Jogos Paralímpicos 2012/Bastidores - ( - Atualizado )

Jogos Paralímpicos chegam ao fim com melhor participação brasileira

Londres (Inglaterra)

Os Jogos Paralímpicos de Londres se encerraram neste domingo com uma celebração à vida. Nomeada “Festival de Chamas”, a cerimônia de encerramento teve a representação das estações do ano.

A festa contou com shows de Coldplay, Rihanna e Jay-Z pela parte da Inglaterra. O Brasil, sede dos próximos jogos, foi representado por Hebert Viana, Carlinhos Brown e pela Associação de Ballet e Arte para Cegos.

A primeira parte da cerimônia teve a participação de artistas de circo com coreografias envolvendo chamas. Na sequência, os porta-bandeiras de cada país se posicionaram em formato de coração no centro do Estádio Olímpico também seguindo a temática da festa: efeitos de chamas iluminaram o coração.

Em seguida, tiveram início as apresentações dos artistas britânicos, com a apresentação brasileira vindo em seguida. A música brasileira introduziu o tema da edição de 2016: “Alegria”. Depois, Sir Philip Craven, presidente do Comitê Paralímpico Internacional, oficializou o encerramento, com Coldplay, Rihanna e Jay-Z retornando ao palco.

Assim, se apagou a chama olímpica em Londres, marcando o fim da competição iniciada em 29 de agosto na Inglaterra e iniciando o ciclo olímpico para Rio 2016. No Brasil, o evento irá ocorrer entre os dias 7 e 18 de setembro.

As Paralimpíadas chegaram ao fim com a melhor participação do Brasil na história dos Jogos Paralímpicos. O país ficou na sétima posição no quadro geral com um total de 43 medalhas. Com 21 medalhas de ouro, 14 de prata e oito de bronze, o Brasil ficou atrás apenas da China, que liderou com folga com 231 medalhas no total e 95 de ouro, Rússia, Reino Unido, Austrália, Ucrânia e Estados Unidos.

Em 2008, o Brasil havia ficado na nona posição apesar de ter conquistado mais medalhas no total. Foram 47, sendo 16 de ouro. O melhor desempenho em Londres deve muito à performance na natação, com nove medalhas de ouro, sendo seis de Daniel Dias e três de André Brasil. Com sete ouros, o atletismo também se destacou.

O próprio Daniel Dias foi o grande nome brasileiro no evento. O nadador venceu todas as categorias que disputou: 50m peito na SB4 e 50m costas, 50m borboleta, 50m livre, 100m livre e 200m livre na S5. Contando também os Jogos Paralímpicos de 2008, o atleta chegou às 15 medalhas no total e se tornou o maior medalhista do país, superando o também nadador Clodoaldo da Silva e a corredora Ádria Santos.

No total de medalhas, porém, o atletismo foi ainda melhor que a natação: foram 18 medalhas contra 14. Alan Fonteles, de apenas 20 anos, foi o grande nome ao desbancar a principal estrela dos Jogos, o sul-africano Oscar Pistorius e conquistar o ouro nos 200m rasos da T44. As outras medalhas de ouro brasileiras vieram na bocha, terceira modalidade com melhor desempenho com três campeões, na esgrima e no futebol de 5.

O desempenho do país atingiu as metas traçadas pelo CPB (Comitê Paraolímpico Brasileiro). “Atingimos nossos objetivos gerais, a avaliação é a melhor possível. Ficamos no sétimo lugar no quadro de medalhas e conquistamos 21 medalhas de ouro ouros”, declarou Andrews Parsons, presidente da entidade.

Publicidade

Últimas Notícias

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade