Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Incomodado com pena, dirigente alega que Timão não é o único culpado

Bragança Paulista (SP)

Apesar do jogo contra o Bragantino, o assunto do Corinthians nos bastidores do Estádio Nabi Abi Chedid ainda é a morte do garoto boliviano, durante a partida contra o San José, em Oruro, na quarta-feira, causada por um sinalizador disparado por um torcedor alvinegro. O clube do Parque São Jorge, que foi punido pela Conmebol e vai jogar com os portões fechados nos próximos 60 dias de competição ou até que o processo seja julgado, não concorda com a pena e pode deixar a disputa do Continental.

“O departamento jurídico do Corinthians entrou com um recurso, discutindo a pena, que acreditamos que não é cabida neste caso, mas o Corinthians ainda continua na competição”, explicou Duílio Monteiro Alves, dirigente corintiano, à TV Bandeirantes.

O principal motivo de discórdia entre os dirigentes do clube é o fato de que apenas o Corinthians foi punido no caso, sendo que houve falha de outras partes envolvidas. “O Corinthians também discute sobre todos os responsáveis, como a Conmebol, a organização do estádio e o San José. Não adianta punir o Corinthians e achar que encontrou o culpado”, finalizou o dirigente.

De acordo com a torcida organizada Gaviões da Fiel, o responsável pelo disparo deve se entregar nesta quarta-feira. O autor chegou ao Brasil neste sábado, junto com caravana vinda da Bolívia, e, em nenhum momento, esteve entre os doze torcedores presos em Oruru.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade