Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Em tarde perfeita, Pato estreia e fecha a goleada do Corinthians

Helder Júnior São Paulo (SP)

O cenário era perfeito para a primeira partida de Alexandre Pato pelo Corinthians. Contra o frágil time do Oeste, que segue sem vencer no Campeonato Paulista, os campeões mundiais já ganhavam de goleada quando o estreante pisou no gramado do Pacaembu, aos 26 minutos do segundo tempo. Ele mesmo se encarregou de fechar o placar em 5 a 0 neste domingo, após os gols de Guerrero (dois, ambos de cabeça), Paulinho e Danilo – Emerson ainda desperdiçou um pênalti.

Com a vitória convincente, o time de Alexandre Pato subiu para os 10 pontos ganhos na competição, enquanto o Oeste totaliza apenas um. Na próxima rodada, na quarta-feira, o adversário do Corinthians será o Botafogo-SP, em Ribeirão Preto. Já a equipe de Itápolis buscará a sua reabilitação contra o Paulista, no mesmo dia, em Jundiaí.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Alexandre Pato iniciou a sua trajetória pelo Corinthians com um gol marcado na vitória sobre o Oeste
O jogo – O atacante Alexandre Pato foi o mais festejado entre os jogadores do Corinthians antes de a partida contra o Oeste começar. Quando o locutor do Pacaembu anunciou a presença do astro como reserva, o público pulou e gritou com intensidade. O estreante se dirigiu até o banco calmamente, sorrindo – e cercado por repórteres, cinegrafistas e fotógrafos.

Bastaram alguns minutos de jogo, no entanto, para o centro das atenções se tornar outro atacante. Aos nove minutos, Guerrero subiu com estilo após cruzamento de Alessandro e cabeceou para a rede. Aos 12, a cena se repetiu: o lateral direito levantou a bola na área, e um dos heróis da conquista do Mundial de Clubes no ano passado voltou a escorar para o gol. Foi o bastante para a torcida se esquecer momentaneamente de Pato e berrar o nome do peruano.

Emerson, o herói da Libertadores, não queria ficar atrás de seus colegas de posição. Correndo de um lado a outro do campo, o Sheik passou a também envolver a defesa adversária. O que não era tarefa das mais difíceis. O Oeste mostrava o porquê de não ter vencido nenhuma partida no campeonato até então e havia ficado ainda mais desnorteado em campo após as cabeçadas de Guerrero.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Herói no Mundial de Clubes, o peruano Paolo Guerrero marcou duas vezes neste domingo
Percebendo óbvio, que o Oeste não tinha capacidade de reação, o técnico Roberto Cavalo não demorou muito para substituir Eduardo por Vitinho. Pouco antes, a equipe de Itápolis até havia alcançado um lampejo de ofensividade em meio a muitas faltas cometidas no campo de defesa. Aos 31 minutos, Everton tocou a bola na entrada da área para Hudscon chutar com força e acertar o travessão da meta defendida por Danilo Fernandes.

Era o Corinthians, contudo, que mandava na partida. Aos 40, Emerson puxou contra-ataque rápido e tentou tabelar com Guerrero. Paulinho aproveitou a sobra de bola para completar para a rede. Eufórico, o volante que recusou recentemente uma proposta da italiana Internazionale para permanecer no Corinthians correu para o alambrado e vibrou com os torcedores organizados. Do banco de reservas, Pato aplaudiu.

O Corinthians quase marcou o quarto gol ainda no primeiro tempo. Em nova falha da defesa do Oeste, Guerrero carregou a bola com liberdade até a área, mas chutou em cima do goleiro Fernando Leal. Àquela altura, parte da torcida já se entretinha com a presença de personalidades na área VIP. “Vai, Corinthians! Vai, Mauricio de Sousa!”, berrou um corintiano, quando notou que o criador da Turma da Mônica estava ali. A comoção foi ainda maior quando o humorista Marquito, do Programa do Ratinho, começou a acenar para o público.

No segundo tempo, o Corinthians tinha a missão de continuar a ofuscar quem estava fora de campo. Jorge Henrique e Guerrero faziam o possível com muitos carrinhos, ganhando elogios. Os volumosos gritos para o peruano faziam até lembrar quando os torcedores idolatravam o argentino Tevez por jogar com o mesmo empenho. Aos cinco minutos, porém, um novo candidato a ídolo passou a fazer aquecimento para se preparar para ir a campo: Alexandre Pato.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Emerson Sheik jogou bem, mas desperdiçou uma cobrança de pênalti no segundo tempo do jogo
A iminente entrada de Pato não abalou Guerrero. Ao contrário. Nada parecia ser capaz de segurar o peruano. Ligger até agarrou o centroavante do Corinthians – mas dentro da área. Pênalti. Emerson se apresentou para a cobrança e bateu no pé da trave. Levou as mãos à cabeça, como costuma fazer para comemorar alguns gols, desta vez decepcionado. Como consolo, ganhou aplausos dos torcedores e afagos de seus companheiros de time.

O gol perdido por Emerson da marca da cal, de fato, não fez falta para o Corinthians. Aos 24 minutos, quando Pato já havia assinado a súmula e estava posicionado à beira do campo para estrear, Danilo arriscou um chute forte da ponta esquerda e acertou a rede para transformar a vitória em goleada. O clima era o melhor possível para o reforço corintiano mais caro na história entrar no lugar do já ídolo Guerrero.

Assim que pisou no gramado, Pato tentou partir em velocidade na ponta direita. Foi parado pela bandeirinha erguida do assistente, que não hesitou em assinalar o impedimento. Pouco depois, aos 28, nada conteve o atacante. Ele recebeu boa enfiada de bola e concluiu, mas Fernando Leal espalmou. No rebote, o gol, para delírio do público presente no Pacaembu. O estreante bateu no peito e comemorou com a torcida ao fechar a tarde perfeita contra o Oeste, que ainda teve Lelé expulso.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade