Atletismo/São Silvestre - ( - Atualizado )

Jaciel Paulino vence entre os cadeirantes e conquista o tetra

Bianca Mascara, especial para a GE.net São Paulo (SP)

O primeiro a cruzar a linha de chegada na 88ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre, Jaciel Antonio Paulino comemorou o tetracampeonato da prova na categoria cadeirantes. Ele encerrou o percurso de 15 quilômetros da corrida, nesta segunda-feira, com o tempo de 46min01s. O segundo colocado foi Fernando Aranha Rocha e Carlos Neves de Souza completou a lista dos três primeiros.

Com a vitória, Jaciel se tornou tetracampeão da tradicional prova pelas ruas da capital paulista. Ele ainda não superou a marca do pentacampeão Fernando Aranha, que foi o segundo colocado, mas já está de olho em igualar a marca do amigo. “Quero colar nele. Eu admiro muito o Fernando, sou um fã e espero ser campeão ano que vem também para igualar a marca”, projetou o pernambucano.

“É importante mostrar para quem tem deficiência que somos capazes. Se eu consigo, qualquer um pode conseguir. A pessoa com deficiência, às vezes, fica dentro de casa e a família, querendo ajudar, acaba tornando o cadeirante dependente”, ressaltou Jaciel, que dedicou a vitória às pessoas com câncer.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Jaciel Paulino venceu a São Silvestre pela quarta vez e já mira novos títulos

A edição de 2012 da São Silvestre contou com uma mudança no percurso, com a chegada na Avenida Paulista, mesmo local da largada. A corrida também teve uma alteração de horário, com início da prova às 6h50 da manhã.

As mudanças foram aprovadas pelos atletas. “Foi muito bom com esse percurso novo. Tem subidas mais íngremes e como sou mais leve consegui levar vantagem e abrir uma boa diferença”, contou o vencedor. “A prova ficou muito bonita e mais técnica para o cadeirante”, acrescentou Aranha.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Pentacampeão, Fernando Aranha foi o segundo colocado e comemorou por conseguir finalizar a prova

Aranha estava receoso antes da prova, pois no ano passado não conseguiu completar São Silvestre em virtude de problemas com a handbike, que teve um pneu furado. “Faz tempo que não me sinto tão feliz de completar uma prova. Eu estava com muito receio, medo mesmo, mas agora, eu que sou paulista, estou muito feliz de chegar bem em São Paulo”, destacou o atleta de 34 anos.

Os atletas foram unânimes em aprovar a largada pela manhã. “O tempo mais estável favorece o nível dos competidores e deixa a corrida mais forte”, explicou Aranha.

O terceiro colocado Carlos Eduardo Neves já esperava pelo posto e ficou satisfeito com o desempenho. “A expectativa era essa mesma, de nós três chegarmos na frente”, contou.

Carlos também lembrou a importância da São Silvestre entre os atletas cadeirantes, que enfrentam dificuldades diárias, porém encontram força no esporte e motivação a cada disputa. “Eu sou uma pessoa totalmente independente, o esporte oferece conhecimento e proporciona convívio. Eu já viajei para diversos países e tudo graças ao esporte”, afirmou. Aranha concordou com o companheiro. “Isso é o meu dia a dia, o esporte é minha energia”.

Confira os resultados na categoria cadeirantes masculino:

Jaciel Antonio Paulino – 46min01s
Fernando Aranha Rocha – 50min21s
Carlos Neves de Souza – 55min25s
Eduardo Aparecido de Franca – 57min32s 
Oliverio de Souza Ferreira – 1h01min51s

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade