UFC 186: Conheça os brasileiros Fábio Maldonado e Thomas Almeida que lutam neste sábado

O carismático Fábio Maldonado - Ana Carolina/Gazeta Press

O carismático Fábio Maldonado – Ana Carolina/Gazeta Press

 

O blog traz uma matéria especial.

Neste sábado, dois lutadores representam o Brasil, atuando pelo UFC em Montreal, no Canadá.

Começamos pelo lutador paulista Fábio Maldonado.

Com 35 anos e natural de Sorocaba, o “Caipira de Aço” tem uma característica única: Seu incrível carisma e sinceridade.

Para muitos especialistas, Maldonado não é um atleta considerado completo, mas sua garra e grande capacidade de absorver golpes, impressionaram dois grandes nomes do UFC: Dana White (Presidente do UFC) e Joe Rogan (comentarista do evento).

Uma das lutas que surpreenderam ambos, foi o combate de Fábio contra o compatriota Glover Teixeira.

Apesar de ter sido dominado por Glover, Maldonado aguentou um verdadeiro massacre sem desistir.

Sempre acostumado a lutas emocionantes em pé e a virar combates, Maldonado fez história em um combate contra Vitor Miranda, atual lutador do UFC, em uma edição do evento Bitteti Combat..

Desde então, a carreira do lutador deslanchou ao sempre protagonizar combates que os fãs admiram.

Oriundo do Boxe, com 22 vitórias e nenhuma derrota, Maldonado também é popular devido sua personalidade.

Possuindo muita humildade, sem ter “papas na língua”, o atleta de Sorocaba usa as redes sociais e tem uma aproximação muito próxima dos fãs, o que faz conquistar mais adeptos.

O combate contra Rampage Jackson é visto como uma grande oportunidade de conquistar fãs no mundo inteiro, devido a popularidade do ex campeão do Ultimate.

 

Thomas Almeida é visto como grande aposta do Brasil no UFC - Felipe Fiorito/MKS

Thomas Almeida é visto como grande aposta do Brasil no UFC – Felipe Fiorito/MKS

 

Uma das principais apostas do atual MMA brasileiro.

Assim podemos definir, Thomas Almeida, ou melhor: Thominhas.

Com um impressionante cartel de 17 vitórias, invicto no MMA, o peso galo paulistano de 1,70m é uma das maiores apostas da academia Chute Boxe/Diego Lima.

Considerado um atleta completo, agressivo, cheio de armas em pé, Thomas protagoniza grandes combates em sua carreira.

Após uma grande passagem pelo evento americano Legacy, o lutador que também fez o melhor combate de 2014 no Brasil, contra Vinicius Zani no MMA Super Heroes, é visto como uma pedra preciosa e que pode futuramente fazer frente com os principais nomes da categoria no UFC.

Sempre muito ativo, Thomas chegou a fazer 8 combates em um ano, e está sempre em busca de grandes desafios.

No UFC, o atleta enfrentou Tim Gorman, na edição de Uberlândia.

Novamente mostrando seu Muay Thai afiado e ofensivo, Thomas impressionou os promotores e chegou a ser cogitado para enfrentar, o conhecido americano Urijah Faber, no UFC Rio deste ano.

Fazendo sua primeira luta no card principal neste sábado contra o atleta da casa, Yves Jabouin, Thomas quer um nocaute para cada vez mais se consolidar como futura estrela do Ultimate.

 

 

Buscando fazer história no MMA, Luis Sapo e Lívia Souza disputam cinturões do ONE Championship e Invicta FC nesta sexta feira

Luis Sapo (direita) faz grande duelo nesta sexta, nas Filipinas - Divulgação

Luis Sapo (direita) faz grande duelo nesta sexta, nas Filipinas – Divulgação

 

Nesta sexta feira, duas grandes participações brasileiras acontecem em dois continentes diferentes.

Ex campeão do XFC, o experiente Luis “Sapo” Santos enfrenta o temido americano, o ex campeão do Bellator e atual dono do cinturão meio médio do ONE Championship,  Ben Askren.

O duelo que acontece em Manila, nas Filipinas marca a segunda luta de Sapo na organização, após uma vitória por nocaute sobre Bahtiyar Abbasov.

Com mais de 70 lutas na carreira, o brasileiro aposta em seu poder de nocaute além da experiência no MMA para surpreender o favorito Askren, que é conhecido por ter um jogo de Wrestling muito perigoso.

 

Lívia Souza (direita) disputa título no maior evento de MMA feminino do mundo - Divulgação/Scott Hirano

Lívia Souza (direita) disputa título no maior evento de MMA feminino do mundo – Divulgação/Scott Hirano

 

Na noite de sexta feira, o evento feminino Invicta FC retorna com uma grande luta, valendo o cinturão peso palha do evento.

A brasileira Lívia Renata Souza desafia a campeã da organização, a finlandesa Katja Kankaanpaa em sua estréia na organização.

Com um cartel invicto de 7 vitórias no MMA, Lívia teve grande destaque no Brasil neste último ano, e suas atuações impressionantes chamaram a atenção do evento americano, recebendo uma grande oportunidade.

O evento ainda conta com mais duas brasileiras nesta edição.

Vanessa Porto enfrenta a ex lutadora do UFC, Roxanne Modafferi enquanto Ediane Gomes duela contra Raquel Pa´aluhi.

 

Jussier Formiga aposta no Muay Thai em busca de vitória contra Wilson Reis no UFC Goiânia

Jussier Formiga afia Muay Thai e tem ajuda da família para vencer compatriota no UFC - Divulgação

Jussier Formiga afia Muay Thai e tem ajuda da família para vencer compatriota no UFC – Divulgação

 

Após lesionar o joelho na reta final de preparação para luta contra John Moraga, em novembro do ano passado, Jussier Formiga visualiza no combate contra Wilson Reis, dia 30 de maio, no UFC Fight Night 67, em Goiânia, uma chance de conquistar seu primeiro nocaute no MMA. Para isso, o potiguar, faixa-preta de jiu-jítsu, acredita que os treinos de Muay Thai com os companheiros de Nova União, no Rio de Janeiro, o habilitam para apresentar uma grande evolução na trocação dentro do octógono.

Com um cartel de 17 vitórias, sendo oito por finalização e nove por decisão dos juízes, além de três derrotas, Jussier Formiga sabe que uma vitória sobre o compatriota é fundamental para mantê-lo bem ranqueado entre os pesos-moscas (até 57,1kg). A meta estabelecida pelo atleta, atualmente número cinco do ranking da divisão no UFC, é disputar o cinturão. Embalado por duas boas vitórias, o lutador pretende apresentar uma estratégia ainda mais agressiva em pé para ficar mais próximo do objetivo.

“Eu pratico jiu-jítsu desde os meus 13 anos, mas eu luto MMA e, por isso, treino bastante muay thai e boxe na Nova União. Só tem fera na luta em pé na equipe: José Aldo, Renan Barão, Dudu Dantas, que são conhecidos por essa agressividade. Então, vejo minhas lutas passadas, analiso onde errei, onde posso melhorar, e coloco em prática nos treinamentos. O instinto natural é levar a luta para baixo, mas vou sufocar em cima. A chave é a constante movimentação, sempre andar para frente e não deixar ele respirar. Não posso relaxar um segundo porque o adversário tem suas qualidades também. Vou mostrar em Goiânia que posso levar perigo também em pé”, conta o potiguar.

Também oriundo do jiu-jítsu, Wilson Reis possui um cartel de 19 vitórias e cinco derrotas. Assim como Formiga, seus triunfos estão divididos entre finalizações – nove – e decisões dos juízes – dez -. O potiguar estuda as armas que Wilson costuma apresentar dentro do octógono para não ser surpreendido pelo oponente..

“Infelizmente, vai ser uma luta contra um compatriota e a torcida acaba ficando dividida. Mapeei bem o adversário e conheço bastante ele. Sei que é faixa-preta de jiu-jítsu também, além de uma mão pesada. Se ele vier para o jogo de chão, me sinto confortável. Se ele quiser a trocação, estou muito bem treinado também. Não posso focar apenas no que ele pode fazer. Tenho minhas características, minhas qualidades e tenho que explorar isso. Deixar ele na defensiva e preocupado com o que posso fazer lá em cima. De um jeito ou de outro, tenho certeza que quem acompanhar a luta vai ver muita disposição e técnica”, avisa.

Força da família para vencer

Além da rotina de treinos pesados na Nova União, Formiga afirma que a energia dos familiares é fundamental para ele superar os obstáculos que encontra na carreira. Aos 30 anos, festejados no último dia 14, Jussier interrompeu o camp no Rio de Janeiro para passar 10 dias junto aos parentes e amigos em Natal, no Rio Grande do Norte. Segundo o lutador, o período foi necessário para ele retornar aos treinamentos ainda mais focado e determinado a vencer a terceira luta seguida no UFC.

“Eu comecei o camp no Rio de Janeiro no final de março, treinei oito dias e fui comemorar meu aniversário com minha família, em Natal. Esse tempo junto deles e a sensação que sinto em casa me dá uma força para continuar, para melhorar em tantos aspectos que nem eu sei explicar direito. Voltei para o Rio com a bateria recarregada, muito focado e cheio de disposição para passar por cima de todo mundo. Ainda tem mais cinco semanas de camp, de muito esforço e dedicação, mas necessários para chegar 100% na luta em Goiânia. Estou completamente focado para vencer mais essa batalha e representar bem minha equipe, minha família e todo estado do Rio Grande do Norte”, finaliza.

Com clima quente em pesagem, Face to Face 11 acontece nesta sexta no Rio de Janeiro

Clima esquenta para valer em pesagem do Face to Face - Divulgação/Renato Nogueira/MMA4ever

Clima esquenta para valer em pesagem do Face to Face – Divulgação/Renato Nogueira/MMA4ever

Realizada na tarde desta quinta-feira (23) no Promenade Verano Stay, na Barra da Tijuca (RJ), a pesagem oficial do Face to Face 11 transcorria tranquilamente, até que chegou o momento da encara mais aguardada do card, entre Bira Lima e Luiz Carlos Ninja. Os pesos-pesados, que nutrem uma grande rivalidade desde o Face to Face 9, quando se enfrentaram pela primeira vez, com vitória polêmica de Bira, começaram a trocar ofensas assim que alinharam-se frente a frente e quase chegaram às vias de fato, tendo que serem separados por um grande número de seguranças presentes ao local.

 

Além do clima quente, o único problema apresentado na pesagem foi no combate pelo cinturão dos pesos-galos (61kg). Hemerson Tigrinho estourou o limite da divisão em 1,3 kg e, mesmo que vença o duelo contra Luis Betão, não terá direito ao cinturão, e o mesmo ficará vago. O atleta também foi multado em 20% de sua bolsa.

 

Após passarem por todo protocolo de exames médicos, todos os atletas do card estão aptos para disputarem a 11ª edição do evento, que acontece nesta sexta-feira (24), a partir das 21h, no Centro de Eventos Ribalta, também na Barra da Tijuca. Ao todo, o torneio contará com nove combates profissionais e três deles serão válidos por cinturões. Paulo Borrachinha e Wagnão Gomes se enfrentam pelo título dos médios (84kg), Herdeson Capoeira mede forças com Paulo Bananada pelo topo dos leves (70kg) e Luis Betão, atual campeão, defende sua posição contra Hemerson Tigrinho.

 

Os outros destaques desta edição ficam por conta da revanche entre os pesos-pesados (120kg) Bira Lima e Luiz Carlos Ninja. Além dos confrontos entre Gustavo Gugu vs. Adriano Capitulino e Gregory Robocop vs. Renato Rangel “King”. Esta etapa também promove um marco na história da organização, que pela primeira vez realizará um combate feminino. Talita de Oliveira e Juliana Velasquez foram as escolhidas para iniciarem a trajetórias das mulheres dentro do evento.

 

O Face to Face 11 não terá venda de ingressos e será exclusivo para convidados. Porém, os amantes do MMA nacional poderão acompanhar todas as lutas do card, com exclusividade e ao vivo, pelo Canal Combate.

 

Face to Face 11

Centro de Eventos Ribalta, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro (RJ)

24 de abril de 2015, 21h

Card completo

Disputas de cinturão

Paulo Borrachinha (Borracha Team/Champion Team Rubens Dórea) x Wagnão Gomes (TFT) – 84kg (cinturão dos médios)

Paulo Bananada (XGYM) x Herdeson Capoeira (Team Nogueira) – 70kg (cinturão dos leves)

Luis “Betão” Nogueira (RFT) x Hemerson Tigrinho (Nova União) – 61kg (cinturão dos galos)

Card principal

Bira Lima (XGYM) x Luiz Carlos “Ninja” (Cascadura Team) – 120kg (peso-pesado)

Gustavo “Gugu” Dutra (RFT) x Adriano Capitulino (Rio Figthers) – 77kg (peso meio-médio)

Gregory Robocop (XGYM) x Renato Rangel “King” (Delfim/Nova União) – 84kg (peso médio)

Iago Lopes (Rizzo RVT) x Reyzinho Duarte (ATT/Rio Fighters) – 57 kg (peso mosca)

Talita de Oliveira (PRVT) x Juliana velasquez (Team Nogueira) – 61kg (peso galo)

Diogo Pimenta Christello (Team Moraes) x Alan Gomes (Team Nogueira) – 57kg (peso mosca)

Borrachinha e Wagnão fazem luta principal - Divulgação/Renato Nogueira/MMA4ever

Borrachinha e Wagnão fazem luta principal – Divulgação/Renato Nogueira/MMA4ever

 

Em busca de nocaute, Thomas Almeida quer vencer na casa do adversário neste sábado no UFC

Thomas Almeida enfrenta canadense neste sábado no UFC - Divulgação MKS/Felipe Fiorito

Thomas Almeida enfrenta canadense neste sábado no UFC – Divulgação MKS/Felipe Fiorito

 

Neste sábado, dia 25 de abril, o paulistano Thomas Almeida faz sua segunda luta pelo UFC, a primeira fora do país. Em Montreal, no Canadá, ele enfrenta o haitiano naturalizado canadense Yves Jabouin, na categoria peso-galo (até 61,6kg), abrindo o card principal do UFC 186, cujo combate principal vale o cinturão peso-mosca (até 56,7kg), entre Demetrious Johnson e Kyoji Horiguchi.

O card “numerado” terá transmissão por Pay Per View, e uma vitória por nocaute é o grande objetivo de Thominhas, que busca corresponder às expectativas de maior esperança brasileira da sua divisão na franquia e impressionar o presidente Dana White e sua diretoria.

Aos 23 anos, o brasileiro ainda não tem a mesma experiência de seu adversário no UFC, mas chega para o duelo respaldado por um cartel de respeito: são 17 combates e 17 vitórias, sendo 14 delas ainda no primeiro round. Em novembro do ano passado, na cidade de Uberlândia (MG), Thomas Almeida precisou, pela primeira vez, esperar a decisão dos juízes laterais para ser declarado vencedor.

Apesar disso, a vitória sobre Tim Gorman lhe rendeu o bônus de melhor luta da noite, e agora em sua estreia internacional pela organização o ex-campeão do Legacy FC já projeta o resultado perfeito.

“Quando eu piso dentro do octógono, meu objetivo é sempre acabar o mais rápido possível, e dessa vez não vai ser diferente. Fiquei feliz com o resultado da minha primeira luta, mas diante do Jabouin quero ter uma atuação mais convincente, até por ser em um card principal de um evento com disputa de cinturão.

Quero mostrar ao mundo quem é Thomas Almeida, e que eu não entrei no UFC para ser só mais um, entrei para ser campeão. Já sonho com um belo nocaute para impressionar os patrões”, confia Thomas, que chegou a Montreal nesta última segunda-feira, dia 20.

Para o duelo diante de Jabouin, o lutador fez seu camp inteiro com sua equipe, a Chute Boxe Diego Lima. Lá, teve o auxílio incansável dos amigos Lucas Mineiro e Felipe Sertanejo, do UFC, do atleta do XFC Allan Puro Osso e de promessas do MMA nacional como Felipe Efrain.

O peso-pena (até 66,1kg) Lucas Mineiro foi, inclusive, seu principal sparring no camp e simulou diversas vezes a adversário deste sábado de Thominhas.

“O meu camp foi muito bom, um dos melhores que já fiz na carreira. Além da ajuda do Allan, que lutou em março e fez eu me manter em alto nível de treinos mesmo antes do camp, o Lucas Mineiro se dedicou demais na minha preparação simulando o jogo do Yves.

Eu sempre estudei meus adversários, mas nunca tive um companheiro me ajudando dessa forma, agradeço muito a ele e tenho certeza que vou chegar dentro do octógono ciente de cada passo do meu oponente”, afirma.

Combate na casa do adversário não intimida

Rival de Thomas neste sábado, Yves Jabouin é um veterano do UFC. Aos 35 anos, ele integra o plantel do Ultimate desde 2011 e possui um retrospecto de cinco vitórias e três derrotas na organização.

Haitiano, mas naturalizado canadense, Yves vive em Montreal, onde será realizado o duelo, mas isso não assusta Thominhas, que viverá a situação contrária de sua estreia, quando venceu Tim Gorman, em Uberlândia, com o apoio da torcida brasileira.

“Respeito o Yves, é um cara que gosta da trocação, mas quando toma um golpe sente e acaba tentando jogar a luta para baixo visando o ground and pound.

Estou bem preparado para o seu jogo e o fato de lutar na casa dele não me incomoda em nada. Por já ter vivido o outro lado dessa situação, acho que sei o que pode atrapalhá-lo e posso me aproveitar de qualquer brecha que ele der”, finaliza.

Musas de reality show participam de edição do Face to Face no Rio neste fim de semana

Modelos são destaques em evento carioca - Divulgação/Patrick Brito

Modelos são destaques em evento carioca – Divulgação/Patrick Brito

Cris Lopes será ring girl do Face to Face neste sábado -  Divulgação/Patrick Brito

Cris Lopes será ring girl do Face to Face neste sábado – Divulgação/Patrick Brito

Ex-participantes do reality show Casa Bonita, do canal Multishow, Cris Lopes e Kathleen Guedes abrilhantarão, com muita beleza e sensualidade, na posição de ring girls, a décima primeira edição do Face to Face.

 

As modelos serão mais duas grandes atrações do torneio, que é patrocinado pela YIP Telecom. Ao todo, a competição, que será realizada nesta sexta-feira (24), às 21h, no Centro de Eventos Ribalta, na Barra da Tijuca (RJ), terá nove combates profissionais.

 

Novamente com um card estelar, a organização, que vem consolidando-se como a principal do país, promoverá a disputa de três cinturões. Paulo Borrachinha e Wagnão Gomes lutam pelo cinturão dos médios (84kg), Paulo Bananada e Herdeson Capoeira se enfrentam pelo título dos leves (70kg) e Luis Betão, atual campeão, defende sua condição de líder da categoria contra Hemerson Tigrinho pelos galos (61kg).

 

Os outros destaques desta edição ficam por conta da revanche entre os pesos-pesados (120kg) Bira Lima e Luiz Carlos Ninja, que se enfrentaram no Face to Face 9, com uma polêmica vitória de Bira, além dos confrontos entre Gustavo Gugu vs. Adriano Capitulino e Gregory Robocop vs. Renato Rangel “King”.

 

Kathleen Guedes participa do Face to Face - Divulgação/Fábio Neder

Kathleen Guedes participa do Face to Face – Divulgação/Fábio Neder

 

Esta etapa também promove um marco na história da organização, que pela primeira vez realizará um combate feminino. Talita de Oliveira e Juliana velasquez foram as escolhidas para iniciarem a trajetórias das mulheres dentro do evento.

 

O Face to Face 11 não terá venda de ingressos e será exclusivo para convidados. Porém, os amantes do MMA nacional poderão acompanhar todas as lutas do card, com exclusividade e ao vivo, pelo Canal Combate.

 

 

Face to Face 11

Centro de Eventos Ribalta, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro (RJ)

24 de abril de 2015, 21h

Card completo

 

Disputas de cinturão

 

Paulo Borrachinha (Borracha Team/Champion Team Rubens Dórea) x Wagnão Gomes (TFT) – 84kg (cinturão dos médios)

Paulo Bananada (XGYM) x Herdeson Capoeira (Team Nogueira) – 70kg (cinturão dos leves)

Luis “Betão” Nogueira (RFT) x Hemerson Tigrinho (Nova União) – 61kg (cinturão dos galos)

 

Card principal

 

Bira Lima (XGYM) x Luiz Carlos “Ninja” (Cascadura Team) – 120kg (peso-pesado)

Gustavo “Gugu” Dutra (RFT) x Adriano Capitulino (Rio Figthers) – 77kg (peso meio-médio)

Gregory Robocop (XGYM) x Renato Rangel “King” (Delfim/Nova União) – 84kg (peso médio)

Iago Lopes (Rizzo RVT) x Reyzinho Duarte (ATT/Rio Fighters) – 57 kg (peso mosca)

Talita de Oliveira (PRVT) x Juliana velasquez (Team Nogueira) – 61kg (peso galo)

Diogo Pimenta Christello (Team Moraes) x Alan Gomes (Team Nogueira) – 57kg (peso mosca)

Kathleen Guedes - Divulgação/Fábio Neder

Kathleen Guedes – Divulgação/Fábio Neder

Inspirado em Rafael dos Anjos, Yan Cabral aposta em evolução para vencer americano no UFC Goiânia

Yan Cabral quer evoluir e busca inspiração em campeão do UFC - Divulgação/Felipe Fiorito

Yan Cabral quer evoluir e busca inspiração em campeão do UFC – Divulgação/Felipe Fiorito

Yan Cabral está pronto para voltar ao octógono do UFC.

Após ser forçado a deixar o duelo contra Mairbek Taisumov por lesão no joelho esquerdo, em janeiro deste ano, o atleta da Nova União está recuperado e encara K.J. Noons no dia 30 de maio, no UFC Fight Night 67, em Goiânia, seu segundo desafio na categoria peso-leve (até 70,7kg) da organização.

Para alcançar também o segundo triunfo na divisão, Yan busca inspiração na evolução do jogo em pé de Rafael dos Anjos, atual campeão da categoria.

Especialista em jiu-jitsu como o dono do cinturão entre os leves, Yan Cabral intensifica nos treinos de boxe, especialidade de seu oponente. Além do MMA, Noons também tem experiências profissionais na nobre arte e kickboxing. Nos ringues, o norte-americano lutou 13 vezes, vencendo 11 duelos e sendo derrotado em duas ocasiões. Na Nova União, o brasileiro prepara uma estratégia para trocar golpes de pé, mas sem esquecer do grappling.

“Quero mostrar minha evolução na trocação. Sei que ele é um nocauteador, mas quero me testar. Lógico, sem esquecer do meu jogo agarrado e de chão. Me inspiro bastante no Rafael dos Anjos, com quem já disputei muito campeonato de jiu-jitsu e que teve uma evolução grande na luta em pé e no wrestling. Se tornou um atleta completo e, por isso, é o campeão. É o que eu busco também”, comenta o carioca.

Yan Cabral debutou no UFC competindo entre os meio-médios (até 77,5Kg). Foram duas lutas na divisão, uma vitória sobre David Mitchell na estreia e um revés diante Zak Cummings, no que também foi a primeira derrota no cartel profissional. Em outubro do ano passado, finalizou o japonês Naoyuki Kotani no UFC 179, já pela nova categoria.

“Perdi peso com tranquilidade para lutar nos leves. Fiz um trabalho específico para não sentir tanto a diferença dos meio-médios para os leves. Comigo, missão dada é missão cumprida, e já estou com uma dieta para chegar bem no UFC em Goiânia. Estou muito confiante para vencer mais uma, e a confiança é fundamental na luta”, avisa.

Foco na vitória e no Top 15

Com um cartel de 12 vitórias e apenas uma derrota, Yan Cabral visa novos e árduos desafios no futuro. O lutador acredita que, com um triunfo sobre K.J.Noons, a organização já poderá marcar um combate contra um dos atletas ranqueados entre os 15 melhores da divisão.

“Essa vai ser a minha luta mais dura do UFC. Vencendo dois ou três combates em sequência, já posso pegar um atleta Top 15 ou Top 10. Estou chegando agora na categoria, o Brasil tem o campeão e bons nomes que brilham a cada evento, como o Gilbert Durinho, o Léo Santos, mas confio no meu jogo para crescer no peso. Essa rotatividade com o cinturão é boa para dar ainda mais energia para quem quer chegar lá também. Acaba motivando todo mundo”, analisa.

Priscila Souza brilha e conquista cinturão feminino no Shooto Brasil

Atleta da equipe PRVT surpreende e conquista cinturão - Divulgação Felipe Fiorito

Atleta da equipe PRVT surpreende e conquista cinturão – Divulgação Felipe Fiorito

 

A primeira edição do Shooto Brasil de 2015, disputado neste último domingo, dia 19 de abril, no clube Hebraica, em Laranjeiras, Zona Sul do Rio de Janeiro, consagrou uma nova campeã na categoria até 62kg.

Priscila Souza derrotou Luciana Pereira por decisão dividida dos juízes laterais e ficou com o cinturão da divisão. Já na luta principal do show de número 53 da franquia, Felipe Olivieri comprovou as expectativas e venceu Alvaro Pastor por nocaute técnico ainda no primeiro round.

A próxima edição do evento será realizado no dia 16 de maio, novamente no clube Hebraica.

Aos 25 anos, Priscila Souza, conhecida por seu bom jogo de chão, surpreendeu a experiente Luciana Pereira com muita agressividade na luta em pé, e levou o cinturão para casa. Desde os primeiros instantes do combate, a atleta da PRVT não se intimidou com a maior envergadura da adversária e encurtou os espaços, encurralando a oponente contra as grades. No segundo round, Luciana, da Nova União, equilibrou o combate.

No terceiro e decisivo assalto, as duas lutadoras se entregaram definitivamente à trocação. Priscila mostrou mais contundência nos golpes e venceu a luta por decisão dividida dos juízes.

“Eu sou mais baixa que minha adversária, mas meu treinamento foi todo com a Jessica Bate-Estaca, que luta no UFC, e fiquei muito confiante no jogo em pé. Minha escola é o jiu-jitsu, mas treino numa equipe que qualifica a gente a bater de frente com qualquer uma.

Para essa disputa de cinturão, meus treinadores traçaram a estratégia de manter a luta em pé e surpreende-la. Segui as instruções e fui recompensada com esse cinturão”, explicou a nova campeã, que agora tem em seu cartel profissional nove vitórias e quatro derrotas.

Olivieri dá show em seu retorno

Após dedicar-se exclusivamente aos treinos e à recuperação de uma antiga lesão no ombro durante todo o ano de 2014, Felipe Olivieri voltou à ativa no Shooto Brasil 53. Contra Alvaro Pastor, o atleta da Nova União entrou determinado no cage e se aproveitou das novas regras do evento, que agora, sob a chancela da CABMMA, permite o uso de cotoveladas.

Após um início de luta onde mostrou um contra-golpe potente, inclusive com um knockdown no oponente, Olivieri levou o embate para a grade de onde desferiu cinco cotoveladas para anotar mais uma vitória no cartel. Foi preciso apenas 1 minuto e 40 segundos para o lutador garantir o 14° triunfo no cartel profissional de 19 lutas, além de quatro derrotas e um empate.

“Depois de um ano e quatro meses parado para evoluir e por lesão no ombro, estou mais do que satisfeito com essa vitória. Não é fácil para nenhum lutador ficar tanto tempo sem atividade, mas eu sei que a diferença entre o sucesso e o fracasso é um passo a mais. E eu tentei de novo e fui vencedor. A gente aprende muito na derrota, e aprendi a não relaxar nem um minuto. Me mantive concentrado o tempo todo e saí vencedor”, comentou Olivieri, de 30 anos.

Finalizações marcam primeiras lutas do evento

Mais uma vez, o jiu-jitsu mostrou sua importância no MMA ao ser determinante nas primeiras lutas da edição 53 do Shooto Brasil. Dos cinco primeiros combates, apenas um não foi encerrado na arte suave. Augustín Zás foi declarado vencedor após o adversário, Heider Prais, ter desistido da luta por conta de uma lesão sofrida na testa após uma queda.

Pela categoria até 70kg, Alcides Nunes, agora dono de um cartel perfeito de cinco lutas e cinco vitórias, levantou o público com uma finalização relâmpago. Aos 49 segundos do primeiro round, o atleta da Nova União finalizou Junior Sequela com um triângulo de mão e, literalmente, foi para a galera.

Outro momento de empolgação da torcida presente no ginásio do Hebraica foi quando Luciano Benício finalizou Eliel Topete Dourado com um katagatame, já nos momentos finais do terceiro round.

Shooto Brasil 53 – Resultados Oficiais

Até 70,7kg: Felipe Olivieri venceu Alvaro Pastor por nocaute técnico a 1min e 40seg do primeiro round;
Até 62kg: Priscila Souza venceu Luciana Pereira por decisão dividida dos juízes;
Até 61,6kg: Luciano Benício finalizou Eliel Topete Dourado com katagatame aos 3min e 39seg do terceiro round;
Até 70kg: Alcides Nunes finalizou Junior Sequela com triângulo de mão aos 49seg do primeiro round;
Até 57kg: Ronaldo Candido finalizou Julio Splinter com mata-leão aos 2min e 11seg do terceiro round;
Até 57kg: Augustin Zás venceu Heider Prais por desistência aos 3min e 24seg do segundo round;
Até 52kg: Claudio Coutinho finalizou Danilo Gomes com chave de braço aos 3min e 1seg do segundo round.

Rampage consegue permissão judicial e luta contra Maldonado no UFC 186

Rampage consegue permissão para lutar neste sábado - Divulgação

Rampage consegue permissão para lutar neste sábado – Divulgação

O que parecia quase impossível acabou acontecendo.

Após ser impedido judicialmente de retornar ao UFC, o americano Quinton “Rampage” Jackson conseguiu apelar da decisão da corte americana de Nova Jersey e vai enfrentar o brasileiro Fábio Maldonado neste sábado, no UFC 186, que acontece no Canadá.

Segundo o site Combate.com e posteriormente confirmado pelo Ultimate, Jackson conseguiu uma apelação de emergência através de seus advogados e retorna ao UFC após uma breve passagem pelo Bellator, evento concorrente do Ultimate.

Escalado como substituto de Rampage, Steve Bosse foi retirado do card mas vai receber a bolsa integral do combate.

Muito popular nos Estados Unidos e no Japão, Rampage fez grande parte de sua carreira atuando no PRIDE mas duas de suas grandes vitórias na carreira foram no UFC com dois nocautes contra Chuck Liddell e Wanderlei Silva.

“Estamos muito felizes de poder ver Rampage lutar novamente pelo UFC. Mal posso esperar para ver ele no octógono.” comemorou Dana White, Presidente do UFC em comunicado oficial enviado a imprensa.

Brasileiro defende cinturão no Bellator em julho - O lutador brasileiro Douglas Lima está de volta ao Bellator. Com luta marcada para o dia 17 de julho, Douglas defende o cinturão meio médio contra o russo Andrey Koreshkov.

O lutador chegou a ser escalado para enfrentar o inglês Paul Daley mas uma lesão impediu seu retorno.

Luta principal do Jungle Fight definida - Nesta segunda-feira, o presidente do maior evento de MMA da América Latina, Wallid Ismail, confirmou a luta principal do Jungle Fight 77, que acontece dia 9 de maio, no ginásio Costa Cavalcanti, em Foz do Iguaçu-PR.

A disputa será pelo cinturão peso-mosca (até 57 kg) entre o desafiante Bruno Menezes e o atual campeão da categoria, Nildo Katchal.

Na última vez que passou pela cidade paranaense, o Jungle Fight conseguiu superar a audiência do futebol na televisão – 0.43 do Jungle contra 0.38 do futebol.

O evento terá transmissão, ao vivo, pelas emissoras Band Sports e Band TV.

AFC realiza edição em busca de novos talentos – O AFC (Americas Fighting Championship) lançou nesta segunda-feira dia 20 de Abril em conjunto com a ABAL (Associação Brasileira de Arbitragem e Lutas) o primeiro AFC Open – Muay-Thai, Jiu-Jitsu e MMA Amador.

A maior novidade do evento é a volta do MMA Amador ao AFC e os melhores combates serão selecionados pelo presidente Andrews Henrique para estrearem no MMA Profissional pelo AFC.

O evento será em Limeira no dia 28 de junho.

Em saída de Spider, Matheus Nicolau conquista primeira vitória de Time Shogun no TUF Brasil

Minotauro substitui Spider e junto de Shogun, serão os treinadores desta edição - Wander Roberto/Inovafoto

Minotauro e Shogun serão os treinadores desta edição – Wander Roberto/Inovafoto

O terceiro episódio do The Ultimate Fighter trouxe para os fãs a primeira luta da casa (no peso galo) e mostrou os bastidores a saída do técnico Anderson Silva da temporada do reality.

O ex-campeão dos médios recebeu uma ligação inesperada durante as gravações e teve que abandonar o programa, após ficar sabendo do resultado de seu exame antidoping para a luta contra o americano Nick Diaz, no UFC 183.

Anderson, que foi previamente suspenso pela Comissão Atlética de Nevada (NSAC), foi substituído pelo brasileiro Rodrigo Minotauro, que agora comanda o Time Nogueira ao lado de seu irmão e também lutador do UFC Rogério Minotouro.

Comunicando sua saída para os lutadores, o clima de emoção tomou conta com o amigo de Anderson, André “Dedé” Ricardo, chorando copiosamente ao saber da notícia.

“Esta é uma oportunidade única da vida de vocês. Eu estou saindo do programa mas peço que vocês mantenham a união e garra, em busca de realizar o sonho de vocês.” discursou Spider antes de fazer uma oração com o grupo.

Spider deixa programa após saber sobre exame antidoping positivo - Divulgação

Spider deixa programa após saber sobre exame antidoping positivo – Divulgação

Mineiro Matheus Nicolau vence e avança; Shogun escolhe primeira luta do peso leve

A primeira luta da casa marcada pelo técnico Maurício Shogun no episódio anterior teve seu pupilo Matheus Nicolau como vencedor por decisão contra Reginaldo Vieira, do Time Nogueira. Para o quarto episódio, Shogun, que continuou com o direito de escolha, chamou o argentino Nazareno Malegarie, de sua equipe, para enfrentar o curitibano André Ricardo, o Dedé. Os dois lutadores estreiam a chave dos pesos leves na casa no próximo domingo, dia 26.

No confronto deste domingo, os lutadores do peso galo começaram se estudando e mediando as distancias de alcance. Logo de início, Reginaldo foi para cima em busca da luta agarrada. Matheus seguia frustrando as tentativas de seu oponente e, quando era colocado de costas no chão, o mineiro conseguia rapidamente se levantar.

O segundo round foi equilibrado e, após os jurados optarem por mais um assalto, Matheus voltou ainda melhor no “tira-teima”, ficou por cima de Reginaldo e saiu com a vitória por decisão unânime.

Primeira prova entre os times premia vencedores com viagem para a neve

O episódio deste domingo trouxe também a primeira prova entre as equipes. Divididos em grupos de quatro componentes, cada uma tinha que comandar um labirinto suspenso com o objetivo de colocar a bola no buraco final. Após muitos gritos de incentivo, o Time Shogun saiu vitorioso e todos os lutadores da equipe ganharam o direito de conhecer a neve nas montanhas de Charleston, nos EUA.

Concurso – Octagon Girls

Seguindo o sucesso da edição passada, o UFC criou um concurso para a escolha de uma Octagon Girl para representar o The Ultimate Fighter® Brasil 4 em seu evento final. No terceiro episódio, os fãs puderam conhecer a americana Otmara Marrero, de 25 anos, a primeira a levantar as placas no programa.