Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Chamariz de público, Ganso pode virar trunfo para encher Pacaembu

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Chamado de amistoso pelo técnico Ney Franco, o clássico contra o Corinthians não tem outro apelo que não a rivalidade. Se a equipe alvinegra já pensa no Mundial de Clubes, o foco são-paulino é a final da Copa Sul-americana. O que poderia ajudar a atrair público ao Pacaembu então?

Paulo Henrique Ganso. Caso os principais jogadores sejam poupados, o meia, maior contratação do clube na temporada e que ainda busca ritmo ideal, começaria jogando pela primeira vez na capital paulista. Ele foi titular no domingo, diante da Ponte Preta, porém em Campinas.

Nas duas vezes em que foi o astro principal, o camisa 8 tricolor levou uma multidão ao Morumbi. No dia de sua apresentação, motivou a maioria dos 40.457 presentes na vitória sobre o Cruzeiro. Diante do Náutico, jogo que marcou sua estreia, o público foi de 62.207 torcedores, recorde do clube na temporada, maior até do que o da semifinal da Sul-americana.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Meia tem atuado normalmente no segundo tempo das partidas e, mesmo assim, atrai bom público ao Morumbi
As duas marcas superam a capacidade total do Pacaembu, estádio que será utilizado por conta da preparação do show da cantora norte-americana Madonna no Morumbi. A dois dias da partida, a movimentação ainda não tem sido grande, mas pode aumentar de acordo com a escalação que for divulgada por Ney Franco.

A empolgação da torcida com relação ao ex-santista tem sido grande. Na quarta-feira, ao longo do empate sem gol com a Universidad Católica, os são-paulinos fizeram festa quando ele substituiu Jadson. Em seu primeiro toque na bola, na segunda metade da etapa final, novo alvoroço nas arquibancadas. O treinador, entretanto, pede calma.

"Ele foi titular contra a Ponte porque a gente pôde se dar a esse luxo, mas a realidade é que ele não está preparado ainda para jogar o tempo todo. A parte física do Ganso está abaixo da dos demais jogadores, e o contrato dele é de cinco anos. Nosso planejamento é para 2013", falou o comandante, indeciso dos 11 iniciais de domingo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade