Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Tite nega objetivo de afundar rival: “Seria espírito muito pequeno”

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

O Corinthians pode complicar ainda mais a situação do Palmeiras neste Campeonato Brasileiro, no clássico de domingo, no estádio do Pacaembu. No entanto, o técnico Tite nega que tenha uma motivação a mais para agravar a crise do rival, que demitiu Luiz Felipe Scolari nesta semana.

“Seria de um espírito muito pequeno e pobre se de alguma forma ficasse contente com o mal dos outros. Queremos entrar na zona de segurança, fortalecer nossa equipe e crescer na competição. Podemos encontrar sete ou dez motivos maiores que este (complicar o oponente). Pode existir por parte do torcedor, mas não da nossa”, argumentou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Tite se lembra de quando salvou o rival e admite conhecer o peso de aparecer na zona de rebaixamento
O Palmeiras ocupa o penúltimo lugar no Brasileiro, com 20 pontos, e está em crise por conta da dificuldade de escapar da zona de rebaixamento. Tite explicou que conhece bem a dificuldade do Verdão de fugir da degola, pois já salvou o próprio clube da degola (em 2006) e também o Corinthians (em 2004).

“Vivi uma situação assim no Palmeiras e tenho orgulho por ter recuperado. Passei por isso também em Corinthians, Grêmio, Inter... Eu sei o peso que é um grande clube estar em uma situação difícil assim”, ponderou.

Tite explica que seu time não tem qualquer responsabilidade no destino do rival na luta contra o rebaixamento. “Ninguém afunda ninguém. São 38 jogos e cada um vai construir sua campanha, vamos fazer a nossa, e o Palmeiras tem a dele, assim como Figueirense, Atlético-MG, Grêmio...”, concluiu.

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade