Showtime admite discutir luta Mayweather-Pacquiao

Os números astronômicos que podem ser gerados pelo megacombate entre Floyd Mayweather e Manny Pacquiao estão alterando o comportamento dos executivos do canal Showtime. O vice-presidente da emissora, Stephen Espinoza confidencia intenção de manter reunião com o promotor Bob Arum em “futuro próximo” para discutir a probabilidade de realizar o confronto tão aguardado pelo mundo nas últimas temporadas.

Mayweather (45-0-0, 26 KOs) tem contrato de exclusividade com a Showtime para mais quatro apresentações, ao passo que Pacquiao (55-5-2, 38 KOs) tem relacionamento há anos com a HBO, porém, sem acordo formal. E é exatamente nesse ponto mais frágil que Espinoza avalia ter chances de fechar negócio. “Ligarei para Arum, pois essa é uma batalha sedutora. Como Pacquiao não tem obrigação contratual com a HBO, não vejo razão para não abrigarmos a luta no Showtime”, aponta o dirigente.

Spadafora disputa cinto com Perez de olho Marciano

Com a possibilidade de superar o número de 49 combates invictos do lendário Rocky Marciano, o americano Paul Spadafora (48-0-1, 19 KOs), 38, briga pelo título ‘interino’ AMB superleve (63,5k) contra o perigoso venezuelano Johan Perez (17-1-1, 12 KOs), 30. O embate está marcado para este sábado no Mountaineer Casino Racetrack & Resort da cidade de Chester, estado de West Virginia (EUA). Os dois atletas já foram campeões mundiais e tentam recuperar a coroa em espetáculo gerido pela empresa promocional de Roy Jones Jr.

Pesagem oficial:

Spadafora 63,5k e Perez 63k

Marquez avalia estar perto de revanche com Bradley

Ele não quer outro combate que não seja a revanche. O mexicano Juan Manuel Marquez, 40, recebeu informação de seu promotor que as negociações para enfrentar mais uma vez o americano Timothy Bradley, 30, podem ser definidas a qualquer momento. Em outubro, o ídolo azteca perdeu em decisão dividida e não contém o interesse pela vingança.

“Avançamos muito nas conversas com Bob Arum (Top Rank) e estamos tentando dar forma à luta. Não é complicada de fazer”, anima-se Fernando Beltrán, presidente da promotora Zanfer, parceira de Marquez, prevendo espetáculo para março ou julho da próxima temporada. O boxeador mexicano, campeão em quatro divisões, deixou claro que, sem a revanche com Bradley, prefere abandonar o esporte.

Venda de cocaína resulta em prisão a ex-campeão Hide

A sentença foi definida hoje na Corte de Cambridge, no Reino Unido. O britânico e ex-campeão dos pesados Herbie Hide, 42, foi condenado a 22 meses de prisão por vender cocaína a repórteres disfarçados do jornal The Sun no início deste ano. No mês passado, o atleta já havia admitido a culpa e foi imediatamente levado pelos policiais para cumprimento da pena.

Dono do cinto da categoria máxima em 1994 e, depois em 1997, Hide (49-4-0, 43 KOs) corria risco de ficar trancado por dois anos, mas o juiz Mark Lucraft aceitou os argumentos da defesa de que o boxeador acabou sendo vítima de armadilha criada pelos jornalistas.

Na oportunidade, o repórter Mazher Mahmood, com auxílio de assistente, se fez passar por um sheik árabe, marcou diversas reuniões com Hide em hotel, reclamou da qualidade da cocaína vendida em Londres e queria ajuda para encontrar droga mais pura.

O cenário montado pelos funcionários do The Sun estava repleto de câmeras e microfones para flagrar a aceitação de Hide em conseguir a substância ilegal. O que também pesou contra o antigo peso pesado foi o fato de ja possuir condenações menores como danos criminais, agressões, comportamento ameaçador e porte de faca.

Pai emociona

Em depoimento no tribunal, Alan Hide, pai adotivo do atleta, disse que o filho tinha dificuldades de aprendizagem e que não passava de “uma criança em corpo de homem adulto”, pois é capaz de acreditar em qualquer pessoa que se aproxime dele. “Uma vez que ele (Hide) se torna seu amigo, ele é teu amigo pelo resto da vida”, declarou o pai emocionado.

Lomachenko caminha para bater marca mundial

Com a possibilidade de brigar pelo título mundial logo em sua segunda luta profissional, o ucraniano Vasyl Lomachenko, 25, pode estabelecer recorde absoluto no esporte das luvas. Previsto para 1º de março, na Califórnia ou no Texas (EUA), o atleta do Leste Europeu é o mais provável desafiante do mexicano Orlando “Siri” Salido, 33, dono do cinto OMB pena (57,1k).

Trazendo na bagagem o bicampeonato olímpico e mundial no amadorismo, Lomachenko (1-0-0, 1 KO) fez sua estreia profissional apenas no mês passado e com triunfo convincente por nocaute sobre o mexicano José Ramirez. Na hipótese de superar Salido (40-12-2, 28 KOs), ele apagaria o atual recorde precoce de conquista de título pertencente ao tailandês Saemsak Muangsurin (já falecido) que, em 1975, ganhou pela via rápida do espanhol Perico Fernandez para ficar com o cetro CMB superleve (63,5k).

Ex-boxeadora impede assalto ao ‘segurar’ ladrão

Nunca é reação apoiada pela polícia, mas a ex-boxeadora americana Bervely Rose, 44, pulou sobre um ladrão no momento em que ele estava fugindo de tentativa frustrada de assalto ontem a uma casa em Oak Hill, estado da Flórida (EUA). A antiga lutadora ouviu barulho na residência vizinha e, quando saiu para ver o que ocorria, deparou-se com um bando de cinco pessoas (uma mulher) e não teve dúvidas em saltar sobre Justin Goodrich, 23.

“Eu só fiz um comentário a ele: como se sentia ao ser pego por uma mulher de 44 anos. Ele só balançou a cabeça”, destacou Beverly Rose. O grupo estava em um cômodo anexado à residência de Ira Roberts que, com arma em punho, afugentou os cinco elementos, mas evitou qualquer disparo. Em poucas horas, a polícia identificou e capturou os quatro suspeitos restantes.

Spadafora briga por cinto e recorde de Marciano

Ele está há mais de uma década sem brigar por título mundial, e ainda cumpriu pena de prisão que atrasou muito de seus objetivos. Agora, o americano Paul Spadafora, 38, está diante da possibilidade de quebrar o recorde do lendário compatriota Rocky Marciano ao disputar o cinto ‘interino’ AMB superleve (63,5k) diante do venezuelano Johan Perez, 30. O confronto ocorre neste sábado no Mountaineer Casino Racetrack and Resort, da cidade de Chester, estado de West Virginia (EUA).

Spadafora (48-0-1, 19 KOs) foi legítimo detentor do cetro da categoria leve (61,2k), mas a acusação de tentativa de homicídio contra uma antiga namorada e, depois, a violação de condicional o impediram de estabelecer outras marcas. No embate com o perigoso Perez (17-1-1, 12 KOs), o americano tem a chance de conquistar novo cetro, somar 50 lutas invictas e superar o registro incrível do peso pesado Marciano (49-0-0, 43 KOs).

(*) No boxe atual, o atleta ainda invicto e com maior número de combates é o indonésio Chris John (48-0-3, 22 KOs), supercampeão AMB da categoria pena (57,1k)

Tio torce por Mayweather enfrentar Pacquiao

A megaluta dos sonhos ganha cada vez mais adeptos para sua realização. Dizendo-se satisfeito com a performance de Manny Pacquiao sobre Brandon Rios, no último domingo em Macau (China), o técnico Roger Mayweather acredita que chegou o momento de colocar o filipino em cima do ringue contra o sobrinho Floyd. “Se imaginarmos um combate para produzir muito dinheiro não há razão para não fazer Mayweather-Pacquiao”, opina.

Roger Mayweather não esconde a euforia pelo modo como Pacquiao superou Rios, com domínio absoluto das ações e controle de todas as rodadas, mesmo depois de estar uma temporada afastado. “Essa vitória foi muito significativa, pois abre definitivamente as portas para o confronto com meu sobrinho”, destaca o treinador.

Spinks III, por reafirmação, espera nome de oponente

Com necessidade de comprovar seu real valor, o americano Leon Spinks III, 25, espera a confirmação do nome do adversário para a apresentação programada para o próximo dia 6 de dezembro. Canhoto de 1,80m, o jovem boxeador é considerado bastante alto para a divisão leve (61,2k) e é neto do ex-campeão dos pesos pesados Leon Spinks.

Spinks III (6-0-1, 3 KOs) estreou no ano passado e ainda trabalha para encontrar o melhor desempenho e justificar o importante sobrenome que carrega. O avô Leon Spinks foi medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Montreal (Canadá/1976) e responsável por assustar o mundo quando, duas temporadas depois e poucas lutas, superou o lendário Muhammad Ali em decisão dividida e abocanhou os cetros CMB/AMB dos pesados.

Rios briga em bar após provocação de torcedor

Ainda sob o efeito do revés devastador para o filipino Manny Pacquiao, o americano Brandon Rios, 27, não suportou a provocação de um torcedor, reagiu e só foi contido pela ação rápida dos seguranças. O episódio agora revelado ocorreu algumas horas depois do combate com o astro asiático, disputado no último domingo em Macau, região administrativa da China.

Rios (31-2-1, 23 KOs) tentava entender tudo o que se passou no embate com Pacquiao e estava em um dos bares do Venetian Resort com membros de sua equipe quando um frequentador começou a provocá-lo. O boxeador procurou manter a calma até o momento em que o torcedor deu um tapa em seu boné.

Nesse instante, o americano deixou a educação de lado e partiu para a briga, sendo controlado e retirado do local para evitar mais problemas. Rios conseguiu bolsa de US$ 4 milhões (R$ 9,320 milhões) no embate com  Pacquiao.