Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Sob olhar de Ney Franco, São Paulo vence o Coritiba e entra no G-4

William Correia São Paulo (SP)

Ao ser demitido, há 12 dias, Emerson Leão saiu dizendo ter esperança de boa campanha no Campeonato Brasileiro. Foi o que Ney Franco constatou neste domingo. O novo técnico do São Paulo assistiu das tribunas do Morumbi à vitória por 3 a 1 do time competitivo do presidente Juvenal Juvêncio sobre os reservas do Coritiba.

A vitória deixa o Tricolor paulista com 15 pontos depois de oito partidas no Campeonato Brasileiro, pontuação suficiente para ficar em quarto lugar e se preparar com mais ânimo para enfrentar o Palmeiras no próximo domingo, na Arena Barueri, quando Ney Franco estreará. Já o Coxa, preocupado com o reencontro com o Verdão na final da Copa do Brasil na quarta-feira, no Paraná, estacionou nos sete pontos, mantendo-se próximo à zona de rebaixamento.

A boa campanha são-paulina foi confirmada devido à obediência dos atletas ao coordenador técnico e chefe interino Milton Cruz. Na velocidade, quase sempre com um toque só na bola, a equipe balançou as redes no primeiro tempo com gols de Jadson, aos 14, e Maicon, aos 40 minutos. Aos 25 minutos da etapa final, Robinho descontou convertendo pênalti cometido por Edson Silva, mas Osvaldo fechou o placar aos 34.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Maicon comemora gol na vitória sobre reservas do Coxa: time está na zona de classificação para Libertadores
O jogo – Sem Rhodolfo, machucado, e Luis Fabiano, suspenso, Milton Cruz resolveu apostar em uma linha de frente veloz, com Osvaldo trocando posição constantemente com Lucas e também Jadson, que vinha de trás assim como Maicon. Na defesa, deu a Rodrigo Caio a função de ser líbero, mas logo o adiantou para o meio-campo, já que Anderson Aquino era o único atacante dos reservas do Coritiba.

E nem era necessário se preocupar na marcação. Os veteranos Tcheco e Lincoln e o imperceptível Robinho demoraram para ter a bola nos pés diante da rapidez com que os anfitriões, apostando em troca de passes com só um toque. Desta forma, com cinco minutos de jogo, os donos da casa já tinham perdido gols com Osvaldo e Edson Silva e só não balançaram as redes com Jadson porque Osvaldo, autor do passe, estava impedido.

Quando a velocidade diminuiu, a torcida são-paulina passou a pedir raça e ainda viu Denis espalmar falta perigosa cobrada por Tcheco. Aos 14 minutos, porém, a tendência da partida se confirmou. Douglas roubou a bola de Chico, ex-volante do Palmeiras improvisado na lateral esquerda, e rolou para Jadson abrir o placar.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Jadson abriu o placar aporveitando bola que Douglas roubou de Chico: velocidade marcou o jogo são-paulino
Toda a velocidade são-paulina, contudo, se perdeu quando o objetivo foi alcançado. O ritmo tornou-se bem mais lento, facilitando para o meio-campo de veteranos do Coxa a ponto de Tcheco e Lincoln deixarem Anderson Aquino livre na grande área, mas perdendo para a defesa de Denis.

Parecia que o Tricolor perdia o controle do jogo. Mas bastou correr para ser eficiente. E foi o que fez Maicon aos 40 minutos, encontrando Osvaldo na ponta esquerda e contando com a ginga do atacante para receber na grande área e bater de primeira, seco para fazer 2 a 0.

O saldo do primeiro tempo era positivo. No segundo tempo, entretanto, a lentidão passou a aparecer mais, assim como nova (mas tímida) cobrança por raça. E o Coritiba foi gostando do jogo, atacando mais com a saída de seus veteranos e o resultado apareceu aos 24 minutos, quando Cortez perdeu a bola na área e Edson Silva deu um chutão em Alex. Pênalti que Robinho converteu.

Milton Cruz reforçou a marcação com Casemiro e Cícero nos lugares de Rodrigo Caio e Maicon, mas ainda levava sustos. A solução, mais uma vez, foi ser veloz. Algo que Lucas e Osvaldo são. O camisa 7 retomou a bola e, em sua típica arrancada, deixou para o atacante, aos 34 minutos, fechar o placar. Os rápidos jogadores mostraram a Ney Franco o que podem fazer em campo.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Denis fez grandes defesas para garantir a vitória são-paulina e quase pegou o pênalti batido por Robinho

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade