Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Davids critica postura de Platini perante o racismo: “Deixe a Uefa”

Londres (Inglaterra)

O astro holandês Edgard Davids se irritou com as seguidas declarações dadas pelo presidente da Uefa, Michel Platini, sobre o racismo no futebol europeu. Irritado com a forma como o ex-jogador francês tenta minimizar os casos envolvendo preconceito racial, o ídolo do Ajax e da seleção de seu país pediu ao mandatário para deixar o seu cargo com alguém capaz de tomar atitudes que possam combater o problema.

“Se o Platini não consegue fazer nada sobre o racismo no futebol, então ele precisa deixar a Uefa com alguém que possa fazer algo. Ele continua fazendo barulho sobre o problema, mas isso não é suficiente. Eu tenho certeza que existem pessoas que não dão a mínima para este caso na entidade”, bradou Davids, em entrevista ao jornal Daily Mail.

AFP
Davids (à esq.) criticou a apatia da Uefa e da Fifa perante o racismo (Foto: Pornchai Kittiwongsakul/AFP)
O holandês também não poupou o presidente da Fifa, Joseph Blatter, de suas duras críticas. A apatia do dirigente diante das acusações envolvendo John Terry, do Chelsea, e Luis Suárez, do Liverpool, durante jogos da Premier League foi lembrada com repúdio por Davids. Para ele, o mandatário perdeu toda a sua credibilidade quando sugeriu um “aperto de mão” para solucionar o problema.

“O Blatter perdeu a oportunidade de fazer algo quando disse aos jogadores para apertarem as suas mãos após o jogo. Você aperta a mão e o que acontece depois? A lição não foi aprendida e Blatter deu a resposta errada para a questão. Pessoas como ele ou até Johan Cruyff deviam servir de exemplo. Eles deviam fazer algo com o poder que lhes foi dado e agir de outra forma”, completou.

O último grande caso de racismo na Europa partiu do brasileiro Daniel Alves, que disse ter ouvido ofensas de cunho racial durante um clássico contra o Real Madrid. O lateral do Barcelona chegou até a dizer que esta era uma “questão perdida” no Velho Continente. A atitude com maior repercussão, porém, partiu de Kevin-Prince Boateng, do Milan. O ganês se irritou com os xingamentos durante um amistoso e abandonou o gramado com os seus companheiros de clube.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade