamado para participar do jogo e ter um desempenho melhor do que vinha fazendo o companheiro substituído.

Atlético e Inter fizeram um jogo agradável de ser assistido, disputado, bem marcado mas com oportunidades de gols para os dois lados. A arbitragem do paulista Luiz Flávio de Oliveira teve um critério no primeiro tempo, deixando o jogo mais solto e não marcando aquilo que se convencionou de “faltas em que o atleta encena demais” mas, no segundo tempo segurou mais e acabou apitando o que não foi e deixou passar algumas que realmente aconteceram.

Seus auxiliares estiveram perfeitos. Só não dá para entender porque o paranaense Boschilia aceitou ficar dando tanta explicação para o técnico Levir Culpi e o preparador físico Carlinhos Neves? Não atrapalha a concentração no jogo?

Dizem que goleiro bom é aquele que tem sorte. Não adianta pegar tudo e o time perder. Defender as bolas difíceis e tomar um frango. Fazer uma defesa “impossível” e a bola entrar porque bateu nele no rebote.

O Botafogo venceu o Chapecoense por 1 a 0, gol sem querer de Ramirez, ex-Corinthians, num lance daqueles em que o camarada erra o cruzamento e faz um lindo gol e o goleiro Jefferson pegou tudo o que deu e o que não deu também. Teve um lance em que ele fez uma defesa  parcial “impossível”, a bola bateu na trave, nas suas costas e foi para alinha de fundo. Se entra, seria gol contra e de nada teria valido seu esforço. Não basta ser só bom!

E a nossa querida Portuguesa de Desportos, heim? Não ganha uma nem com o técnico Silas. Jogando em casa contra o líder Ceará, saiu na frente com um gol do estreante e gordo Alemão, cobrando pênalti, raramente marcado de agarrão em cobrança de escanteio, de Sandro em Briner que o árbitro carioca Graziani Rocha apitou.

Mas no segundo tempo, como sempre acontece, morreu fisicamente e permitiu que o Ceará mandasse no jogo e o gol do empate era uma questão de tempo e não deu outra.

O inteminável Magno Alves, um dos artilheiro do Brasil na atual temporada e com 38 anos de idade, driblou com muita categoria o becão da Lusa e deixou tudo igual, 1 a 1, mantendo o Vozão na vice-liderança da série B.

Quem olha a escalação do Vasco não acredita que a equipe carioca está jogando essa bolinha apenas. É um time com nomes que muitos clubes não têm semelhantes na Séria A e, toda vez que pode assumir a liderança, tropeça.

Desta vez estava ganhando do Icasa, como sempre, por 1 a 0 e, no finzinho do jogo, o goleirão da seleção Uruguaia Martin Silva tomou um peruzão. Que sina é essa dos cruzmaltinos. Um timão daquele que só consegue marcar um gol em 90 minutos e, seja o goleiro que for, sempre entrega o ouro. Assim, o técnico Adilson Batista vai ter que entrar em campo.

 

Corinthians atropela o Goiás

Fernando Dantas – Gazeta Press

A noite que parecia ser tenebrosa para o corintiano, terminou com muita alegria e motivos de sobra para comemorações. O Corinthians goleou o Goiás por 5 a 2, Luciano fez três gols e o time assumiu o terceiro lugar na classificação, superando o rival São Paulo, somando 31 pontos ganhos.

Embora o placar tenha sido elevado, as coisas não foram tão fáceis não. O Goiás saiu na frente com gol de Tiago Mendes, numa bobeada da defesa corintiana com a linha do impedimento. Ainda no primeiro tempo Guerrero empatou de cabeça.

Para o segundo tempo o técnico Mano Menezes trocou Romero por Luciano, mas foi o Goiás que marcou novamente. A defesa do Timão voltou a se comprometer com a linha do impedimento e Jackson ficou sozinho na frente do goleiro Cássio para colocar os goianos na frente, 2 a 1.

Por reclamar acintosamente querendo impedimento, Mano Menezes foi expulso pelo árbitro carioca Marcelo de Lima Henrique, corretamente. Se orientasse o time o tanto que interfere na arbitragem, Mano não faria seu torcedor sofrer tanto.

Provando que nem sempre a presença do técnico no banco é importante, sem Mano o Corinthians empatou logo em seguida com Elias aproveitando um chute de Renato Augusto que desviou na zaga adversária. Mais uma vez o auxiliar Gilberto Estina acertou. Aliás, todas as vezes que foram exigidos em lances difíceis, Estina e Luiz Regazzoni acertaram.

Depois que sofreu o empate o Goiás continuou criando e desperdiçando oportunidades. O Corinthians também deixou de marcar por méritos do goleiro Renan mas, aos 32 minutos a estrela do atacante Luciano começou a brilhar.

Desviou de cabeça uma falta cobrada por Fagner e colocou o Timão pela primeira vez na frente no placar, 3 a 2. Aos 39 minutos, em jogada individual Luciano fez 4 a 2. Para delírio dos quase 27 mil torcedores que compareceram na Arena Corinthians, aos 44 minutos, aproveitando um passe do adversário, encerrou o placar da vitória que virou goleada por 5 a 2.

O jogo em que o Goiás completou a quarta derrota consecutiva, despencando para a 11a posição na tabela com 20 pontos, serviu para o Corinthians estrear o zagueiro Anderson Martins e o uruguaio Lodeiro.

Anderson jogou o tempo todo e o meia entrou na metade do segundo tempo substituindo Jadson, que deixou o campo com dores na parte interna superior da coxa direita.

 

O Palmeiras não merece isso no Centenário

Me diga ai espelho meu, existe algum goleiro que faça mais gols contra do que o Fábio do Palmeiras? Sem maldade, mas, eta rapaz azarado esse, heim? As vezes, ele consegue falhar e marcar como fez no gol de empate do Sport.

Saiu pessimamente do gol, e dentro da sua área pequena, conseguiu trombar no companheiro Tobio, não acertar o soco na bola e fazer um gol contra de cabeça. Para o mundo que eu quero descer. Se eu não estiver equivocado já é o seu terceiro gol contra no Brasileirão-14. Já tem mais gols do que muitos atacantes.

O Palmeiras até que começou jogando bem na Arena Pernambuco, desperdiçou uma excelente oportunidade com o egoísta Henrique, defendida pelo goleiro Magrão.O mesmo Henrique marcou o gol palmeirense aos 14 minutos aproveitando rebote de outra excelente defesa de Magrão numa cabeçada dele mesmo.

Esse artilheiro passa a impressão de que está em campo com um único objetivo, manter uma média elevada de gols e que se dane os demais companheiros e o clube, desde que ele seja o artilheiro do time.

A sequência de erros que fez o Palmeiras perder mais um jogo, de virada, completando 10 partidas sem vitórias no Brasileiro e terminando a rodada em último lugar, lanterna verde da competição começou aos 22 minutos com uma falta desnecessária de Renato.

Na cobrança de Patric, o limitadíssimo Tobio ficou agarrando Neto Baiano e foi para dentro da pequena área trombando com o seu goleiro, 1 a 1. Pô, deixa o atacante ficar impedido, se ele disputar com o goleiro é falta. Olha só como a falta de conhecimento mínimo da regra atrapalha quem já é fraquíssimo tecnicamente.

A virada não demorou muito e veio aos 32 minutos com Renato rebatendo mal, para dentro da área, Fábio defendeu mas ficou mal posicionado e não conseguiu defender o petardo de Patric de fora da área. Daí para frente só deu Sport e uma goleada só não aconteceu porque, mesmo com Ibson e Diego Souza estreando, os pernambucanos pecaram muito nas finalizações.

Se a diretoria palmeirense estiver remunerando seus profissionais pela produtividade o caixa está estufado. A economia está sendo grande. Disputou 48 pontos e ganhou 14. Pelo menos, mantendo o técnico Ricardo Gareca no cargo, com respaldo da torcida, está mostrando para os demais clubes que é possível não trocar de técnico por uma sucessão de resultados negativos se entende que o trabalho está sendo bem feito.

O macaco quer saber: “é possível o trabalho ser bem feito sem vitórias?” Não precisa explicar.

O Santos se vingou do técnico Doriva e, para completar a alegria da vitória de 2 a 0 contra o Atlético Paranaense, Leandro Damião e Thiago Ribeiro desencantaram e balançaram as redes. Até o goleiro Aranha ficou invicto.

Marcelo Cirino chutou um pênalti no travessão, no finzinho do jogo, desperdiçando a chance dos paranaenses fazerem o gol de honra. Para quem não se lembra, Doriva era o técnico campeão paulista com o Ituano.  Mas, nem tudo foi alegria na Vila Belmiro, Robinho sentiu uma contratura na parte posterior da coxa direita e precisou ser substituído ainda no primeiro tempo de jogo.

E não é que o técnico Luxenburgo está tirando o Flamengo do lodo? Em cinco jogos venceu quatro. Desta vez a vítima foi o Atlético Mineiro em pleno Maracanã e de virada. Maicosuel fez 1 a 0 para o Galo no primeiro tempo. A virada veio com Léo Moura cobrando pênalti desastroso de Pedro Botelho em Eduardo da Silva. Não dá para acreditar que um jogador profissional ainda faça uma falta daquelas dentro da área. É brincadeira irresponsável!

O gol da vitória foi marcado sabem por quem? Pelo goleirão Victor. Isso mesmo, Eduardo da Silva cabeceou, Victor defendeu com mão de alface a bola tocou na trave, no seu peito e entrou. Gol de quem? Deve ter aprendido com o Fábio do Palmeiras.

 

São Paulo embala no Brasileirão

Rubens Chiri/www.saopaulofc.net

Quem diria que uma eliminação na Copa do Brasil para o Bragantino faria o São Paulo ficar entre os quatro melhores do Brasileirão depois de três vitórias consecutivas.

A exemplo do que fez o Ceará, o Tricolor derrotou o Internacional em pleno Beira Rio por 1 a 0, gol de PH Ganso aos 35 minutos do primeiro tempo. O árbitro carioca Graziani Rocha deixou o jogo correr solto e bicho pegou.

Para ser falta só se acertassem a correntinha, como a gente dizia antigamente já que hoje não pode jogar com jóias nem bijuterias.

O Inter até que chegou a empatar aos seis minutos do segundo tempo mas Rafael Moura, por preguiça e desconhecimento da regra, ficou impedido e o gol foi corretamente anulado. O Colorado pressionou muito mas foi o São Paulo que teve uma bela oportunidade para ampliar.

Num contra-ataque, Pato entrou na área e só não marcou porque Juan cortou a trajetória da bola com o braço esquerdo e o árbitro ignorou o pênalti.

Para não passar em branco, Rogério Ceni, que pegou muito, entregou o ouro aos 47 minutos mas o Inter não aproveitou. O jogo serviu para Michel Bastos estrear, entrando no lugar de PH Ganso.

São Paulo mostrou força no Sul e principalmente conjunto. Agora sim Muricy!!

Os eleitos de Dunga

Mowa Press

Pronto, agora o brasileiro já tem assunto para esquecer a derrota de 7 a 1 para a Alemanha e os 3 a 0 para a Holanda, aliás, o que dói mesmo é o chocolate alemão, razão principal para reinventarmos o futebol brasileiro. Bom, não tem como esquecer, com Marin, Del Nero, Gilmar Rinaldi e Dunga. É possível, nem tudo está perdido. Vocês vão ver, é só ganhar da Colômbia dia 5 de setembro pra ninguém mais lembrar do Felipão nem do Fred.

Pelo menos Dunga foi coerente ao convocar alguns que deram vexame, outros que não foram aproveitados como deveriam, alguns que poderiam ter sido chamados antes e outros que poderão vir mas que agora não fazem falta nenhuma, a não ser, para aumentar o cachê da seleção, sétima do ranking da FIFA.

Já que nossos técnicos não têm competência para trabalhar no primeiro mundo da bola nem no segundo ou terceiro, nada melhor do que convocar jogadores que são treinados pelos feras da tática.

E pelo jeito, o britânico Chelsea é o melhor do mundo ou seu técnico José Mourinho é aquele que deve ser copiado. De lá foram convocados Ramires, Oscar, Willian e o lateral Filipe Luis que estava no Atlético de Madri.

O clube português do Porto também ficou importante e cede os laterais Danilo e Alex Sandro, ambos ex-Santos. Outros clubes que também tiveram a convocação de dois atletas são Cruzeiro com Everton Ribeiro e Ricardo Goulart, o PSG com Marquinhos e David Luiz, o Corinthians com Elias e Gil.

Procurando ser coerente para não prejudicar as demais equipes, tanto brasileiras como estrangeiras, Dunga chamou apenas um de cada uma delas também por falta de melhores opções. Jefferson do Botafogo, Rafael Cabral goleiro do Napoli, Maicon do Roma, Miranda do Atlético de Madri, Luis Gustavo do Wolfsburg, Fernandinho do Manchester City, Phillipe Coutinho do Liverpool, Hulk do Zenit, Diego Tardelli do Atlético Mineiro e Neymar do Barcelona.

A nossa nova-velha seleção terá junto e misturado representantes dos futebol inglês, do Rio de Janeiro, da França, de Portugal, da Itália, de Minas Gerais, da Rússia, da Espanha, de São Paulo e da Alemanha.

Se você torcedor não está contente, pode ter certeza que alguns empresários e administradores de jogadores estão felizes da vida. Principalmente quem tem cláusula de valorização por convocação para nossa seleção.

Tem dirigentes que participam dos lucros também, só o clube é que se ferra, não recebe nada pela cessão do jogador e ainda fica desfalcado em jogos importantes. É a reestruturação do nosso futebol. Pára o mundo que eu quero descer.

Petros pega gancho justo!!

10ago2014-petros_atinge_o_arbitro_raphael_claus_no_primeiro_tempo_de_84cq

Continua sendo muito difícil entender a linha de raciocínio dos auditores do Superior Tribunal de Justiça Desportiva-STJD. Principalmente, para quem vai defender um cliente físico ou jurídico. Nada se faz mais justo do que o provérbio popular “cada cabeça uma sentença”.

As vezes a defesa nem é tão brilhante e o resultado é maravilhoso, em outras circunstâncias o advogado elabora uma tese muito bem fundamentada e fica pasmo com a condenação inicial.

Assim deve estar se sentindo o bacharel João Zanforlin depois que ouviu o veredito que condenou o jogador corintiano Petros à pena mínima de 180 dias pela agressão ao árbitro Rafael Clauss no jogo em que venceu o Santos pelo Brasileirão-14. As imagens pesavam muito contra o atleta. Nada justificava a atitude impensada de um profissional altamente disciplinado.

Como o advogado não conseguiu a desclassificação para um artigo com punição em jogos, Petros, se servir de consolo, foi punido com a pena mínima. Mas como é de praxe, haverá recurso para que o Pleno aprecie em segunda instância e, pode ser, que a sentença inicial seja reformada e o jogador pegue uma punição mais leve.

Mesmo que tenha sido uma pena correta, exemplar, não dá para acreditar que todas as atitudes semelhantes serão analisadas e interpretadas da mesma forma. Mudou-se o presidente mas os auditores continuam os mesmos. Ou seja, trocou o cachimbo mas a boca continua torta.

Foi a segunda derrota de Zanforlim em processos importantes e de repercussão. Primeiro foi o da Portuguesa e agora o do Corinthians. Coincidentemente, clubes paulistas. Será preciso apelar para os bacharéis cariocas?

A Copa do Brasil já conhece os jogos que iniciarão a fase oitavas de final contando com a participação daqueles clubes que foram eliminados da Libertadores. Vários clássicos, muito mais pela tradição do que pelo momento atual de cada um, dividirão as atenções dos torcedores paralelamente com o Brasileirão. A cada fase, sempre surgem surpresas, aquelas que mantém o animalzinho listrado sempre lembrado: zeeeeeeebra.

Por sorteio a ordem dos jogos é a seguinte pelo grupo verde: Grêmio x Santos, quem passar adiante enfrenta o vencedor de Botafogo x Ceará. O Cruzeiro enfrenta o surpreendente Santa Rita.

Quem passar pega o vencedor de Vasco x ABC. No grupo amarelo os jogos são:Coritiba x Flamengo. Quem for adiante enfrenta o vencedor de América-RN x Atlético Paranaense. Palmeiras x Atlético Mineiro e o classificado encara o vencedor de Bragantino x Corinthians. O sistema de competição continua o mesmo, um jogo com o mando de cada um. Os jogos de ida estão marcados para os próximos dias 27 e 28.