Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Kleber pensa em Seleção e troca Porto por Verdão para não regredir

São Paulo (SP)

Ao ser contratado do Porto, Kleber nem imaginava qual a real importância que teria para o plantel do Palmeiras. Com a transferência de Barcos para o Grêmio consumada nesta sexta-feira, o atleta tomou o posto do argentino dentro do elenco e se tornou um dos principais nomes ofensivos do Verdão. O inesperado desafio a ser enfrentado dias após a sua chegada a São Paulo fez o atleta pensar grande e já projetar até uma nova chance na Seleção Brasileira.

“Eu não estava evoluindo, estava regredindo. O momento no Porto agora é do Jackson Martinez, artilheiro e um baita jogador”, disse Kleber, apresentado pelo presidente Paulo Nobre nesta sexta-feira. “Quem não é visto, não é lembrado. Como eu não estava jogando, não tinha chance alguma de ser convocado para a Seleção. Agora, com as coisas correndo bem, a oportunidade pode aparecer novamente”, emendou o reforço alviverde.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Kleber rejeitou propostas do futebol europeu e aceitou o desafio de ser o novo artilheiro palmeirense
Kleber chegou a ser convocado por Mano Menezes para amistosos do time canarinho, mas acabou cortado depois de apresentar uma contusão. Hoje com 22 anos, o atacante já foi regularizado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF e, oficialmente, tem contrato de empréstimo até dia 30 de junho, pois poderá ser ‘resgatado’ pelo Porto após seis meses no Brasil. A expectativa da diretoria, porém, é de conseguir um acordo para mantê-lo até o encerramento da temporada brasileira.

Como se recupera de uma lesão muscular, o atacante ainda terá de aguardar de 15 a 20 dias para fazer a sua estreia com a camisa do Palmeiras. O atleta inclusive passou por exames médicos na última quinta-feira e teve constatado um pequeno edema na coxa esquerda. Se tudo correr dentro do esperado, os fisiologistas do clube liberarão o jogador para treinamentos com bola dentro de duas semanas, tornando viável a sua participação no Paulista e na primeira fase da Libertadores.

“Para mim está sendo um orgulho muito grande vestir a camisa do Palmeiras, um dos maiores clubes do mundo, conhecido mundialmente. São quase quatro anos já na Europa. Como brasileiro, senti um pouquinho de falta daqui, dos familiares. E o projeto apresentado pelo Palmeiras foi muito gratificante pela situação da Libertadores. Isso me atraiu bastante”, discursou o jogador, que, apesar de ter recebido propostas de outros times europeus, optou por jogar no Verdão em 2013.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade